Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 07/08/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Não tenho contas a prestar a esses politiqueiros”
Ministro Joaquim Barbosa (STF) sobre juízes que questionam seu apê em Miami

Assessor sob suspeita redigiu a MP dos Portos
Nomeado assessor especial do secretário da Receita Federal, Ronaldo Medina ganhou a força das eminências pardas, apesar de responder a processo, na Justiça Federal, por improbidade. Ele é o autor do texto da MP dos Portos, uma das mais importantes medidas provisórias do governo Dilma. Medina é apontado pelo Ministério Público como um dos responsáveis pela norma que facilitava a importação de máquinas de jogos de azar, que são proibidas, como se fossem computadores.

Expectativa
Ronaldo Medina é réu em processo concluso para decisão do juiz Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal.

Quem acusa
O assessor do secretário da Receita Federal foi denunciado à Justiça pelas procuradoras Raquel Branquinho e Valquíria Quixadá.

Disneilândia
Já se sabe quando a greve nas estatais como a Infraero e Eletrobrás vai acabar: no final de agosto, após as “férias acumuladas” com julho. 

Tucano depenado
Presidentes de diretórios estaduais do PSDB criticaram José Serra, ontem, por insistir em candidatura presidencial, contra Aécio Neves. 

Dilma pede e Henrique adia votação de royalties
Ciente do clima de vingança que tomou a base aliada no Congresso, a presidenta Dilma combinou com o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB), empurrar com a barriga a votação do projeto que destina royalties do petróleo para Educação e Saúde. Com a retirada do regime de urgência ontem, o projeto dependerá da apreciação de outros três, que passam a trancar a pauta a partir da semana que vem. 

Fim da fila
Aguardam votação no Plenário o polêmico Código da Mineração, a criação de Santas Casas e de Agência de Assistência e Extensão Rural

Força-tarefa
A ordem no PDT é obstruir a votação de Medidas Provisórias em todas as comissões para impedir mais matérias trancando a pauta no Plenário. 

Só pepinos
Dilma marcou reunião com os líderes para segunda (12) para discutir royalties do petróleo, Orçamento Impositivo, derrubada de vetos...

Menino travesso
Protestos contra Sergio Cabral nem levaram em conta as travessuras anteriores. Como prorrogar o contrato de exploração do metrô por quinze anos em plena vigência do primeiro contrato, a vencer em 2020.

Orçamento na pauta
O PMDB bateu o martelo e votará nesta quarta-feira o projeto do Orçamento Impositivo. A bancada ameaça atropelar até o interstício previsto em regimento para aprovar o quanto antes a matéria

Derrota anunciada
O PT já avisou a aliados “traidores” que, se for aprovado o Orçamento Impositivo, que obriga o governo a executar as emendas parlamentares sem “negociação”, a regra valerá também nos governos estaduais. 

A vítima de fato
O governador Geraldo Alckmin tem dito, com razão, que “o Estado [de São Paulo] é vítima”, no caso da treta tucana com fornecedores do Metrô. Mas não se pode dizer o mesmo dos seus últimos governantes.

Ausência
Virou pessoal: o governador pernambucano Eduardo Campos (PSB) boicotou, sábado, o casamento de Pedro, filho do ministro Fernando Bezerra (Integração), com Renata Vidigal, em São Paulo. 

Obtusidade inútil
O diplomata Guilherme Patriota fez o que pôde para ganhar a chefia da missão brasileira na OMC, em Genebra. Até incorporou a obtusidade córnea de militantes petistas para culpar a imprensa, dia desses, pela falta de “diplomacia autônoma” do Brasil em relação aos EUA. Foi inútil.

Mais do mesmo
Não vai dar outra: a americana Armalite vencerá o pregão para compra de armas no DF, terça (13). A representante em Brasília venceu a milionária compra de capas de chuvas para a PM, depois revogada.

Assinando o ponto
A partir desta quarta, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara obrigará os deputados a assinar ponto eletrônico. Se der certo e não houver rebelião, a medida será estendia às demais comissões. 

Pensando bem...
...enquanto a corrupção anda de metrô em São Paulo, o dólar viaja de trem-bala.

PODER SEM PUDOR

Dupla utilidade
Filha de Jânio, Dirce Tutu Quadros era deputada quando decidiu mandar a filha Tina estudar numa escola tradicional da Inglaterra. Às vésperas da viagem, Tutu conversou ao telefone com o diretor da escola, Sir John Towey, que lhe pediu o “brasão da família” para pendurar no quarto da garota. Tutu desligou o telefone, pensou, pensou e encontrou a solução:
- Vou levar uma vassoura. É esse o brasão dos Quadros.