Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 24/11/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“Vai ter de ser ‘renunciado’”

FHC sobre a hipótese de Eduardo Cunha não renunciar à presidência da Câmara

 

Brasil dá vexame com o descaso ao terrorismo

A presidente Dilma deixou líderes mundiais perplexos, ao declarar na Turquia, durante a reunião do G20, que o Brasil está “longe do foco do terrorismo”. Sua afirmação, três dias após o ataque a Paris, precipitou a visita do ministro francês Laurent Fabius a Brasília em pleno domingo. O chanceler socialista foi embora atônito com sinais de “desinteresse” de Dilma pelo tema, a menos de um ano das Olimpíadas 2016 no Rio.

 

Irresponsáveis

O Brasil promete investir R$ 930 milhões em segurança, para os Jogos Olímpicos. Em 2004, a Grécia investiu seis vezes mais: R$ 5,7 bilhões.

 

Loroteiros

Com o terror em Paris, o governo do Brasil admitiu gastar 15% a mais, em segurança. Mas, até agora, gastou apenas 10% do total prometido.

 

Terrorista ‘herói’

Além de não investir em segurança, o governo – que abriga o terrorista italiano Cesare Battisti – resiste a uma legislação contra terrorismo.

 

Só sob ameaça

Após embromar durante anos, somente sob ameaça de sanções internacionais Dilma encaminhou ao Congresso um projeto antiterror.

 

PSDB assedia o PMDB, mas acaba rejeitado

Com objetivo de tentar isolar a presidente Dilma e fazê-la “sangrar”, o PSDB voltou a tentar aproximação com o PMDB, mas sem sucesso. O vice-presidente Michel Temer deixou claro aos tucanos que a decisão do recente congresso do partido é mesmo para valer. Temer informou que enquanto o PMDB não discutir o rompimento com o PT, o que somente vai ocorrer em 2018, está fechado a outros entendimentos.

 

Atrasou, mané

Como sempre tardiamente, o PSDB designou uma equipe jurídica para vasculhar CPIs, como a do BNDES, para turbinar o impeachment.

 

Leitura pedagógica

Juristas consultados pela cúpula tucana sugeriram a leitura dos artigos 85 e 86 da Constituição, que tratam de impeachment.

 

Sobram motivos

São motivos para impeachment, entre outros, improbidade do governo e o desrespeito à lei orçamentária, no caso das “pedaladas fiscais”.

 

A vitória de Macri

A campanha do candidato de Cristina Kirchner seguiu o modelito Dilma de 2014, aterrorizando eleitores dependentes das benesses sociais. Os argentinos não se abalaram: elegeram o oposicionista Maurício Macri.

 

Haddad na mira

Candidata à prefeitura de São Paulo, a senadora Marta Suplicy (PMDB) decidiu endurecer as críticas ao atual prefeito, Fernando Haddad (PT), tão ruim de serviço que até perdeu votos entre os mais pobres. Ela recebeu em sua casa o vice Michel Temer, para tratar do assunto.

 

Inclua-me fora

Com Dilma presente, Michel Temer evita a articulação política. Semana passada, enquanto ela viajava, ele foi às reuniões. Nesta segunda (23), mesmo sem compromissos na agenda, ele preferiu não dar as caras.

 

Má impressão

O chanceler francês Laurant Fabius deixou o Brasil mal impressionado com os palpites do aspone Marco Aurélio Top-Top Garcia durante a conversa com Dilma, domingo. Parecia ser ele o chanceler brasileiro.

 

Ela é um terror

O desinteresse de Dilma por uma lei contra o terrorismo foi registrado em 2008, num telegrama do então embaixador americano em Brasília, Clifford Sobel, vazado pelo site WikiLeaks. Dilma era chefe da Casa Civil do governo Lula e Sobel não tinha dúvidas: ela sepultou o projeto.

 

Alternativa

Os tucanos Geraldo Alckmin, FHC e Aécio Neves se reuniram nesta segunda (23) para afinar o discurso do PSDB, que continua perdendo o bonde dos acontecimentos. Querem os tucanos além do impeachment.

 

Que crise?

José Olympio Pereira preside o Credit Suisse no Brasil, mas foi notícia no Real Deal, site imobiliário americano, por lucrar US$ 2,75 milhões (R$10,4 milhões) na venda de um apartamento em Key Biscayne, comprado em 2014. Valor da venda: US$ 7,75 milhões (R$ 28 milhões)

 

Obra imaginária

Cristovam Buarque (PDT-DF) e Cássio Cunha Lima (PB) apresentaram requerimento para que o Senado discuta, no plenário, a transposição do São Francisco. A obra continua inconclusa.

 

Pensando bem...

...além de fazer oposição apenas de segunda a sexta, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, vive torcendo por um feriado no meio.

 

PODER SEM PUDOR

Nivelando por baixo

O jornalista Oliveira Bastos visitava no Rio o então presidente do BNDES na primeira fase do governo JK, embaixador Roberto Campos. No lado de fora do prédio, manifestantes exigiam a cabeça de Campos, acusando-o de “tramar contra os interesses nacionais”. Naquele dia, o ex-embaixador mostrou um momento de senso de humor rastaquera:

- O que mais me irrita é a falta de precisão da linguagem deles. Está bem, dá para entender que eles querem a minha cabeça, mas qual delas? Se for esta aqui – disse, apontando o próprio órgão genital – não tem acordo!