Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 31/03/2016
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Nós fomos vítimas de um golpe”

Janaina Paschoal, jurista, ao explicar os crimes de responsabilidade de Dilma

 

De 300 prefeitos, só 8 apareceram no Planalto

A presidente Dilma enfrenta dificuldade até para reunir representantes da parcela de 10% da população que, segundo o Ibope, ainda a apoia. Em mais um comício no Palácio do Planalto, ontem, a pretexto de lançar a terceira fase do “Minha Casa, Minha Vida”, apareceram apenas oito dos cerca de 300 prefeitos convidados, para espanto do cerimonial, que teve de se virar para juntar gente e fazer volume.

 

Maioria era do PMDB

A maioria dos 300 prefeitos ausentes eram do PMDB. Neutralizaram a jogada malandra para atribuir a ruptura com Dilma à cúpula do partido.

 

Claque acionada

Para preencher as cadeiras vazias, no “comício” do Planalto, foram chamados às pressas sindicalistas da CUT e militantes do PT.

 

Lorota em coro

De novo acionada para fazer número, a claque petista é que entoa em coro a lorota “não vai ter golpe”, já desmentida por ministros do STF.

 

Repulsa acachapante

Pesquisa do Ibope/CNI, divulgada ontem, indicou que 82% da população reprovam a maneira de Dilma governar.

 

Dilma tenta apoio até de político com tornozeleira

Para oferecer ao ex-deputado mensaleiro Valdemar Costa Neto (SP) a indicação do ministro de Minas e Energia, em nome do PR, do qual é controlador, Dilma foi obrigada a enviar emissários para uma conversa de pé-de-orelha. Ela não poderia convidá-lo a um cafezinho porque, usando tornozeleira eletrônica, ele não pode se afastar mais que 200m de onde mora e trabalha, em Brasília, em regime de prisão domiciliar.

 

Conchavo de presidentes

Logo cedo, ontem, Valdemar Costa Neto recebeu a visita do presidente do PP, Ciro Nogueira. Eles negociaram uma aliança no impeachment.

 

PP e PR se cacifam

Somadas, as bancadas do PR e PP somam 89 votos na Câmara, por isso o apoio do bloco será determinante, para Dilma ou Michel Temer.

 

Um pé em cada canoa

No Congresso, políticos experientes acham que PP e PR vão apoiar Dilma, mas dirão a Michel Temer que isso é só por enquanto.

 

Sem intermediários

Partidos aliados do governo queixam-se da falta de interlocução direta com o vice-presidente Michel Temer, sem intermediários. A dificuldade ajuda Dilma na tentativa de escapar do impeachment.

 

Atropelado pelos fatos

Na noite de terça (29), mal o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), afirmava convicto que não aceitaria conversar sobre cargos com o governo, recebeu de Dilma a oferta de indicar o ministro da Saúde.

 

Difícil avançar

O senador Antonio Reguffe (DF), sem partido, apresentou proposta de emenda aplicando a projetos de lei de iniciativa popular o mesmo rito de tramitação de medidas provisórias. A proposta está parada na CCJ.

 

Arrogância tucana

Há ainda quem duvide que o senador tucano Aloysio Nunes (SP) mande uma assessora ameaçar quem divulga notícia que a desagrade: “Você não vai ter onde trabalhar!”. E ainda nem chegaram ao poder...

 

Medo do futuro

Cientistas políticos às vezes temem o pós-Dilma. “A busca por um salvador da Pátria pode nos levar a Marina Silva. Quando penso na Marina, sinto saudade da Dilma”, ironiza o professor Paulo Kramer.

 

Bombando

O filme “Olhar de Nise”, de Jorge Oliveira e Pedro Zoca, foi escolhido para festivais de cinema na Inglaterra, Portugal e Estados Unidos (Colorado). No final do ano passado, o documentário encerrou o festival Hollywood Brazilian Film Festival, em Los Angeles. 

 

Não sabe o que diz

Roberto Requião atacou o petista Jorge Samek, presidente de Itaipu, pelo apoia ao evento “golpista” do ministro Gilmar Mendes. Na verdade, trata-se do IV Seminário Luso-Brasileiro de Direito, mais uma vez promovido pelo IDP, prestigiada faculdade de Direito de Brasília.

 

PTB já se movimenta

O PTB deve se reunir assim que Jovair Arantes (GO) apresentar relatório na Comissão do Impeachment. O partido vai discutir se vale a pena continuar na base aliada. A tendência atual é pela ruptura.

 

Pensando bem...

...deputados e senadores terão de optar entre o cheque à vista de Dilma, provavelmente sem fundos, e o pré-datado de Michel Temer.

PODER SEM PUDOR

Fura-fila safado

O ex-deputado Paulo Heslander (PTB-MG) enfrentava certa vez uma enorme fila de embarque no aeroporto de Confins, em Belo Horizonte , quando um passageiro bem vestido, atrás dele, foi solicitado a fazer o “check-in” antes de todos. Uma passageira reagiu indignada:

– Veja só que safado. Vai ver, é deputado.

Heslander se voltou para a mulher e rebateu:

– Desculpe, minha senhora. Safado ele pode ser, mas deputado não é. Deputado sou eu e estou na fila, como todo mundo.