Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 23/05/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“A população não aguenta mais os abusos”
Deputado Edinho Bez (PMDB-SC) sobre o aumento abusivo das passagens aéreas

Líder do PMDB desafia Ideli para queda de braço 
Após confronto com o governo na votação da MP dos Portos, o líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), avisou à ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) que a sigla não vai mais “abaixar a cabeça” ao Planalto. Na segunda (20), Cunha se recusou a encontrar a ministra, alegando que ela o tinha feito de “palhaço”, e mandou recado: “Se a Ideli quer falar comigo, que venha à liderança, onde vai se comportar direito”. 

Métodos
Ideli Salvatti ainda está estarrecida com os relatos do deputado Garotinho (PR-RJ) sobre os métodos do ex-amigo Eduardo Cunha.

Tudo de novo
Após a aprovação da MP dos Portos, Dilma teme a votação do marco da mineração, igualmente vulnerável a jogadas nada republicanas. 

Vai dar rolo
Ministros do PMDB andam preocupados com a agressividade do partido na Câmara. Acham que isso não vai acabar bem.

Novo interlocutor
O PMDB de Michel Temer recuou quinze casas, na corrida para ganhar a confiança de Dilma. O PMDB de Renan Calheiros avançou quinze.

Joaquim continuará os ataques à classe política
O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, avisou a auxiliares próximos que está decidido a seguir com suas declarações alfinetando a classe política e as relações do Congresso com o Palácio do Planalto. Ele está encantado com a repercussão de suas criticas, lendo cada um das mensagens de elogio que recebe de todo o País, mas nega a intenção de disputar a Presidência da República, em 2014.

Estratégia
Enquanto ataca os políticos, bem ao gosto do povão, Joaquim Barbosa deixa de responder às criticas ao Poder Judiciário, que ele chefia.  

Já chega
O deputado Sérgio Guerra (PE) se diz aliviado por ter, finalmente, entregue a presidência do PSDB ao senador Aécio Neves (MG). 

Às moscas
Ainda na ressaca da MP dos Portos, os parlamentares chegaram a Brasília ontem apenas no final do dia. O Congresso permaneceu vazio. 

Jeitinho brasileiro
Assim como o Maracanã e o Castelão, de Fortaleza, o Estádio Nacional Mané Garrincha, inaugurado sábado em Brasília, só tem “licença especial” para funcionar. É o jeitinho para a falta de habite-se e alvará.
  
Clima tenso
Informe da Inteligência da Policia Civil liga um luxuoso apartamento na zona sul do Rio de Janeiro à libertação de traficantes de drogas que em 2010 invadiram o hotel Intercontinental em São Conrado. Vai dar rolo.

Cadê a emenda?
Joaquim Barbosa sentirá as costas doer, hoje: o presidente do Senado, Renan Calheiros, receberá uma frente parlamentar que o pressionará a promulgar a emenda que criou novos Tribunais Regionais Federais.

Luta intensa
Delegados da Polícia Federal travam batalha com procuradores nos corredores do Congresso para convencer maior número de deputados a aprovar a PEC 37, que deixa claro que investigar é papel da polícia.  

Mesma causa
O ex-deputado Fernando Gabeira (RJ) recuou da possibilidade de disputar a Presidência pelo PV em 2014. Ele defende que o partido apoie a candidatura da ex-senadora ambientalista Marina Silva.
 
Casos de família
Garibaldi Alves (Previdência) tenta convencer o primo Henrique Alves (PMDB), presidente da Câmara, a disputar governo potiguar em 2014, abrindo espaço para eleger seu filho Walter Alves a deputado federal.


Amigos para sempre
Apesar de considerar Eduardo Campos (PSB) um político promissor, o DEM caminha para apoiar Aécio Neves (PSDB-MG) em 2014, amigo do prefeito ACM Neto (BA) e do presidente da sigla, José Agripino (RN)

Goela abaixo
Em briga com PT para disputar o governo do Rio, o senador Lindbergh Farias está preocupado com relatório do deputado Cândido Vaccarezza (SP), que obriga os diretórios a obedecer a executiva nacional. 

Pergunta na boca da urna
Se for candidato à sucessão de Dilma, como parece pretender, Joaquim Barbosa vai se filiar a um “partido de mentirinha”?

PODER SEM PUDOR
Era um abacaxi

Monoglota irrecuperável, o general Artur da Costa e Silva sempre tentava “traduzir” por conta própria. Certa vez, presidente da República, ele fez uma escala na Tailândia, durante viagem internacional. Na recepção oferecida pelo governo local, aproximou-se de um grupo de diplomatas, que conversava em inglês sobre os problemas comuns aos dois países. Ele ouviu “problems”, mas entendeu “products”, e meteu o bedelho:
- Yes, yes, abacaxi, manga, mamão...

___
        Com Ana Paula Leitão e Teresa Barros 
www.claudiohumberto.com.br