Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 09/09/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“O governo não definiu ainda o caminho. Temos esse déficit.”

Líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), sobre o aumento de impostos

 

Plano de fronteiras ‘não existe’, conclui TCU

O governo Dilma vai enfrentar mais uma confusão a partir desta quarta-feira: o ministro Augusto Nardes, relator do Tribunal de Contas da União no caso das “pedaladas fiscais” do governo Dilma, irá divulgar um relatório em que avalia a atual situação do Plano Nacional de Fronteiras. Nardes concluiu que o plano, que permitiria ao Planalto coordenar a proteção à fronteira brasileira, simplesmente não existe.

 

Plano para quê?

Com 16 mil km de fronteiras com dez países, o Brasil é o 2º maior consumidor de cocaína e derivados do mundo, segundo a Unifesp.

 

Factoide

Um dos primeiros “factoides” do governo Dilma, o Plano Nacional de Fronteiras foi lançado em junho de 2011 e realizou só duas operações.

 

Inexpressivo

O balanço do PNF são duas operações realizadas entre 2011 e 2012: a Op. Sentinela e a Op. Ágata, que apreenderam juntas 850t de drogas.

 

Comparativo

Em junho deste ano, a Polícia Federal apreendeu 21,3 toneladas de drogas só na fronteira do Mato Grosso do Sul com Paraguai e Bolívia.

 

Queda do real ‘derrete’ salários dos diplomatas

A desvalorização do real em relação ao dólar, que já ultrapassa os R$ 3,80 no câmbio oficial, derrete os salários dos diplomatas brasileiros. Os vencimentos são convertidos para dólares, quando servem no exterior, mas, como não podem ganhar mais que ministro do Supremo Tribunal Federal, vale a regra do “abate-teto”. Com isso, os salários de sofrem redução em até 1.200 dólares (ou R$ 4.560) mensais.

 

 

Na real

A cotação do dólar chegou a R$ 3,80 no câmbio oficial, sexta (4). No câmbio da vida como ela é, já ultrapassa os R$ 4,20.

 

Detalhe

Diplomatas não recebem mais que ministros do STF, mas no exterior eles pagam contas em dólares, euros e libras. Os ministros, em reais.

 

Drama

Diplomatas fazem relatos dramáticos sobre prestações, escolas dos filhos, etc, que já não podem pagar, com a queda do real e dos salários

 

Linha cruzada

O governo voltou a irritar o Congresso ao anunciar novo corte nas emendas, que passaram de R$ 8,38 milhões para R$ 7,82 milhões por parlamentar. Inicialmente, o valor previsto era R$ 16 milhões.

 

Boquinha de siri

Na reunião da equipe de articulação do Planalto, nesta terça (8), uma pauta estava proibida: a investigação dos ministros Aloízio Mercadante (Casa Civil) e Edinho Silva (Comunicação), enrolados na Lava Jato.

 

Muita calma...

Eduardo Cunha prometeu à oposição que não vai aderir ao governo Dilma, mas avisou que é preciso reduzir o tom beligerante. Para ele, o importante é garantir a governabilidade e a estabilidade econômica.

 

Paulinho vira réu

O deputado Paulinho da Força (SD-SP) virou réu no Supremo Tribunal Federal por crime contra o sistema financeiro, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, em escândalo de desvios do banco BNDES.

 

Terreno baldio

O vice-presidente Michel Temer se irritou com Dilma. Incentivada por Aloizio Mercadante, a petista avançou em assuntos que eram tratados apenas por Temer, quando ainda chefiava a articulação política.

 

Fui

O deputado federal Glauber Braga (RJ) vai sair do PSB. Pesou o clima desde que o senador Romário (RJ) tomou seu lugar na presidência do PSB do Rio. Braga flertou com PCdoB, mas deve ir para o PSOL.

 

 

Mudança na estratégia

A oposição já negocia com partidos da base aliada do governo para aumentar a pressão sobre Dilma, alegando que ela “não tem condições de ficar no cargo e deve renunciar”. A ideia é afastar a pecha de “golpe” do impeachment, deixado em segundo plano, e insistir na renúncia.

 

Encrenca à vista

O presidente da CPI do BNDES, Marcos Rotta (PMDB-AM), encerra nesta semana as audiências com ex-presidentes do banco. E prevê confusão na votação de novas convocações e de quebras de sigilos.

 

Pensando bem...

... faz todo o sentido que uma presidente sem estratégia não tenha recebido o ministro de Assuntos Estratégicos no segundo mandato.

PODER SEM PUDOR

Não é a mamãe

Carlos Lacerda fazia mais um demolidor discurso, na Câmara dos Deputados, contra o “mar de lama” do governo Getúlio Vargas.

A deputada Ivete Vargas, sobrinha do presidente, pedia – em vão – um aparte. Cansada da insistência e muito irritada, Ivete perdeu a paciência:

- F.D.P! – gritou ao microfone.

- Vossa Excelência é muito nova para ser minha mãe! – respondeu Lacerda, na bucha, arrancando gargalhadas do plenário.