Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 30/09/2016
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Tropeço foi o fatiamento [do impeachment]”

Gilmar Mendes e a avaliação de Lewandowski sobre o julgamento que próprio presidiu

 

Suspeita-se agora que prisão de Palocci vazou

Experientes policiais recomendam que a Lava Jato, se já não faz isso, investigue o possível vazamento da prisão de Antônio Palocci. É que o ex-ministro de Lula e Dilma parecia preparado, quando na segunda (26) a Polícia Federal bateu à porta do seu luxuoso apartamento, em São Paulo, ao amanhecer. Ele estava sozinho. Não havia familiares, como se eles tivessem sido poupados do constrangimento, tampouco empregados – à exceção da visita imprevista do tratador da piscina.

 

Preparado

Guido Mantega também parecia avisado da prisão: deu um jeito de sair de casa às 4h da madrugada para “acompanhar a mulher ao hospital”.

 

Ali não é SUS

Estranho, no caso Mantega, é que não era um hospital público e sim o “vip” Albert Einstein, onde não há filas de espera às 4h da madrugada.

 

‘Procedimento’?

Logo após a prisão de Mantega, petistas espalharam que sua mulher faria “procedimento cirúrgico”, aliás, jamais confirmado pelo hospital.

 

Modelitos Curitiba

Assim como Mantega, que parecia preparado para viajar a Curitiba, Palocci tinha mala pronta e já estava vestido quando a polícia chegou.

 

Governo prepara pacote de ajuda aos Estados

Após encontro com governadores e secretários de Fazenda, o Planalto prometeu avançar, no Congresso, com pacote de medidas para solucionar a crise dos Estados. O governo federal assumirá o ônus político de propor emenda fixando limite para gastos com servidores, na PEC do teto dos gastos públicos. Com isso, o Congresso vai retirar do colo dos governadores o desgaste político junto ao funcionalismo.

 

Mexendo no bolso

O governo promete apoiar também a PEC dos Precatórios, em tramitação na Câmara, e a venda da dívida ativa dos Estados.

 

Acordo de cavalheiros

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, comprometeu-se com o ministro da Fazenda a fazer andar as medidas de ajuda aos Estados.

 

Socorro bilionário

Os governadores de 20 Estados pedem R$ 7 bilhões ao presidente Michel Temer e, sem ajuda, ameaçam decretar calamidade.

 

Renan banca Romero

Apadrinhado por Renan Calheiros e apoiado pelo Planalto, Romero Jucá (PMDB-RR) disputará a presidência do Senado. Pela tradição, a maior bancada, ainda o PMDB, indica o presidente. Seu líder, Eunício Oliveira (CE), é o favorito, e Garibaldi Alves (RN) corre por fora.

 

Um de cada vez

Michel Temer atendeu pedido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Será um “tema polêmico” de cada vez. “Se o primeiro não passar, será uma sinalização ruim para os demais”, adverte o deputado.

 

Estranha exposição

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom) divulga em seu “anuário” informação que constrange autoridades da Justiça: nos últimos 5 anos, bancou ou apoiou pelo menos 40 eventos promovidos por juízes e procuradores.

 

Futuro sombrio

O PT está sem líderes: Lula pode ser preso a qualquer momento; Dilma foi cassada; Dirceu e Palocci presos, Genoino com folha corrida na polícia. Lindbergh, Gleisi, Vaccarezza, Zaratini etc a caminho disso.

 

Impulso à agricultura

Em viagem à Itália, o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novaki, levará um estudo da Embrapa para desmontar a lorota de que o agronegócio brasileiro “prejudica o meio ambiente”.

 

Lorota ambientalista

O levantamento da Embrapa mostra que 61% das terras brasileiras estão preservadas. A agricultura ocupa 8% do território nacional e a pecuária, 19%. Terras indígenas são 13%.

 

Melantonio na Grécia

O governo grego (ou República Helênica) concedeu agrément a Cesário Melantonio Neto como embaixador do Brasil em Atenas. Hoje em Cuba, ele já foi embaixador no Egito, na Turquia e no Irã.

 

Triste evolução

Em 1994, quando foi criado o Fundo Partidário, partidos recebiam ao todo R$ 729 mil por ano. Em 2010, ano da eleição de Dilma, o valor disparou a R$160 milhões. Dilma quadruplicou o valor arrancado pelos partidos dos cofres públicos: em 2015 tomaram R$ 811 milhões.

 

Pensando bem...

...ultimamente nossos políticos se unem na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, nos palanques... e na corrupção.

PODER SEM PUDOR

Barbeiro cruel

Seis meses depois de assumir o cargo de ministro do Planejamento do governo FHC, Antônio Kandir percebeu que ganhara muitos cabelos brancos. Impressionado, foi ao barbeiro. Imaginou que após o corte os fios brancos diminuiriam. Ledo engano. No dia seguinte, o então secretário-executivo, seu amigo Martus Tavares, foi logo perguntando:

- Como é que seu barbeiro faz para cortar só os fios pretos?