Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 25/06/2016
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“O recado das ruas é: eu não quero o retorno de Dilma”

Senadora Simone Tebet (PMDB-MT), integrante da comissão do impeachment

 

NSA americana pode monitorar caças brasileiros

A Suíça descobriu que a tecnologia de rádio utilizada pelos caças suecos Gripen, comprados pelo Brasil em dezembro passado e rejeitados pelos suíços em referendo, detém tecnologia americana com “certificado de tecnologia” da NSA (agência de segurança nacional dos EUA). A empresa Rockwell Collins, responsável pelo sistema, teria desenvolvido uma “porta dos fundos” que permite a NSA monitorar toda a comunicação e até as imagens capturadas pelos caças.

 

Flagra de superfaturamento

Os suíços rejeitaram os caças por serem caros, ainda que fossem US$ 5,5 milhões mais baratos, por unidade, que o valor pago pelo Brasil.

 

Saiu mais caro

A julgar pela proposta de venda dos Gripen aos suíços, o Brasil pode ter concordado em pagar até US$198 milhões a mais pelos 36 caças.

 

Maior perigo

Reportagem do jornal suíço Tages Anzeiger mostra que a tecnologia pode desligar a comunicação dos caças por completo, remotamente.

 

Último a saber

Em nota, o Ministério da Defesa informa que não tem conhecimento de “nenhuma notícia nesse sentido”. Agora tem.

 

Políticos temem ser ‘Gleisi amanhã’, daí a queixa

Políticos de vários partidos temem virar “Gleisi Hoffmann amanhã”, por isso protestam contra o mandado de busca no apartamento da senadora do PT-PR, cujo marido Paulo Bernardo foi preso acusado de roubar tomadores de empréstimos consignados. Eles acham que a imunidade da senadora, garantida por lei, é estendida ao cônjuge investigado por corrupção. Não é. O juiz federal Paulo Bueno Azevedo teve o cuidado de ordenar que nada da senadora fosse apreendido.

 

Imunidade não é biombo

Se a moda pega, investigados poderiam esconder provas de suas malfeitorias na casa de deputados e senadores amigos.

 

No popular

Conhecido criminalista lembrou a esta coluna que “investigados não podem se esconder debaixo da saia da mulher com foro privilegiado”.

 

‘É golpe’

Enquanto alegam que Paulo Bueno Azevedo é só um juiz federal de 1ª instância, políticos petistas não precisam explicar o roubo investigado.

 

Verborragia seletiva

O PT do Senado criticou a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, mas não deu um pio sobre os R$7 milhões que ele é acusado de embolsar. Nem lembrou que Gleisi Hoffmann também é investigada na Lava Jato.

 

Blindagem

Diplomatas do gabinete do ministro José Serra (Relações Exteriores) são acusados por oficiais de chancelaria de impedir o acesso ao novo chefe, evitando até que convites formais cheguem às suas mãos.

 

Chegou perto

“A prisão dá, cada vez mais, sinal de que chegará tudo no Lula”, afirma o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), sobre a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, que atuou nos governo Lula e Dilma Rousseff.

 

Radiografia da realidade

O ministro Bruno Araújo (Cidades) não crê no retorno de Dilma, sobretudo após a prisão de Paulo Bernardo. “Isso seria muita falta de compreensão da realidade do País”, diz.

 

Inocentado

Cotado para vice de Cícero Almeida na disputa por Maceió, Omar Coelho se sente vítima de campanha difamatória. Investigado pela PF e MP, por suposta compra de voto na eleição da OAB-AL, que presidiu, ele foi inocentado. Tem até documentos rebatendo as acusações.

 

Chip novo

O deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) encontra dificuldade para se adaptar à mudança da oposição para o governo. “Estou mudando o chip, estava acostumado a falar mal do governo”, ironiza.

 

Muito cacique

O experiente deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) se espanta com as discussões sobre a eleição para presidente da Câmara. "Tem candidato a rodo. Tem mais candidato do que deputado", brinca.

 

Dúvida no ar

O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) acredita que há muita dúvida que paira sobre o cenário político atual. “Tanto que já solicitei o acesso integral às delações e às interceptações telefônicas”, afirma.

 

Pensando bem...

...do jeito que as coisas estão, ao final da Lava Jato não vai sobrar nem espuma.

PODER SEM PUDOR

Toque de humor

Certa vez, o Tribunal de Contas da União homenageou diversas personalidades brasileiras, entre os quais Antônio Ermírio de Morais, que foi representado na cerimônia  pelo filho Carlos. O então ministro Marcos Vilaça, imortal da Academia Brasileira de Letras, deu um toque de humor à cerimônia, ao saudar o empresário:

- Teu pai transporta sonhos, mas jamais direi que é manso ou que sabe se vestir!