Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 09/03/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Um homem de uma ética inatacável”
Vice-presidente Michel Temer sobre o deputado Gabriel Chalita (PMDB-SP)

Crivella oferece PRB para Cid enfrentar Eduardo
O ministro Marcelo Crivella (Pesca e Aqüicultura) ofereceu o PRB para o governador cearense Cid Gomes (PSB) disputar a Presidência da República em 2014, caso ele rompa com Eduardo Campos, virtual candidato do PSB a presidente. O convite foi feito após o ex-deputado Ciro, irmão do governador, haver alfinetado o pernambucano, dizendo que lhe faltam “estrada e propostas”. Cid nega interesse pelo PRB.

Jogada
O PMDB acha que os irmãos Gomes se afastam de Eduardo Campos para atrair o apoio do PT na disputa pelo governo do Estado, em 2014 . 

Ação-reação
A candidatura de Eduardo Campos é quase unânime, hoje, no PSB; só faltam os governadores, que temem retaliações do governo federal. 

Consenso
Eduardo Campos quer o entendimento. Procurou Cid Gomes, segunda-feira, para defender “um projeto de poder” do PSB para 2014. 

Tudo em cima
Eike Batista perde a fortuna, mas não o prestígio no governo: adorador de financiamentos do BNDES, foi recebido por Dilma logo cedo, ontem.

‘Impostor’ usava Temer para arranjar audiências
Nos corredores do Palácio do Planalto ele citado como “O Impostor”, em referência ao divertido personagem do programa “Pânico na Band”. Mas não tem graça nenhuma, por isso o caso está deve ser confiado à Polícia Federal: Pedro Petrere, presidente de um “Sindicato dos Odontologistas de São Paulo”, tem se apresentado como assessor do vice-presidente Michel Temer para ser recebido por várias autoridades. 

Checagem
Michel Temer nega ligação a Pedro Petrele. Tomou um susto quando soube que fora usado para obter audiência com o ministro do Trabalho.

Cabresto
Deputados do PMDB e PCdoB receberam preenchidas, das lideranças, as cédulas de votação dos 142 vetos ao projeto dos royalties. 

Inclusão sindical
Curioso o valor do cachê de R$ 70 da CUT para manifestantes de aluguel: é o mesmo da bolsa antimiséria anunciada por Dilma. 

O mistério da Rosa
Faz três meses na Polícia Federal a investigação a pedido do deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) sobre suposto depósito de €25 milhões da ex-assessora Rosemary Noronha, num banco em Portugal. 

Conversa privada
Francisco Bruzzi, complicado ex-assessor de Henrique Alves, foi visto entrando na sala de Claudinei do Nascimento, auxiliar da ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais), segunda-feira, às 14h. Humm...

Olho gordo
A comitiva do Brasil ao enterro de Chávez em dois jatos da Presidência da República foi a maior entre os 22 países presentes à cerimônia. A hora de voo no AeroDilma nos custa R$ 147 mil. 

Segurança 
O deputado Wladimir Costa (PMDB-PA) atuou como segurança do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), durante a votação do veto à divisão dos royalties. Protegeu Calheiros a cotoveladas. 

Meu papai
O prefeito eleito em São Luís (MA) foi Edvaldo Holanda Jr. (PTC), mas pai homônimo, ex-deputado federal, é quem manda, segundo acusam opositores. Toma decisões e se reúne com fornecedores e secretários.

Bomba na OAB
Repercutiu na Câmara a explosão de bomba na OAB-Rio, ontem. Mas quando souberam que foi apenas uma “cabeça-de-negro”, deputados ironizaram: o artefato era apenas para “dar um susto” ou para ajudar a candidatura a deputado de Wadih Damous, ex-presidente da entidade?

Primo pobre
Conhecido pela vida simples, o presidente uruguaio José Mujica foi de carona ao enterro de Chávez, no avião da argentina Cristina Kirchner, levando apenas a mulher senadora e o chanceler Luis Almagro. 

Piorou
Quem embarcava ontem em Brasília para Lisboa, pela TAP, ficou exasperado com a imensa fila: só havia um funcionário do aeroporto privatizado fazendo a leitura digital dos cartões digitais de embarque.

Pensando bem...
...”Lincoln” e “Simón Bolívar” finalmente se encontraram no funeral de Hugo Chávez. 

PODER SEM PUDOR
Aos amigos, tudo

Artur Bernardes, que governou Minas Gerais e mandou no Brasil, é o autor de um princípio de  hipocrisia política até hoje adotado pelos poderosos:
- Para os correligionários, tudo. Para os adversários, a lei. Quando possível.
__
        Com Ana Paula Leitão e Teresa Barros 
www.claudiohumberto.com.br