Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 17/07/2016
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Nasce um novo tempo nas relações internas do Congresso”

Presidente do PSDB, Aécio Neves (MG), sobre a eleição de Rodrigo Maia (DEM) na Câmara

 

Cláusula pode acabar com PCdoB, PSC, PPS e PV

Proposta de emenda à Constituição dos tucanos Aécio Neves (MG) e Ricardo Ferraço (ES) restabelece a cláusula de barreira no Congresso. Isso pode significar o fim de partidos como o PCdoB, PPS, PV e PSC, já que eles não atendem ao pré-requisito mínimo de 2% de votos válidos em ao menos 14 estados nas últimas eleições. Candidatos eleitos teriam que mudar de partido se quiserem exercer o mandato.

 

PSOL idem

Partido formado por ex-petistas, o Psol só atinge o mínimo exigido em três estados e corre risco de sumir se a PEC for aprovada.

 

Temer a bordo

Uma das condições pelo apoio tucano ao impeachment de Dilma foi o compromisso de Michel Temer com a volta da cláusula de barreira.

 

Na marra

A cláusula de barreira foi estendida ao Senado porque caso contrário, de acordo com Ferraço, a Câmara jamais aprovaria a proposta.

 

Histórico

Projeto parecido foi aprovado em 1995, com validade a partir de 2006, mas foi vetado no STF por prever corte de recursos e de tempo de TV.

 

Petrobras: R$2,6 bi com publicidade em 10 anos

A Petrobras, afundada em escândalos de corrupção no governo petista, gastou R$ 2,57 bilhões com propaganda nos últimos dez anos. De 2006 a 2015, a estatal brasileira foi usada para financiar agências como a Duda Mendonça Associados, a Heads Propaganda, a FCB Brasil Publicidade, a PPR – Profissionais de Publicidade Reunidos, a F/Nazca Saatchi & Saatchi e a Rede Interamericana. Neste ano, a previsão de gasto é cerca de R$ 300 milhões. Os dados são da própria Petrobras.

 

Centenas de milhões

Atualmente a Petrobras tem verba anual de R$ 330 milhões para gasto com publicidade, divididos entre as agências NBS, FCB e Heads.

 

Generoso contrato

As três agências venceram licitação em 2013 para contratos de um ano, que podem ser renovados por períodos iguais por até cinco anos.

 

Recorde

O ano em que o governo petista mais gastou com publicidade da Petrobras foi 2012: R$ 321,3 milhões. E 2016 ainda pode ser recorde.

 

Aposentadoria aloprada

O presidente do Senado, Renan Calheiros, garantiu ao ex-ministro da Casa Civil de Dilma e ex-senador pelo PT-SP, Aloizio Mercadante, uma ótima boquinha pós-governo. Foi dada a Mercadante aposentadoria de senador: 16/35 dos subsídios ou R$18,8 mil por mês pelo resto da vida.

 

Frente por trás

São signatários da Frente Parlamentar de Defesa da Polícia Federal os ex-deputados André Vargas (ex-PT-PR), João Paulo Cunha (PT-SP), Ricardo Berzoini (PT-SP) e o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

 

Em xeque

Deputados visitam o Rio para verificar a segurança das Olimpíadas. “Não podemos permitir que, a duas semanas dos jogos, a segurança do evento seja colocada em xeque”, diz Alexandre Baldy (PTN-GO).

 

Falta serviço

O vice-governador do Distrito Federal, Renato Santana, passou a 4ª-feira na Câmara, costurando em apoio à candidatura de Rogério Rosso para presidente da Casa. E ainda perdeu. Deve faltar serviço no DF.

 

Fui

A embaixadora do Brasil em Berlim, Alemanha, Maria Luiza Viotti, já começa a apresentar suas despedidas do posto. Ela tem boa relação com Dilma e Lula e chegou até a ser cotada para chanceler.

 

Despedida

Após dois anos na presidência do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o advogado Caio César Vieira Rocha, de 35 anos, deixa o tribunal após 10 anos: foram 210 sessões, nas quais relatou 400 casos e participou de mais de três mil julgamentos.

 

De entrevista sabe

Ao final de uma entrevista, o candidato a presidente da Câmara com apoio do PT, Marcelo Castro (PMDB-PI), indagou os papagaios de pirata que o cercavam: “Como me saí? Fui bem?”. Todos aprovaram em uníssono, mas Castro perdeu a eleição de lavada.

 

Técnico-político

Na posse do presidente do INSS, o ministro Osmar Terra se espantou com o perfil de Leonardo Gadelha. “Nova modalidade: um presidente técnico, com indicação política”, disse. Gadelha é consultor do Senado.

 

Pergunta na boquinha

Sem espaço em cargos de comando, o PT já pensa em fazer parte da base de apoio de Michel Temer?

PODER SEM PUDOR

O sr. é o famoso quem?

O ex-secretário de Estado americano Henry Kissinger visitava o então governador de São Paulo, Mário Covas, em meio às notícias sobre intervenção federal no Banespa. A certa altura, na entrevista coletiva sobre planos de investimento de empresas dos EUA no Brasil, Covas sugeriu que se fizessem perguntas ao ilustre visitante. Um jovem repórter se dirigiu a Kissinger:

- O senhor veio aqui tratar do Banespa?