Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 01/12/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
CLÁUDIO HUMBERTO

“Ela [Dilma] não consegue ter a liderança do Congresso”

Aécio Neves, presidente do PSDB, para quem Dilma não tem força no parlamento

 

Paraguai chantageia Petrobras e governo se omite

O Brasil anda tão desmoralizado que o Paraguai resolveu chantagear a Petrobras. O Ministério de Indústria não deixa a subsidiária local da Petrobras importar nafta virgem, não vende o produto e proíbe, sob ameaça, outras distribuidoras de fornecer a matéria-prima, essencial à produção gasolina. Tudo porque exige que a Petrobras compre diesel e gasolina da estatal Petropar, a preços superiores aos de mercado. O governo brasileiro mantém obsequioso silêncio à grave agressão.

 

Eternidade

A demora na liberação da matéria prima para a produção da gasolina e do diesel provoca prejuízos incalculáveis à Petrobras.

 

Pressão paraguaia

A Petrobras é pressionada a comprar gasolina e diesel da estatal Petroleos Paraguayos (Petropar), a preços superiores aos de mercado.

 

Prática antiga

São antigas as pressões do Paraguai para obter vantagens do Brasil. Nos corredores de Itaipu Binacional já virou piada.

 

Não pode

A Lei de Improbidade Administrativa na administração direta e nas empresas de economia mista do Brasil proíbe a compra superfaturada.

 

Apesar das suspeitas, TCU reconduzirá Cedraz

Mesmo constrangidos com as denúncias que o envolvem e a seu filho, advogado Tiago Cedraz, os ministros do Tribunal de Contas da União, devem confirmar Aroldo Cedraz para mais dois anos na presidência do TCU nesta terça (1º), como é praxe naquela corte. É que o Supremo Tribunal Federal ainda não permitiu acesso do TCU ao inquérito que implicaria gravemente os Cedraz, pai e filho, na Operação Lava Jato.

 

Vice no mesmo barco

Além de Aroldo Cedraz, o TCU deve reconduzir o vice-presidente Raimundo Carreiro, também gravemente afetado pelas denúncias.

 

Sem o STF, nada feito

“Com as provas em mãos, o TCU não reconduziria Cedraz e ainda o excluiria do tribunal, aposentando-o”, garantiu um ministro à coluna.

 

O tempo da Justiça

O ministro Walton Alencar Rodrigues, que atua como corregedor do TCU, insistiu, mas foi inútil: “É preciso esperar”, dizem no STF.

 

UTC diz que pagou

Em delação premiada, Ricardo Pessoa, da UTC, disse que pagava R$ 50 mil mensais a Tiago Cedraz, filho do ministro, por informações privilegiadas sobre assuntos do seu interesse no TCU, e R$ 1 milhão pela decisão que o favoreceu, na licitação da obra da usina de Angra 3.

 

Lula, o inimputável

Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC, declarou às autoridades que doou dinheiro surrupiado da Petrobras à campanha de Lula à reeleição, em 2006. E Lula não é considerado suspeito?

 

Amigo nada secreto

Apostando no constrangimento de Lula, a CPI do BNDES manteve a sessão marcada para esta terça-feira para ouvir o pecuarista José Carlos Bumlai, amigão do ex-presidente. A oposição quer pressioná-lo.

 

Negócio da... África

O banqueiro André Esteves, preso na Lava Jato, comprou a prazo 50% da Petrobras África, por US$ 1,5 bilhão. O valor estimado pela estatal era R$ 6 bilhões. A negociação foi direta e não houve concorrentes.

 

Azedando

O Planalto espalha ter percebido “benevolência” de Renan Calheiros, no Senado. De olho no ajuste fiscal, Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) são o termômetro de Madame.

 

Procurador faz apelo

O procurador do Ministério Público junto ao TCU, Júlio Marcelo Oliveira, conhecido por sua independência, endereçou apelo aos ministros do TCU para não reconduzirem Cedraz à sua presidência.

 

Em nome da credibilidade

Baluarte na guerra à corrupção, Gil Castelo Branco, da ONG Contas Abertas, lembrou que a sociedade tem o direito de exigir que não exista qualquer suspeita de tráfico de influência, vendas de decisões etc. “relacionadas ao presidente do Tribunal.”

 

Prego com estopa

Dilma ignorou de novo a via diplomática para fazer do aspone Top-Top Garcia portador de carta ao colega Nicolás Maduro. No texto sigiloso, a presidente pede “transparência” nas eleições do dia 6. Confirmada a fraude anunciada, ela poderá dizer depois que avisou o Maduro.

 

Números da denúncia

A gravação de 1h35min da trama do senador Delcídio para obstruir a Lava Jato foi ouvida mais de 7 mil vezes no site Diário do Poder em 48h.

 

PODER SEM PUDOR

Chá e sono pós-golpe

Dois dias depois do golpe militar de 1964, ainda vivendo incertezas, o presidente interino Ranieri Mazzili sumiu do Palácio Alvorada. Saiu com um assessor de sua confiança. Soube-se depois que ele foi para um pequeno apartamento na Asa Norte de Brasília, onde morava Hamilton, seu barbeiro na Câmara dos Deputados. Foi entrando e perguntando:

- Meu chazinho está pronto?

Tomou o chá e dormiu, sentindo-se em segurança.