Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 07/06/2016
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Os aliados de Dilma que só querem procrastinar o processo”

Senador Ronaldo Caiado (GO), líder do DEM, sobre o impeachment de Dilma

 

‘Trem da alegria’ derruba Temer nas pesquisas

O “trem da alegria”, com aumentos de até 41% para 16 categorias de servidores, deve impactar negativamente nas pesquisas de avaliação do governo federal, a serem divulgadas nos próximos dias. A previsão é dos principais cientistas políticos. Fica difícil entender, até para os empregados, e menos ainda para os 12 milhões de desempregados, a “gentileza” – que rima com fraqueza – do presidente Michel Temer.

 

Viés de queda

Os primeiros levantamentos indicam que aprovação e desaprovação do governo têm empate técnico, mas com “viés de queda” para Temer.

 

Até a militância

O impeachment criou militância anti-Dilma que ainda favorece Temer, dizem os expert, mas mesmo essa área pode estar em “viés de queda”.

 

Pode piorar

Murilo Hidalgo, diretor do acreditado Instituto Parará, adverte: se Eduardo Cunha se livrar de cassação, o povo culpará Temer.

 

Ilha da fantasia

O entendimento, dizem as pesquisas, é que Temer mantém o serviço público longe da crise, dispensando-o dos sacrifícios exigidos de todos.

 

País não sai da UTI com placebo, diz especialista

Diante da péssima repercussão dos aumentos de salários e de cargos, o Ministério da Fazenda explicou que serão preservados os critérios do “nominalismo”, sejam quais forem os aumentos autorizados. A regra é: o aumento maior de hoje será compensado por um aumento menor no futuro. Mas “a economia está na UTI e de lá não sairá com placebos”, explica Gil Castelo Branco, da ONG Contas Abertas. Para ele, o nominalismo só funciona se aplicado nos grandes grupos de despesas.

 

Grande grupos

Os grandes grupos de despesas que exigem atenção do governo são Saúde, Educação, Previdência e Assistência Social e Pessoal.

 

Superficialidade, não

Com o déficit de R$ 170,5 bilhões, pouco adianta aplicar o nominalismo em passagens aéreas, diárias, hospedagens, vigilância e limpeza.

 

A regra é clara

A PEC que o governo enviará ao Congresso manterá a regra geral: o teto da despesa de 2017 será o mesmo 2016, corrigido pela inflação.

 

A guerra é aqui

Órgãos internacionais de finanças e comércio afirmam que a crise no Brasil é a maior do mundo. Se isso é fato, Dilma nos deixou de herança uma economia mais destroçada que a da Síria, país em guerra civil.

 

Empreiteiros em ação

O Planalto se convenceu de que a história do “carteiraço” de Fábio Medina Osório, afinal desmentida pela FAB, é invenção de empreiteiros que tentam desestabilizá-lo após a decisão do chefe da AGU de recuperar na Justiça R$ 23 bilhões que roubaram da Petrobras.

 

Cai fora, ministro

Henrique Alves poderia ter dispensado o velho amigo Michel Temer de nomeá-lo ministro do Turismo. Sabia que sua demissão seria inevitável após ser lembrada uma velha notícia: ele está enrolado na Lava Jato.

 

Barrigada

Além de racista, é revelador de uma ignorância indesculpável para um jornal da importância do New York Times, o editorial criticando o ministério formado por “brancos” do governo do Brasil.

 

Ei, você aí, me dá...

“Movimentos sociais” perderam o pudor, se é que o tinham. Duas entidades, inexistentes até nas redes sociais, invadiram o Ministério de Cidades ontem para continuar com livre acesso aos cofres públicos.

 

... um dinheiro aí

O ministro Bruno Araújo (Cidades) revelou a existência de programa habitacional secreto, denominado “Minha Casa Minha Vida Entidades”, que distribuiu mais de R$1 bilhão a entidades como MTST et caterva.

 

‘Dojão’ se foi

O gigante mineiro Hélio Garcia, falecido neste dia 6, era chamado carinhosamente de “Dojão”, quando governador, no fim dos anos 1980. Como adorava um bom uísque, Garcia era comparado ao carro da moda, à época, Dodge Charge. Que era grande e “bebia” demais.

 

Ação oportunista

O carioquíssimo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) se aproveita da briga de domingo e avalia “interditar” o Mané Garrincha, que registrou o maior público do Brasileirão: 55 mil pessoas. Toda pinta de manobra para impedir que times do Rio façam os jogos em Brasília.

 

Pensando bem…

...Dilma deve sofrer de amnésia seletiva.

PODER SEM PUDOR

Aparecido demais

Certa vez, quando o então presidente Lula se preparava para ir embora, ao final de um almoço, o então senador Aloizio Mercadante (PT-SP) apressou o passo para ser um dos primeiros a conceder entrevista aos repórteres concentrados à saída da casa do presidente do Senado, onde eles se encontravam. Acabou provocando um congestionamento, obrigando Lula a aguardar o fim da entrevista para sair. Lula, que jamais gostou de Mercadante, não perdoou:

- Tá vendo por que não dá para nomear o Mercadante ministro? Ele adora aparecer...