Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 06/08/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Eu tenho a impressão que a base só é brava com você” 
Presidenta Dilma em resposta a pergunta de repórter sobre suas relações com aliados

Vexame: Dilma barra irmão de Patriota na OMC
Amigos e familiares do ministro Antonio Patriota (Relações Exteriores) não entendem seu extremado apego ao cargo, submetendo-se a humilhações quase diárias e aos sinais frequentes de desprestígio da presidenta da República. A mais recente foi a recusa de Dilma de atender a indicação que ele fez do irmão Guilherme para a missão do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio (OMC), em Genebra. 

Areia demais...
O cargo pretendido por Patriota para o irmãozinho é hoje ocupado pelo embaixador Roberto Azevedo, recém-eleito diretor-geral da OMC.

Com quem andas
Guilherme Patriota está lotado no Planalto: é assessor do aspone para Assuntos Internacionais Aleatórios, Marco Aurélio Top-Top Garcia.

O escolhido
Para chefiar a missão brasileira na OMC, Dilma escolheu um embaixador respeitado na carreira: Marcos Galvão, hoje em Tóquio.

Gosto amargo
O baiano Jacques Wagner é um dos petistas que não entendem por que Dilma mantém Guido Mantega, apesar dos fracassos na economia.

PSDB compara desgaste de Dilma com fim de FHC
Após dez anos de governo petista, o PSDB está animado com a baixa da presidente Dilma nas pesquisas eleitorais. A cúpula da sigla acredita que já viu este filme antes, no fim do governo FHC, que sofreu queda brusca de popularidade após a desvalorização do real, em 2000, e nunca a recuperou. Na avaliação do tucanato, as pesquisas também revelaram que a tentativa do governo de conter a crise não surtiu efeito. 

Não se sustenta
Para o tucano João Almeida (BA), as medidas anunciadas por Dilma seguem receita do publicitário João Santana: “São 60 dias de ilusão”.

Lavando as mãos
Do deputado Júlio Delgado (MG), sobre propostas em elaboração no PSB para a presidente Dilma: “É para salvar a economia do governo”.

Laços de família
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) tem articulado com o primo, Francisco Dornelles (RJ), o apoio do PP nas presidenciais de 2014.

Arrogância na crise
Mesmo em chamas, o governador Sergio Cabral não perde a soberba: aplicou chá-de-cadeira de 50 minutos na ministra Doris Leuthard (Meio Ambiente, Transporte e Energia), uma das mais importantes da Suíça, que lhe trazia projetos e boas notícias. Apertou-lhe a mão e foi embora.

Engolindo sapo
Com avaliação em queda, Dilma engoliu a repulsa pelo líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), e o aceitou ontem na reunião com aliados. Ele só esteve com ela em duas ocasiões. Nunca a sós.

PT que se cuide
O deputado Vieira da Cunha (RS) não faz rodeios quando tema é 2014. Segundo ele, o PDT não fechou compromisso pela reeleição de Dilma e poderá apoiar Eduardo Campos: “Temos relação histórica com PSB”. 

Múmia se mexe
Alvo de denúncias, o ministro Aguinaldo Ribeiro (Cidades) comprou guerra com a bancada da Paraíba. Os deputados reclamam que o ministro tem usado programas do governo para cooptar prefeitos. E no Palácio do Planalto continua sendo chamado de “Múmia Paralítica”.

Prejuízo
Suplente do deputado preso Natan Donadon (RO), Amir Lando (PMDB) chega a Brasília nesta terça, mas não recorrerá à Justiça para assumir. E reclama que Rondônia tem um deputado a menos, na Câmara. 

Resistência
Após enfrentar tumor no cérebro, Mendes Ribeiro (PMDB-RS) agora trava batalha contra as sequelas do tratamento. Ele faz fisioterapia e musculação todos os dias a fim de voltar a caminhar sem dificuldade. 

Brasil do atraso
O desembarque internacional em Guarulhos (SP) segue vergonhoso. Em vez de placas indicativas, duas funcionárias (com raiva de quem viaja ao exterior) para onde brasileiros devem se dirigir: longas filas diante de poucos guichês ocupados por sonolentos carimbadores.

Dá na mesma
Para o deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), a presidente Dilma “está fazendo todos os favores” para não ser reeleita em 2014: “Ela se nega a reduzir o número de ministérios, mas reduz o Orçamento de todos”.  

Pensando bem...
...os políticos retornaram, mas as manifestações nas ruas continuam de recesso.

PODER SEM PUDOR

Magia negra no poder
José Sarney era presidente interino quando certa noite telefonou-lhe o ministro da Justiça, Fernando Lyra, pedindo um encontro urgente para contar como a Polícia Federal desvendara as razões da enfermidade de Tancredo Neves, ainda lutando pela vida no hospital. Sarney recebeu Lyra e seu chefe de gabinete, Cristovam Buarque, quase às 2h da madrugada. Os dois exibiram um boneco espetado por agulhas, suposto “trabalho de vudu” encontrado nas imediações da Granja do Torto. Sarney perguntou-lhes pelas providências. Lyra reagiu orgulhoso:
- Já procuramos um terreiro e o “trabalho” foi desfeito, presidente!