Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 02/09/2016
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Não queria ofender os alcoólatras anônimos, nem os bêbados”

Ministro Gilmar Mendes, que criticou a má qualidade do texto da Lei da Ficha Limpa

 

Temer só vai para o Alvorada após ‘dedetização’

O presidente Michel Temer afirmou a esta coluna que “por enquanto” vai permanecer morando no Palácio Jaburu, residência oficial da vice-presidência. Não fixou data, apenas considera que fará sua mudança “no momento adequado”. Discreto, o presidente não se refere aos últimos ocupantes, os antecessores Lula e Dilma, mas um assessor fez ironia, lembrando a necessidade de “dedetizar” o Palácio Alvorada.

 

Inseticida à mão

O assessor de Temer lembrou, divertido, o gesto do ex-presidente Jânio Quadros, ao assumir a prefeitura de São Paulo, em 1988.

 

Erro fatal de FHC

Na campanha, FHC, rival de Jânio, cometeu o erro de posar para fotos sentado na cadeira de prefeito. Jânio a dedetizaria antes de assumi-la.

 

Inventário necessário

Após a saída de Dilma, um inventário apontará o que há no Palácio Alvorada, para só depois adaptá-lo às necessidades da família Temer.

 

Público x privado

Ao sair do Alvorada, Lula e Marisa levaram até um cocho que D. Sarah ganhou e D. Marli Sarney. Criativa, transformou em vaso de planta.

 

STF não deve interferir no impeachment de Dilma

O Supremo Tribunal Federal não deverá interferir no impeachment da ex-presidente Dilma, na avaliação de juristas da Fundação Getúlio Vargas ouvidos pela coluna. Em dezembro, o STF rejeitou ações que pretendiam extinguir o processo e alterar o mérito do julgamento. Os ministros Celso de Mello, Luiz Fux e Gilmar Mendes até já decidiram, em ações anteriores, não interferir em decisões do Congresso.

 

Ação improvável

Segundo professor Thomaz Pereira, a ação contra o impeachment “foi anunciada durante todo o processo”, mas é “improvável” prosperar.

 

Sem volta

“Não há possibilidade de o STF aceitar o recurso”, diz o professor Ivar Hartmann: “A Constituição é clara. O impeachment não será revertido”.

 

Jurisprudência

Já em abril de 2016, o STF também negou por 8x2 um ação da Advocacia-Geral da União que pretendia liquidar o impeachment.

 

Palpite certeiro

Com seu jeito tranquilo de lidar com caboclos perguntadores, o presidente Michel Temer antecipou para esta coluna, às vésperas do impeachment de Dilma, sem hesitar: “Serão 61 votos”. Não deu outra.

 

Cunha se animou

Animados com o conchavo de Renan que livrou Dilma de perder os direitos políticos, aliados de Eduardo Cunha tentam articular o adiamento da votação de cassação, marcada para o próximo dia 12.

 

Conchavo no conchavo

O conchavo PT-PMDB na “emenda informal” à Constituição que livrou Dilma da perda de direitos políticos, acabou reaproximando Kátia Abreu (PMDB-TO) da cúpula do partido que ameaça expulsá-la.

 

Gentileza gerou gentileza

Michel Temer foi gentil ao receber o chinês Xi Jinping quando Dilma o esnobava, numa visita ao Brasil. Jinping não esqueceu: hoje presidente da China, fez questão de agendar um demorado encontro bilateral com o novo presidente do Brasil, durante a reunião do G-20, em Hangzhou.

 

Oscar da Construção

O empresário Paulo Octavio, ex-vice-governador do DF, recebeu em São Paulo o Prêmio Master Imobiliário 2016, Oscar da construção civil, na categoria Empreendimento Comercial. É seu oitavo Master.

 

Mancada

O deputado Artur Bisneto (PSDB-AM) ironiza “o maior erro” do pai, Artur Virgílio, prefeito tucano de Manaus: “Lançar Vanessa Grazziottin na política”. A senadora do PCdoB-AM foi da tropa de choque dilmista.

 

Posse no Estado-Maior

O general Fernando Azevedo e Silva, um dos mais admirados na tropa, assume nesta sexta (2), às 11h, o comando do estado-maior do Exército. O evento será no salão de honra do Comando do Exército.

 

Espelho meu

Os jornalões do país descobriram nesta semana o que os leitores da coluna já sabem há três meses: a turma do marqueteiro petista João Santana está por trás da produção de documentário sobre o golpe.

 

Pergunta no Senado

Lula faz silêncio ensurdecedor sobre o impeachment porque quem cala, consente?

PODER SEM PUDOR

Nepetismo militante

Durante debate na Câmara sobre emenda à Constituição proibindo o nepotismo no serviço público, nos tempos de PT no poder, o deputado tucano Zenaldo Coutinho (PA) arrancou gargalhadas ao ilustrar, com uma história, a fome petista por cargos. Ele contou que um colega deputado, cuja identidade não revelou, procurava alguém para se casar, mas faz uma exigência: a pretendente deve ser filiada ao PT. “Por que?” – perguntou Coutinho. Ele mesmo deu a resposta:

- Ela já vem empregada no governo federal...