Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 10/09/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

"Nós vamos dar uma resposta concreta"
Presidenta Dilma Rousseff sobre a espionagem americana na Petrobras

Polícia investiga no DF petista ligado a Dirceu
Mandado de busca e apreensão na Fundação Banco do Brasil (FBB), em 29 de agosto, atirou no que viu e acertou no que todos já sabiam em Brasília: a influência do petista Jacques Pena nos negócios da instituição, que ele presidiu até há três anos e tem orçamento apetitoso, superior a R$ 200 milhões. Ligado ao ex-ministro José Dirceu, a quem trata por "Zé", Pena é um dos acusados, segundo o juiz Frederico Ernesto Maciel, de "burlar a lei para desviar dinheiro público" na FBB.

Vapt-vupt
Pena atribuía ao "Zé" sua indicação para presidir o banco BRB, mas quem o nomeou e demitiu rapidinho foi o governador Agnelo Queiroz. 

Quem manda
Em ligações gravadas com ordem judicial, Jacques Pena dá ordens a diretores da Fundação Banco do Brasil como se ainda a presidisse.

Quem obedece
O presidente da FBB, Jorge Streit, petista de Rondônia, faz o que Jacques Pena manda, mas o poder do amigo do "Zé" é mais amplo.

Paus mandados
Robson Rocha, um dos vice-presidentes do Banco do Brasil, e Eder Marcelo de Melo, diretor, são os paus mandados de Pena na FBB.

Fidel já criticou o 'trabalho-escravo' no Brasil
Em 2007, beirando a "aposentadoria", o ditador de Cuba, Fidel Castro, acusou o Brasil de "trabalho-escravo" na produção do etanol. Em artigo no jornal Granma, disse que os lavradores não tinham "registro em carteira, equipamentos de proteção, água e alimentação suficientes". Crítico do acordo com os EUA de incentivo ao etanol, o decrépito amante da Natureza explicou que os agrocombustíveis "contaminam o solo", produzindo "fome no mundo". 

Pai-patrão
Os médicos cubanos ganham 7% do salário contratado no exterior, têm passaporte retido, celular monitorado e não podem fazer amigos locais. 

Dando um doce
A questão do "trabalho-escravo" sumiu da pauta de Fidel quando a brasileira Odebrecht anunciou parceria na ilha para fabricar açúcar.

Truculência for export
As agressões covardes de PMs do DF contra jornalistas de Brasília, no sábado (7), foi destaque no site mundial do Repórteres Sem Fronteiras.

Foras da lei
A Polícia Militar do DF jogou spray de pimenta na Lei de Abuso de Autoridade, que pune "qualquer atentado" (art. 3º) ao direito de reunião e às garantias ao exercício profissional, por exemplo, de jornalistas.

São umas bestas
Os idiotas do vandalismo e os radicais da estupidez tiraram o povo das ruas, sábado (7). A violência assustou as pessoas. E ainda esvaziou o jogo da Seleção. Esses Black Blocs são umas bestas. 

Ultimato do PPS 
O presidente do PPS, Roberto Freire (SP), condiciona o apoio do seu partido a Eduardo Campos (PSB) para presidente ao anúncio imediato da candidatura contra Dilma, em 2014. Se até 20 de setembro isso não ocorrer, o PPS vai correr para o abraço com o tucano Aécio Neves.

Em família
Arquiteta, Janaína de Almeida Stédile agora chefia projetos e obras públicas na prefeitura de São Bernardo (SP). Sem concurso, a filha do porralouca do MST, João Pedro Stédile, ganhará R$ 7 mil por mês.

Em busca de detalhes
Relator da inútil CPI da Espionagem, Ricardo Ferraço (PMDB-ES) quer ouvir na comissão o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) e o jornalista americano Gleen Greenwald, do jornal britânico Guardian. 

Fim do deslumbre
De volta à planície, após a demissão do ex-chanceler Antonio Patriota, a ex-chefe de gabinete Fátima Ishitani agora tem de conviver com colegas que a acusam de tê-los prejudicado, inclusive em promoções na carreira. Ela tratava com arrogância até os superiores, afirmam.

Não merece apreço 
Em busca de refúgio no Brasil, o opositor boliviano Roger Pinto Molina se apega ao fato de que a presidenta Dilma não é tão próxima a Evo Morales quanto o antecessor Lula. Evo não veio à posse dela em 2010. 

Fim do feudo
Presidente do PDT, Carlos Lupi já estava à beira de ataque de nervos com a ameaça de nove deputados federais (quase metade da bancada de sair para o partido Solidariedade). O ataque de nervos se consumou ontem, com a prisão de vários amigos dele no Ministério do Trabalho.

Pensando bem...
...agora não vaza só óleo no mar, mas também o endereço IP da Petrobras na internet.


 

PODER SEM PUDOR

Fora de cogitação
José Carlos Aleluia (BA) era líder do então PFL e um dos maiores críticos do jeito encontrado pelo então presidente Lula para acomodar amigos que, derrotados nas urnas em 2002 e quase sempre despreparados, ocuparam cargos estratégicos no governo. Ele resumia a trapalhada numa frase:
- Com esse ministério sentimental, não há o menor risco de o governo dar certo...