Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 12/11/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“São números que apontam para um cenário recessivo

Henrique Meirelles, fazendo a maior pose de futuro ministro da Fazenda

 

Fundo partidário abre cofres públicos aos políticos

A classe política encontrou uma maneira segura de meter a mão do dinheiro público sem o risco de encarar operações policiais, CPIs ou juízes desassombrados. O Fundo Partidário, com dinheiro do Tesouro Nacional, já distribuiu somente este ano R$ 676 milhões aos partidos. O butim não terminou: até o fim do ano serão mais R$ 135,2 milhões – e terão embolsado R$ 811 milhões em um ano que não houve eleição.

 

Petrolão para quê?

Além das burras abertas do governo, o PT tem o Fundo Partidário à disposição Foi o que mais faturou, até outubro: R$ 90,7 milhões.

 

Tucanos endinheirados

A conta recheada do PSDB talvez explique uma certa pasmaceira no maior partido de oposição: foram R$ 74,2 milhões do fundo partidário.

 

Montados na grana

O PMDB não economiza alfinetadas no governo, até porque a grana do PT não lhe faz falta: faturou R$ 72,4 milhões do Fundo, só em 2015.

 

Virou grande negócio

Os partidos Rede de Marina Silva e um tal Novo, recém-criados, já participam do butim: cada um já levou R$ 196 mil do Fundo Partidário.

 

TCU cobra R$3,7 milhões de obra superfaturada

O Tribunal de Contas da União (TCU) cobrou do ex-presidente da Cia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), José Di Bella Filho, e do ex-consultor do Centro de Excelência de Engenharia em Transportes (Centran), Odmir Andrade, a devolução de R$ 3,7 milhões. O Tribunal detectou superfaturamento em obra de dragagem do Porto de Santos, em contrato da Secretaria de Portos com o Consórcio Draga Brasil.

 

Mais condenações

Foram condenados ainda Jorge Luiz Zuma, José Carlos Lomba, José Cupertino de Oliveira Sampaio, Leopoldo Spinola Bittencourt.

 

Defesa

O Tribunal de Contas deu prazo de 15 dias para que os condenados apresentem defesa e/ou recolham o valor aos cofres da Codesp.

 

Consórcio suspeito

O Consórcio Brasil é formado por EIT Empresa Industrial Técnica, DTA Engenharia, Equipav Pavimentação e Comércio e Chec Dredging e Co.

 

Chamem o Papa

Pesquisa do PMDB quis saber qual é o mais apto para fazer o País sair do atoleiro. A resposta majoritária dos brasileiros foi uma surpresa: papa Francisco. Mas não consta que ele pretenda se filiar ao partido.

 

Muro faz mal à imagem

O PSDB decidiu romper com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, porque pesquisas mostraram que, apesar da roubalheira generalizada no governo petista, o maior partido de oposição não obteve qualquer ganho de imagem. Ao contrário: é colocado no mesmo nível dos outros.

 

AI-5 de Dilma

A medida provisória para intimidar caminhoneiros, chamada de “AI-5 de Dilma”, pode resultar na convocação dos ministros da Justiça e Casa Civil para explicar por que só o MST pode bloquear rodovias à vontade.

 

Papo antigo

A conspiração de Lula para substituir Joaquim Levy por Henrique Meirelles na Fazenda foi revelada nesta coluna. E motivou um pedido de demissão do ministro, rechaçado por Dilma, há quatro semanas.

 

Não vai com a cara

O maior empecilho para Henrique Meirelles no Ministério da Fazenda, como sonha Lula, é que a presidente Dilma o detesta. Ela já disse a Lula e a políticos aliados que sente “desprezo” pelo ex-banqueiro.

 

Cadê o amigo?

Em vez de ir à Justiça para obrigar seu partido, o PT, a pagar os R$ 6,8 milhões que lhe deve, o publicitário Valdemir Garreta poderia recorrer ao amigo Rui Falcão, o presidente do PT, que sempre o empurrou nas campanhas do partido, até mesmo pisando pescoços alheios.

 

Cochilou, dançou

Foi cochilo governista que resultou no convite a Lula para explicar o “discurso de ódio” da CUT. José Priante (PMDB-PA), presidente da Comissão de Segurança, que chegou atrasado à reunião, ficou furioso.

 

Indignação seletiva

O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) chamou de “seletiva” a revolta do PT sobre a greve dos caminhoneiros: “Ninguém do PT condenou as interrupções de tráfego promovidas pelo MST ou pelo MTST”.

 

Pensando bem...

...se Eduardo Cunha ganhou milhões vendendo carne, como diz, não resta dúvida. A carne é Friboi.

 

PODER SEM PUDOR

Times do coração

Nas conversas inusitadas sobre futebol, durante a inauguração do Castelão, em Fortaleza, Dilma gostou do nome de um dos times mais antigos do Ceará: Calouros do Ar. E disse que o adotaria como o seu. Nesse exato instante chegou o saudoso governador de Pernambuco, Eduardo Campos. E Dilma foi logo perguntando:

- E você, Eduardo?

O pernambucano arregalou os olhos verdes e jurou, assustado:

- Vou terminar no prazo, presidente!

Dilma deu uma gargalhada e disse que não perguntou sobre o estádio Arena Pernambuco, o mais atrasado de todos, mas pelo seu time do coração. Eduardo revelou: Náutico.