Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 18/07/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“O ajuste fiscal caminha celeremente para ser desajuste social”

Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), criticando o ‘arrocho’ do governo

 

Pedido de vista pode complicar Cedraz de vez

O pedido de vista do presidente do TCU, Aroldo Cedraz, de processo de interesse da empreiteira UTC, pode ter selado a sua sorte. Datado de 14 de novembro de 2012, o pedido adiou por duas semanas a decisão sobre a anulação da licitação de obras na usina nuclear de Angra 3, afinal favorável à UTC. Se o achaque de R$ 1 milhão revelado por Ricardo Pessoa, dono da UTC, foi feito entre o pedido de vista e a decisão do TCU, a situação de Aroldo Cedraz se complicará de vez.

 

Informação privilegiada

O pedido de vista de Aroldo Cedraz pode ter-lhe possibilitado conhecer o teor do parecer do relator do caso, ministro Raimundo Carreiro.

 

Achaque de R$ 1 milhão

Ricardo Pessoa disse, em delação premiada, que Tiago, filho de Aroldo Cedraz, pediu-lhe R$ 1 milhão para o relator Raimundo Carreiro.

 

A esperança de Carreiro

Se antes do pedido de vista Carreiro já havia se posicionado contra a área técnica do TCU, que queria anular a licitação, isso pode isentá-lo.

 

Mesada de R$ 50 mil

Ricardo Pessoa contou também à Justiça que pagava R$ 50 mil por mês a Tiago Cedraz para receber “informações privilegiadas” do TCU.

 

Cunha reage para garantir Presidência da Câmara

Mesmo confirmado o indiciamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na Lava Jato, ele continua na presidência da Câmara. O Ministério Público deve indiciá-lo após a acusação de ter recebido propina da Petrobras, mas o presidente só pode ser cassado por deputados, após votação no Conselho de Ética, onde Cunha tem maioria absoluta, e no Plenário. Outra possibilidade é a renúncia de Cunha. Ele garantiu que não sai.

 

Caminho difícil

Pedido de cassação de mandato, no Conselho de Ética, por quebra de decoro, depende de representação de partido e votação no plenário.

 

Por aí, não

Segundo deputados da base aliada, Cunha tem força suficiente para “segurar” investigações que tramitarem na Corregedoria da Câmara.

 

Mão invisível

Cunha acredita que a delação de Júlio Camargo, da Toyo Setal, que o acusa de ter cobrado propina de US$ 5 milhões, tem “mão do governo”.

 

Reprise

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) vive situação semelhante a do ex-presidente da Câmara Severino Cavalcanti (PP), que renunciou ao cargo após acusação de recebimento de propina.

 

Lado ‘do bem’

A “jogada” de Eduardo Cunha de romper com o governo tem mais uma motivação: para evitar o “mesmo barco” dos enrolados na Lava Jato, Cunha pula para o “lado” dos 91% da população que rejeitam Dilma.

 

Pedala, Dilma

No Senado, o ministro Nelson Barbosa (Planejamento) e Luís Inácio Adams (AGU) entraram em contradição sobre as “pedaladas fiscais” de Dilma. Adams disse que nunca incidiu juros nos contratos com a Caixa. Barbosa falou que, apesar da incidência de juros, não era empréstimo.

 

Adesão ao Uber

A presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Celina Leão (PDT), cedeu aos apelos da filha, que adora o aplicativo Uber. Celina prometeu apoiar a causa, para desespero dos taxistas de Brasília.

 

Não está fácil

No DF a moda em 2015 é arrombar caixas eletrônicos. Este ano foram registrados 28 casos. São 17 a mais que em todo 2014. A Polícia Civil do DF investiga a suspeita de que os bandidos são de fora da capital.

 

Rose, a procurada

De acordo com dados do Google, três capitais lideram a busca pelo termo “Rosemary Noronha”: Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. A capital federal é onde há mais buscas pela amiga íntima de Lula.

 

Pouco representa

Discursos inflamados do deputado Alessandro Molon (PT) não mudam seu desempenho pífio em pesquisas para prefeito do Rio. Com 2,4%, no máximo, Molon perde, em todos os cenários, para o técnico de vôlei Bernardinho (PSDB). Os dados são do Instituto Paraná Pesquisas.

 

Intimidação?

Causou estranheza na CPI da Petrobras, perguntas do relator Luiz Sérgio (PT-RJ), ex-ministro da Articulação de Dilma, à viúva de José Janene: o petista indagou sobre a relação com Augusto Nardes, do TCU, justamente o responsável por investigar as ‘pedaladas fiscais’.

 

Pensando bem...

... enquanto o Congresso entra de recesso por 15 dias, o governo Dilma ainda não voltou das férias pós-eleições 2014.

PODER SEM PUDOR

Rolando o lero 

Interventor de Pernambuco, Agamenon Magalhães sabia do vazio entre as orelhas de um jovem parente, que faria vestibular na Faculdade de Direito. A seu pedido, o professor responsável lhe fez uma pergunta idiota:

- Qual é o rio que banha o Uruguai e cujo nome batizou o país?

O rapaz não soube responder e o professor resolveu ajudar ainda mais:

- Vou lhe dar uma dica: é o rio U-ru...

- Urubu! – respondeu o triunfante tolo.

O professor não se conteve:

- Vou aprová-lo por causa do dr. Agamenon, mas urubu é a mãe!...