Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 16/09/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“A cada contrato, um pagamento”

Dono da empreiteira UTC, Ricardo Pessoa sobre a logística do esquema do Petrolão

 

Faltam só 22 deputados para iniciar impeachment

Os líderes de oposição ouviram todos os deputados federais, por meio de questionário preenchido sob garantia de anonimato, e constatou o crescimento do apoio ao impeachment de Dilma. Há poucas semanas eram 255 os deputados que apoiavam, agora são 286. Faltam apenas 22 dos 308 votos necessários para abrir o processo. A pesquisa tem anuência, não a participação, do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

 

Começou a partida

O impeachment teve início com questão de ordem apresentada por Mendonça Filho (DEM-PE), pedindo esclarecimento do procedimento.

 

Embasamento jurídico

Na quinta (17), os oposicionistas recebem na Câmara os juristas Miguel Reale Júnior e Hélio Bicudo, para consolidar o pedido de impeachment.

 

Estratégia

A oposição aguarda nova rodada de pesquisa de popularidade de Dilma para levar a proposta às ruas e abrir o processo.

 

Batata quente

A situação de Dilma piorou com o “pacote” pífio. O tucano Bruno Araújo (PSDB-PE) observa: “Ela levou a crise para o Palácio do Planalto”.

 

Dilma queria reduzir jornada e salários na Justiça

Quando ainda considerava cortar metade dos terceirizados e fixar meta de redução de 30% dos servidores efetivos, a presidente Dilma fez chegar ao ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal, como se fora um auxiliar, a “recomendação” de criar jornada de seis horas no Judiciário, com redução de adicionais e gratificações e apoio à extinção do direito adquirido no serviço público.

 

Ok, vou pensar

Fontes do Planalto afirmam que Lewandowski não recebeu bem as “sugestões” de Dilma, mas elegantemente prometeu estudá-las.

 

Universidades incluídas

O governo estuda uma medida explosiva: implantar nas universidades federais a jornada de seis horas, com redução de gratificações.

 

Fim da exclusividade

Medida avaliada no governo cancela a “dedicação exclusiva” nas universidades, cortando as respectivas gratificações dos professores.

 

Porto irregular

O deputado Betinho Gomes (PSDB-PE) pediu a convocação do ministro Aloizio Mercadante para depor na CPI do BNDES sobre a suspeita regularização do porto irregular da Odebrecht em Santos.

 

Embraport investigado

A força-tarefa da Lava Jato investiga ao caso do terminal de contêiner Embraport, construído irregularmente pela Odebrecht em Santos, e regularizado por decreto pela amiga do peito Dilma Rousseff, um mês depois de inaugurado. A iniciativa foi da Polícia Federal.

 

Trabalho em casa

Dilma está fascinada com a “jornada remota” de servidores, em casa, condicionando gratificações e adicionais ao desempenho. Com isso, as repartições seriam esvaziadas e devolvidos os prédios alugados.

 

Tamos aí

Nesta terça (15), Eduardo Cunha fez questão de manter-se fisicamente próximo ao lançamento do Movimento Parlamentar Pró Impeachment. Tecnicamente ele não compareceu ao ato, mas esteve por perto.

 

Articulação desastrada

Com o “articulador político” trapalhão Aloizio Mercadante ao lado, Dilma nem precisa de oposição. Ele convidou três ex-senadores do Amapá para a comitiva presidencial à inauguração do aeroporto de Macapá, sexta (11). Esqueceu de convidar os atuais. Talvez nem os conheça.

 

Anote aí, mané

O líder do PSB no Senado, João Capiberibe (AP), enviou um irônico ofício a Dilma sugerindo que ela mande o ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil) atualizar sua lista de senadores do Amapá.

 

Prefeito Tuma

Partidos como PTC tentam convencer o ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Jr. a topar a candidatura a prefeito de São Paulo. Antipetista e filho do saudoso senador, Tuma Jr. pensa no assunto.

 

Continua influente

O ex-secretário da Casa Civil do governo do DF Hélio Doyle foi ouvido nas decisões de corte de Rodrigo Rollemberg. O governador continua dependente da experiência do ex-secretário. E provoca mais ciumeira. 

 

Desmentido categórico

Não é verdade que Dilma foi vista, disfarçada, entre refugiados que tentavam asilo na Europa.

PODER SEM PUDOR

Torcedor sofredor

A linha dura não gostava de votos, nem de políticos, mas teve sempre uma bancada fiel, no Congresso. O deputado Jorge Arbage (PA) era um entusiasta do jeito tanque de guerra de ser do ex-ministro do Exército Sylvio Frota, por isso ficou abatido quando Ernesto Geisel demitiu o general, em 1977, após o assassinato de opositores no Doi-Codi. Arbage ainda estava abatido quando cruzou com o então deputado paranaense Álvaro Dias. A uma provocação, desabafou:

- Isto é como futebol. Perder um jogo não significa perder o campeonato.

Arbage sofreu o pior que pode acontecer a um torcedor: viu o seu time perder o jogo e também o campeonato.