Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 16/12/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“O governo quer desviar a mídia do processo de impeachment

Eduardo Cunha atribuindo a operação policial de que foi alvo a ‘cortina de fumaça’

 

Temer acha que Planalto soube antes da operação

O vice Michel Temer e seus aliados mais próximos trabalham com a certeza de que o Palácio do Planalto estaria informado desde a semana passada sobre a Operação Catilinária, deflagrada ontem, com o cumprimento de 53 mandados de busca e apreensão. Assessores de Dilma comemoravam no fim de semana a iminente “ação contra Eduardo Cunha”, por provocação da Procuradoria-Geral da República.

 

Antecipando-se

Para a turma de Temer, Dilma sabia quando, na quinta (10), demitiu Fábio Cleto, vice-presidente da Caixa, um dos alvos da PF, ontem.

 

Faltou um

Apesar de saber da operação, como acha o PMDB, Dilma não demitiu o ministro Celso Pansera (Ciência), ligado a Cunha como Fábio Cleto.

 

Diz aí

Temer não se manifestou sobre a desconfiança de que o Planalto sabia da operação da PF, mas seus amigos garantem que é o que ele pensa.

 

Que operação?

O vice discutiu por horas eventual nota oficial apoiando a investigação da PF, mas recuou. Concluiu – só ele – que o partido não foi atingido.

 

Sujeito a pena longa, Bumlai deve fazer acordo

Sujeito a pena de prisão superior a 19 anos, porque as sentenças do juiz federal Sergio Moro são sempre muito severas, o fazendeiro José Carlos Bumlai voltou a ser pressionado pela família a considerar um acordo de delação premiada, a fim de tentar diminuir a sentença. Moro não pegou leve quando julgou crimes de lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, corrupção ativa e passiva, na Operação Lava Jato.

 

Sobrou para o filho

O temor dos familiares de Bumlai tem a ver sobretudo com questões afetivas, porque seu filho e sua nora acabaram metidos no rolo.

 

A casa pode cair

Em seu depoimento, Bumlai isentou o amigo Lula, mas, se fizer mesmo acordo de delação, terá de contar tudo o que sabe. Aí a casa cai.

 

Que Lula que nada

Com o patriarca e o filho presos, os Bumlai temem a destruição da família e dos seus negócios, mais importantes que a amizade a Lula

 

Onde o povo está

O levantamento do Instituto Paraná Pesquisas para o site Diário do Poder, indicando que Dilma tem a repulsa de 83,8% no Estado, fará o governador Pezão e o prefeito Paes repensar o apoio extremado a ela.

 

#foradilma

Já a pesquisa nacional pelo Ibope, divulgado nesta terça (15), mostrou que só 9% dos eleitores aprovam o governo Dilma, 70% a rejeitam e espantosos 59,6% dos brasileiros querem o impeachment dela.

 

Descrença

Nem o PCdoB acredita em vitória na ação que pede a nulidade do impeachment de Dilma, no Supremo Tribunal Federal. Técnicos do STF recomendam a rejeição. A tendência seria manter até o voto secreto.

 

Sujeira no tapete

O Banco do Brasil dificulta a remessa de dados bancários de agências de publicidade ligadas ao PT. A instituição retificou as informações ao menos cinco vezes, sempre com dados incompletos e imprecisos.

 

Gastos no BNDES

O sub-relator da CPI do BNDES, deputado Alexandre Baldy (PSDB-GO), descobriu que gastos com propaganda do banco chegaram a R$ 6,5 milhões em setembro. Baldy quer a prorrogação da CPI por 60 dias.

 

Boa nova

O presidente da GOL, Paulo Kalinoff, confirmou ontem ao governador Renan Filho, que a empresa inicia em março o trecho Maceió-Buenos Aires, primeiro voo internacional de empresa brasileira em Alagoas.

 

Lula, o inimputável

Bumlai obteve R$12 milhões do banco Schahin para a campanha de Lula. A Petrobras, subordinada a Lula, recebeu ordem para dar um contrato bilionário a Schahin como pagamento do empréstimo. E Lula não é investigado?!

 

Ladrão documentado

Após assaltar um ônibus, em Brasília, o ladrão Gabriel André de Carvalho Pereira, 18, pulou pela janela e deixou para trás seu RG nº 3.316.381. “Assim, a investigação fica sem graça”, queixou-se o delegado Miguel Lucena, responsável pelo inquérito.

 

Presente grego

No final de sua mensagem de cumprimento de aniversário a Dilma, o deputado Fernando Francischini (SD-PR) desejou “feliz impeachment”.

PODER SEM PUDOR

Álcool ruim é o que acabou

Ministro de Ernesto Geisel, Mário Henrique Simonsen recebeu um repórter do New York Times, que no final o provocou:

- Ministro, desculpe se achar a pergunta indelicada, mas dizem que o senhor sofre restrições de algumas áreas do governo porque é dado ao álcool. Isso é verdade?

Simonsen tirou de letra, com bom humor:

- Só quando acaba o uísque.

O austero general Geisel o demitiu assim que soube da resposta.