Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 14/05/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

 

“Tem que deixar bem claro. Vem do governo Lula, começou aí”

FHC em Nova York, sobre o início da corrupção institucionalizada na Petrobras

 

Senado não cumpre Lei de Acesso à Informação

O Senado esconde as despesas da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar, mesmo quando acionada a Lei de Acesso à Informação, que aprovou. Entre 2011 e 2014, os parlamentares gastaram mais de R$ 80 milhões, numa média de R$ 1 milhão para cada senador, com ressarcimento de supostas despesas com alugueis de imóveis e de automóveis, inclusive nos estados, assessorias e consultorias etc.

 

Omissão malandra

Malandramente, o Senado disponibiliza informações básicas em seu “Portal da Transparência” (sic), mas não especifica o serviço prestado.

 

Boquinhas mil

Além da cota, senadores têm R$ 33,7 mil para salários e mais R$ 80 mil de Verba de Gabinete, para distribuir entre até 55 funcionários.

 

Desrespeito à lei

O Ministério Público tenta há meses entender por que o Senado ignora a Lei de Acesso à Informação, que aprovou. Ainda não conseguiu.

 

Ineficiência

Lúcio Batista, da ONG Operação Política Supervisionada, não vê como checar o cumprimento dos princípios da economicidade e eficiência.

 

Até força-tarefa paga para salvá-la ataca Dilma

Crítico do ministro Edinho Silva (Comunicação), o ex-jornalista Franklin Martins emplacou na comunicação digital da Presidência da República os pupilos Emerson Luiz e Bruna Rosa. Eles integram a “força-tarefa” criada “salvar” Dilma, cujo cartaz anda mais sujo que pau de galinheiro. Mas nem o grupo acredita na tarefa: em reuniões internas, não faltam ataques a Dilma, como quando ela fugiu da TV com medo de panelaço. Apesar de Edinho ter apoiado a opção de Dilma pelas redes sociais.

 

Dando problemas

À frente do “Muda Mais”, braço da campanha digital da reeleição, que custou R$ 12 milhões, a dupla criou problemas para a candidata Dilma.

 

Multa no TSE

Há dias, o PT foi multado pelo TSE por propaganda irregular inventada pelo grupo de Franklin. O PT o considera muito caro pelo que entrega.

 

Olho neles

A “comunicação digital” de Franklin Martins é acusada por setores de oposição de atacar sites críticos ao governo para tentar tirá-los do ar.

 

Clandestinidade

Indagado pelo líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE), Edinho Silva (Comunicação) disse em audiência pública, que é “institucional” a força-tarefa de “salvação” da imagem de Dilma, revelada nesta coluna dia 11. Na verdade, é clandestina. Mas o ministro jamais confirmará.

 

Marca do pênalti

Se o presidente do Senado der andamento a pelo menos uma das quatro representações do senador Fernando Collor (PTB-AL), o procurador-geral Rodrigo Janot deve ser afastado do cargo.

 

Michel faz, ele desfaz

Aloizio Mercadante (Casa Civil) irritou deputados governistas durante reunião com Michel Temer. Ameaçou cortar emendas e bloquear indicações de quem votar contra a MP que prejudica aposentados.

 

Líder da oposição?

Mercadante parece determinado a complicar Dilma no Congresso. O senador Renan Calheiros soube maledicências do ministro sobre o seu papel na aprovação de Luiz Fachin na sabatina. Vai ter troco.

 

Elegância

O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União, fez um gesto elegante, comparecendo à sabatina de Luiz Edson Fachin no Senado. Dantas foi um dos cotados para a vaga no Supremo Tribunal Federal.

 

Desculpas

Atitude digna da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM): ela pediu desculpas ontem por haver chamado o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) de “autista”. Ela atribuiu a referência ao calor das discussões.

 

Senador para quê?

Dilma deve ignorar a vontade do Senado, que por 49x12 reduziu o INSS para 8%, na regulamentação das domésticas. “Até as pedras de Brasília sabem que o governo vetará”, diz o líder Delcídio Amaral (PT-MS). Ele também nega reunião com Lula para criticar Dilma.

 

Chá de sumiço

Causou risadas no Plenário da Câmara o sumiço dos deputados inscritos para falar favoravelmente à medida provisória 664. Na hora marcada da convocação, ninguém apareceu para defender a MP.

 

Pergunta na plateia

Após o tirano norte-coreano Kim Jong-Un mandar matar o general que cochilou enquanto ele falava, que tal fazê-lo convidar alguns políticos brasileiros a ouvir seus discursos?

PODER SEM PUDOR

Sonho compartilhado

Candidato a senador em 1986, Mauro Benevides estava em um palanque na praça dos Franciscanos, Juazeiro do Norte (CE), quando o candidato a deputado estadual Marcus Fernandes contou a lorota em forma de “sonho”:

- Sonhei que Padre Cícero Romão Batista baixava num monte nuvens diante de mim e, com aquela voz tronitoante, que só os santos possuem, apontou pra mim e disse: “Marquinhos, tu és um dos meus!”

Benevides cutucou o orador por trás e implorou, ao pé do ouvido:

- Marquinhos, por favor, me bota nesse sonho!...