Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 04/09/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

Na conta do Partido dos Trabalhadores

Ricardo Pessoa, da empreiteira UTC, em depoimento ao MPF sobre o destino da propina

 

Petistas dão como certa delação de José Dirceu

Após a primeira aparição de José Dirceu desde que foi preso, velhos “companheiros de armas” se convenceram de que um acordo de delação premiada está mesmo em gestação. Ignorado pelo PT e com Lula recomendando sua desfiliação, Dirceu percebeu que está só. E que, aos 69 anos, corre o risco de morrer na prisão. É considerado a única testemunha que poderia levar o ex-presidente Lula à cadeia.

 

Reflexo da alma

Militante que acompanha José Dirceu há décadas observou, vendo-o pela TV na CPI: “Conheço aquele olhar, me dá arrepios, vem coisa aí”.

 

Anos de chumbo

Lula trata o ex-ministro com desdém porque conta com seu silêncio. Frio, disciplinado, ele resistiria até a tortura, nos tempos de chumbo.

 

Anos amorosos

O que Lula não conhece é o “novo Zé Dirceu”, pai amoroso de uma garotinha que se transformou em xodó e sua única fonte de alegria.

 

Longe do PT, perto da filha

Antes de ser preso, Dirceu revelou a amigos o principal projeto de vida: acompanhar o crescimento de Maria Antonia, que vai completar 6 anos.

 

Dilma pede ajuda a Temer para evitar ‘bomba’

Isolada, a presidente Dilma pediu socorro ao vice-presidente Michel Temer, ex-articulador-geral, para barrar a sessão do Congresso que discutiria o veto ao reajuste do Judiciário. Ela já está convencida que a Câmara derrubará o veto. Trata-se de “retaliação” ao governo, que prometeu a liberação de R$ 500 milhões em emendas parlamentares, mas não cumpriu o acordo. Dilma foi categórica: “Não há recursos”.

 

Desfazendo a meta

Dilma avisou que os recursos seriam aplicados na Saúde, mas acabou limitando a verba ao Sistema Único de Saúde. Agora, nem isso...

 

Teoria e prática

Nos municípios, os parlamentares foram cobrados por prefeitos, mas ficaram na mão. Lembraram que o Orçamento deveria ser impositivo.

 

Bombeiro

O vice Michel Temer interveio no Senado e conseguiu que a sessão de 4ª-feira fosse cancelada. Havia 37 dos 41 senadores necessários.

 

Joga pedra

Parlamentares engrossaram o coro pela demissão do ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil). Eleito a “Geni” do governo, ele é apontado como o responsável por brecar a liberação de emendas parlamentares.

 

Sinal amarelo

Levantamento do instituto Exata acendeu o sinal amarelo no governo do DF. A rejeição ao governador Rodrigo Rollemberg (PSB) mais que dobrou em apenas cinco meses; pulou de 22%, em fevereiro, para 47% em agosto; 46 % aprovam o governo do DF, contra 47% em fevereiro.

 

Terreno improdutivo

Integrante da CPI que apura a roubalheira na Petrobras, Eliziane Gama (PPS-MA) divulga, nesta sexta, “Carta aberta à população”. A CPI se transformou em “ambiente pantanoso, intimidador e desmoralizado”.

 

Olho gordo

“O país vai ter que olhar o lado da arrecadação”, diz o deputado Henrique Fontana (PT-RS) sobre ressuscitar a CPMF. Reduzir os gastos públicos o PT não defende. Prefere “punir” o contribuinte.

 

Macho alfa

Virou chacota a proposta de Cristiane Brasil (PTB-RJ) para restringir o uso de decotes na Câmara. Mas só o deputado Mendonça Filho (DEM-PE) foi contrário em causa própria: “Vai acabar a graça desta Casa”.

 

Oportunismo

Circula na internet um abaixo assinado contra o projeto que acrescenta “Ex-Governador Eduardo Campos” à denominação do Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes Sociólogo Gilberto Freire. Campos faleceu em desastre aéreo, por isso a ideia considerada de mau gosto.

 

Petrobras nada transparente

O presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, tem se esquivado de prestar esclarecimentos à Comissão de Trabalho da Câmara sobre o impacto causado pelas paralisações de obras da Petrobras. A falta de Bendine vai motivar a convocação de Eduardo Braga (Minas e Energia)

 

Braço direito

Na reunião entre os sete governadores do PMDB com Michel Temer, Eduardo Cunha e Renan Calheiros, na próxima terça (8), ao menos um deles vai defender Dilma: o governador Luiz Fernando Pezão (RJ).

 

Pensando bem...

... Dilma poderia “esquecer” o contribuinte e cobrar a conta da crise das autoridades, taxando (altos) vencimentos, bônus e benesses.

PODER SEM PUDOR

Como fugir de jornalista

Luiz Cláudio Cunha entrevistava ACM, então governador da Bahia, para o perfil na revista Playboy que ganhou o magnífico título “Deus e o Diabo na terra do Sol”, quando, no cafezinho pós-almoço, alguém avisou:

- Jornalista Clóvis Rossi ao telefone, governador.

ACM queria evitar o repórter da Folha. Meteu uma garfada na boca:

- Aô, bubo bem? – disse ao telefone, de boca cheia.

Rossi concluiu que interrompera o governador em pleno almoço, desculpou-se e desligou. Ele não teve nova chance.