Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 19/04/2016
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Isso é golpe

Jurista Hélio Bicudo sobre a proposta petista de antecipar as eleições presidenciais

 

Temendo a Lava Jato, Lula quer antecipar eleição

O ex-presidente Lula orientou os principais aliados, dentro e fora do PT, a fazerem “campanha” de antecipação das eleições presidenciais para este ano, porque teme não sobreviver politicamente até a campanha de 2018. Investigado por corrupção em vários inquéritos, na Lava Jato, ele corre o risco de ser preso ou no mínimo de ficar inelegível, de acordo com a Lei da Ficha Limpa, após condenação por um tribunal colegiado.

 

Ela não gosta, mas...

A antecipação da eleição não agrada Dilma, como deixou claro ontem durante coletiva, mas ela se renderá aos interesses de Lula.

 

Gestação da proposta

A ideia de antecipar a eleição presidencial nasceu em uma conversa de Lula com o presidente do Senado, Renan Calheiros, há 40 dias.

 

Voluntário escolhido

O senador Valdir Raupp (PMDB-RO), muito ligado a Calheiros, foi designado para adotar como sua a ideia da antecipar a eleição.

 

Tábua de salvação

Os lulistas do PT são grandes entusiastas da antecipação. Avaliam que só a candidatura de Lula pode salvar o PT da derrocada total.

 

Aliados de Temer querem destituir Picciani

Aliados do vice-presidente Michel Temer cobram a destituição do líder da bancada do PMDB na Câmara, deputado Leonardo Picciani (RJ), que afrontou a decisão da bancada para votar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Os parlamentares sustentam que o Picciani “não é confiável”. Ele foi reconduzido à liderança do partido em fevereiro, com apoio do Planalto, derrotando Hugo Motta (PB).

 

Visita prevista

Logo após a aprovação do impeachment, Leonardo Quintão (PMDB-MG), rival de Picciani, fez questão de visitar Michel Temer no Jaburu.

 

Perdeu, playboy

Leonardo Picciani virou líder do PMDB pelas mãos do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, com quem rompeu para se aliar a Dilma.

 

Prioridade é outra

Temer pediu cautela aos deputados do PMDB: o momento é de “ciscar para dentro” e evitar disputas internas desnecessárias no PMDB.

 

Fazenda ou BC

O vice-presidente Michel Temer teve uma longa e animadora conversa com o economista Murilo Portugal, ex-vice-presidente do FMI e um dos mais respeitados profissionais do ramo. Temer gostou.

 

Aliados

Os deputados federais alagoanos Max Beltrão e Cícero Almeida, este candidato a prefeito de Maceió, são unha e carne com o senador Renan Calheiros. Ambos votaram pelo impeachment de Dilma.

 

ONU

Em Alagoas, não se duvida que logo Renan Calheiros voltará a ser amigo de infância de Michel Temer. Quando querem elogiar seu talento negociador, conterrâneos dizem que Renan é subutilizado pela ONU, por ser capaz até de neutralizar o Estado Islâmico com um bom acordo.

 

Insônia a R$900

Têm circulado números fabulosos sobre os gastos de Lula no hotel de luxo Royal Tulip, em Brasília. Mas são boatos. O Instituto Lula, de sua propriedade, tem bancado apenas a diária média de R$900.

 

Democratas de araque

É o sujo falando do mal lavado: o advogado-geral da Dilma, Eduardo Cardozo, acusa a oposição de ignorar a democracia ao não aceitar a derrota de 2014. Exatamente como ele, Dilma & cia, que se recusam a reconhecer as seguidas derrotas no parlamento e na Justiça, no voto.

 

Pegou mal

Foram mal recebidas no Congresso as visitas de Renan Calheiros a Dilma, que o Senado vai julgar, e ao presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski. Afinal, a bola está com o poder Legislativo.

 

Governadores, de novo

Dilma tentará atrair os governadores a pressionar o Senado, fazendo terrorismo. A estratégia é espalhar que eles podem ser os próximos enquadrados na Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

Ilustre pedalada

O ministro Jaques Wagner (Gabinete Pessoal) é um dos suspeitos de praticar pedaladas fiscais, quando foi governador. Mas ninguém ousou dar seguimento a qualquer denúncia contra ele, na Bahia.

 

Pensando bem…

… reaparecendo com arrogância após a derrota humilhante na Câmara, Dilma mostra ainda não perceber que casa caiu.

PODER SEM PUDOR

A arte do enfrentamento

Tancredo Neves sustentou nos anos 80, em palestra a estudantes, que às vezes o enfrentamento é necessário. Contou que era vereador em São João Del Rey, e, atacado por um adversário, escreveu uma furiosa carta de três páginas para o adversário. “Qual foi a reação dele?”, perguntou um rapaz.

- Ah, não mandei. No dia seguinte reduzi para uma página.

- E como ele reagiu?

- Não mandei a carta. Achei melhor transformá-la em bilhete.

- Ele ficou irritado?

- Não mandei o bilhete. Optei por um telegrama.

- E como ele reagiu ao telegrama? – os garotos já se impacientavam.

- Pensei bem e vi que aquilo era bobagem. E joguei-o no lixo.