Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 03/03/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

"No final, entre mortos e feridos, todos serão salvos"
Ex-presidente Lula, garantindo negociação com Eduardo Campos (PSB) em 2014

Clésio é cotado para Transportes pelo PMDB-MG 
Presidente da Confederação Nacional do Transporte, o senador Clésio de Andrade tem sido cotado como uma terceira alternativa ao Ministério dos Transportes caso a presidenta Dilma ofereça a pasta ao PMDB de Minas. Também estão no páreo os deputados Antônio Andrade e Leonardo Quintão, que abriu mão de disputar a prefeito de Belo Horizonte, a pedido do Planalto, para apoiar o petista Patrus Ananias.

Pode agradar
Aliados de Clésio de Andrade alegam que ele teria o "perfil técnico" que a presidenta Dilma faz tanta questão, na área dos transportes. 

Cristão-novo
Pesa contra o senador Clésio o fato de ser recém-chegado no partido. Ele deixou o PR pelo PMDB em março do ano passado. 

Interlocutor
O ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento) foi incumbido pelo Planalto de tocar as negociações entre governo e o PMDB mineiro. 

Quase lá
O PMDB já dá como certa a cadeira nos Transportes, mas a vaga não está garantida. O PR luta com unhas e dentes para reaver a pasta.  

PT deve 'honra ao mérito' a ex-secretário de droga
O PT deve homenagear o militante Pedro Abramovay, ex-secretário Antidrogas demitido por Dilma pela defesa da descriminalização do "pequeno traficante". Ele é responsável por um site de abaixo-assinado, espécie de pelotão de fuzilamento virtual, que mirou no presidente do Senado, Renan Calheiros, e fez o país esquecer meliantes mensaleiros condenados até à prisão, e que ainda exercem mandatos de deputado. 

Negociações
A presidenta Dilma combinou com o PMDB de discutir sobre a disputa ao governo do Rio. O petista Lindbergh Farias ameaça sair candidato. 

Muy amigos
Durante jantar do PMDB, Dilma cochichou no ouvido de Luiz Fernando Pezão, pré-candidato do PMDB ao governo do Rio. Ele abriu sorrisão.

O céu
Se pudesse ser papa, Lula estaria no céu: poderia viajar o mundo no Aero Papa, usar o Papa Móvel e tomar vinho do Vaticano o dia inteiro.

Subiu no telhado
A provável nomeação de Gabriel Chalita para o cargo de ministro de Ciência e Tecnologia foi anunciada aqui em primeira mão, assim como o risco de vir a ser "queimado" pelo ministro Aloizio Mercadante (Educação). De fato, o emprego de Chalita subiu (e ficou) no telhado.

Disputa interna
Membro da tendência Mensagem ao Partido, o ministro Eduardo Cardozo (Justiça) defende a candidatura de Paulo Teixeira (SP) a presidente do PT contra Rui Falcão, que integra a facção majoritária.

Monitoramento
O Ministério do Turismo criou um sistema que permite acompanhar Contratos de Repasse para estados e municípios brasileiros. Mais de 7 mil projetos poderão ser monitorados.

Tratamento
Presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Homero Pereira (PSD-MT) se licenciou por 30 dias para iniciar quimioterapia contra câncer de estômago. Assume o deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS). 

Diversificação
Dono da agência de marketing político Lua Branca, que fez as últimas campanhas de tucanos como José Serra e Geraldo Alckmin, Luiz Gonzáles resolveu entrar no ramo de assessorias de comunicação.

Irregularidades
O número de ocupações irregulares no DF mais que dobrou em 2012. Levantamento da Secretaria da Ordem Pública mostra que ano passado houve mais remoções que nos últimos cinco anos.

Sentença se cumpre
Se o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), quer respeitar a Justiça, como declarou, deve cumprir a decisão da Suprema Corte nas condenações do mensalão, afirma o jurista Erick Wilson Pereira.

Grande mãe 
Dilma viveu momento ex-URSS, anunciando "safra recorde" de grãos, mas não explicou como armazenar, escoar e quanto importará de pesticidas e insumos. Se tivesse anunciado safra recorde de aviões...

Pensando bem...
... está na hora de alguém escrever o livro: "2005, o ano que não existiu para o PT". 

 

PODER SEM PUDOR
Adesão coincidente

Nem no governo do PT o DEM (ex-PFL) suporta a ideia de ficar na oposição. Em uma reunião da executiva do partido em 2002, o então prefeito do Rio, César Maia, fez um discurso imaginando maneiras de aderir ao novo governo. "Se o PT aderir às ideias pefelistas, nós poderemos aderir ao governo Lula", disse. Na terceira vez que o prefeito maluquinho usou a palavra "aderir", ACM corrigiu: 
-- Não diga aderir, diga coincidir. 
A gargalhada foi geral.