Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 14/08/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Para mim foi um alívio”

Lucas Pace, operador da Lava Jato e agora delator, à CPI da Petrobras, sobre sua prisão

 

Lava Jato suspeita que TCU manipula acessos

A força-tarefa da Lava Jato suspeita de manipulação nos registros dos acessos do advogado Tiago Cedraz ao Tribunal de Contas da União. Filho do presidente do TCU, Aroldo Cedraz, ele foi alvo da Operação Politeia. É investigado por tráfico de influência. Das oito dezenas de acessos de Tiago ao TCU, cinco seriam para eventos e três a ministros que votaram contra processos do seu interesse. Muito conveniente.

 

Desconfiança

Os registros oficiais de acesso, inverossímeis e à medida da defesa de Tiago Cedraz na Lava Jato, deixaram os investigadores desconfiados.

 

Conveniente

Além da baixa confiabilidade nos registros do acesso de Tiago Cedraz na gestão do pai, sumiram do TCU os registros de gestões anteriores.

 

Roleta russa

Os registros de acesso ao TCU são objeto de investigação. Se ficar confirmada a manipulação, vai ficar ruim para o ministro Aroldo Cedraz.

 

Milionário

Aos 33, Tiago Cedraz acumulou R$ 13 milhões em imóveis, em menos de três anos, além de um jato Cessna, segundo O Estado de S. Paulo.

 

Dilma tenta manter PDT no Ministério do Trabalho

Após interferência do ex-presidente Lula, o PT decidiu abrir mão do Ministério do Trabalho. A reforma ministerial em discussão no Planalto vai começar com a demissão de Manoel Dias, atendendo a deputados do PDT, e deve rifar o secretário Nacional de Economia Solidária, Paul Singer, acusado de encalacrar pedidos dos pedetistas. A ideia de Lula é trazer de volta seu amigo, o ex-ministro e “dono” do PDT, Carlos Lupi.

 

Mão de ferro

Para Lula, Carlos Lupi é a “solução para acalmar o PDT”. O ex-ministro conseguiria controlar a bancada, que ignora o ministro Manoel Dias.

 

Ouvido moco

Na reunião, Lula disse que Dilma não escuta o PDT, histórico aliado do PT. Pedetistas se sentem mais próximos ao PT que ao PSDB, claro.

 

Empecilho

A fidelidade do PDT depende da liberação das nomeações travadas por Aloizio Mercadante (Casa Civil), criticado em toda Esplanada.

 

Carimbadora-geral

Virou rotina o ex-presidente Lula questionar a atuação de Dilma. Em encontro com senadores do PMDB, ele avisou que a petista vive enfurnada no Palácio do Planalto, “atuando como mera burocrata”.

 

Contraponto

Para combater as manifestações marcadas para 16 de agosto, Lula percorrerá o Brasil, durante todo o mês de agosto, participando de atos organizados por movimentos vinculados ao PT; muitos deles, como a Marcha das Margaridas, bancados com grana de bancos públicos.

 

Se colar...

Saiu do Palácio do Planalto a notícia de que Michel Temer articulava a eleição do ministro Edinho Araújo (Portos) para presidente da Câmara, no lugar de Eduardo Cunha. PMDB, PSD e PP não aceitam a manobra.

 

Confiança

O deputado Miro Teixeira (PROS-RJ) está confiante na criação do partido de Marina Silva, a Rede Sustentabilidade. “O registro da Rede deve sair ainda neste mês (de agosto)”, prometeu o futuro “redista”.

 

Lula longe

Pesquisa do Instituto Paraná em Minas Gerais deu número ao tamanho da repulsa ao ex-presidente Lula. Em Minas, 58,2% dos eleitores disseram que não votariam no petista para presidente “de jeito nenhum”. O levantamento foi realizado entre 4 e 9 de agosto, com 2.230 eleitores.

 

Cardápio indigesto

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, tem reunido, semanalmente, líderes da oposição e do governo. A viabilidade de impeachment de Dilma ainda é o assunto preferido do cardápio oferecido por Cunha.

 

Fidelidade partidária

O senador Reguffe (DF) confidenciou a aliados que não deixará o PDT para embarcar no Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva. Ele tem divergências com a cúpula do PDT, mas foi eleito pelo partido.

 

Futuro sombrio

Sem espaço entre os tucanos, o senador José Serra (SP) intensificou as conversas com o PMDB, que pode apostar no ex-governador de São Paulo para lançar candidato próprio à Presidência, em 2018.

 

Pensando bem...

... pacto, no Congresso, só se for de sangue.

PODER SEM PUDOR

Despacho on the rocks

O governador mineiro Hélio Garcia era famoso por não despachar com secretários. Houve quem jamais se reunisse a sós com ele. O titular da importante pasta de Obras, Maurício Pádua, levou três meses tentando agendar um despacho. Na hora marcada, chegou ao Palácio das Mangabeiras, residência oficial, e Garcia observou lá de cima que ele carregava grande volume de pastas. Orientou o ajudante de ordens:

- Eu não chamei o Maurício aqui para despachar, sô, mas para tomar uns uísques. Leve aquelas pastas de volta ao carro dele...