Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 05/10/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
“A Marina não demonstrou liderança. Frustrou”

Renan Calheiros, presidente do Senado, ironizando o ex-Rede Sustentabilidade

Michel não consegue que Íris ceda para Friboi 
Dono de grande patrimônio eleitoral em Goiás, o ex-governador Íris Rezende nem aceita conversar sobre hipótese de desistir de disputar o governo do seu Estado para ceder lugar ao bilionário Júnior Friboi, cristão novo no PMDB. O vice-presidente Michel Temer provocou almoço com o velho amigo, esta semana, mas Íris não permitiu que o assunto virasse tema do encontro. E tudo continuou na estaca zero.

Dificuldades
Michel Temer abonou a filiação de Júnior Friboi ao PMDB e prometeu ajudar a viabilizar sua candidatura, mas enfrenta dificuldades.

Alves escapou
Temer convidou o presidente da Câmara, Henrique Alves, para ajudar a fazer Íris Rezende ceder para Júnior Friboi. Mas Alves não apareceu.

Exercício de paciência
O novato Júnior Friboi faz curso intensivo prático, no embate com Íris Rezende, aprendendo a Lição nº 1 de Política: ter paciência. 

Confiança
Para Íris Rezende, o governador Marconi Perillo (PSDB), ferido de morte no caso do bicheiro Cachoeira, não é páreo para ele em 2014.

‘Chefe’ de doleiro já teve os sigilos quebrados
O deputado Waldir Maranhão (PP-MA) teve os sigilos fiscal e bancário quebrados pelo Tribunal Regional Eleitoral dias antes de a Polícia Federal gravá-lo ao telefone chamando o doleiro Fayed Traboulsi de “chefe”, na Operação Miquéias. Maranhão não comprovou R$ 600 mil gastos em campanha, por isso o TSE já o investigava. Todos os indícios contra ele já foram remetidos ao Supremo Tribunal Federal.

Oposição a Sarney
O inferno astral do deputado “chefe” do doleiro levou alegria a certo clã, em São Luís: Waldir Maranhão se opõe ao senador José Sarney.

Ás nos negócios
Waldir Maranhão começou a “dar na vista” em 2010: seu patrimônio declarado ao TSE subiu de R$ 140 mil para R$ 776 mil, em 4 anos.

Linha ocupada
O deputado Waldir Maranhão, discreto membro do baixíssimo clero da Câmara, torrou R$ 112 mil do contribuinte nos recessos em 2013.

Torcida palaciana
Assim como celebrou ontem a derrota de Marina Silva, e do seu partido Rede Sustentabilidade, o Palácio do Planalto fará festa somente se ela não for disputar as eleições presidenciais de 2014. Sem Marina no páreo, o PT avalia que Dilma pode ser reeleita no primeiro turno. 

Porcarias
Dava para desconfiar com tantos escândalos em série: estamos na Semana Nacional do Porco, criada pelo ministério da Agricultura para estimular o consumo de suínos no país. Mas não precisava exagerar...

Boicote 
Em pé de guerra com o governo, médicos que participam de conselhos e comissões no Ministério da Saúde – indicados por entidades da classe – pediram demissão após a criação do programa Mais Médicos.  

Contamina Alckmin 
A Defensoria Social, ONG que luta pela descontaminação da lagoa de Carapicuíba, na Grande São Paulo, vai entregar o prêmio Contamina SP ao governador Geraldo Alckmin, neste domingo, por não impedir o depósito de material contaminado na lagoa.  

Dito e feito
Em pé de guerra com o PT, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) articulou com o prefeito de Guarapuava, Cesar Silvestri, para cassar o título de cidadão honorário dado à Zeca Dirceu, filho de José Dirceu. 

Em campanha
A cúpula do PCdoB realizou encontro ontem na ilha de São Luís para reforçar a candidatura do presidente da Embratur, Flávio Dino, favorito nas pesquisas de intenção de voto ao governo maranhense em 2014.

Com Dilma
Para o deputado Roberto Teixeira (PE), a eleição de Eduardo da Fonte a líder do PP é mais uma prova de que o partido está governista como nunca: “Nas votações, nossa bancada é mais coesa do que o PT”. 

Só pensa nisso
O deputado Ricardo Tripoli acertou diretamente com o governador Geraldo Alckmin sua permanência no PSDB em São Paulo, onde  acredita que terá mais chance de se reeleger em 2014.

Pensando bem...
...Dilma já pode “bater”, agora que os EUA “fecharam as portas”, com o impasse da votação do Orçamento no Congresso.



PODER SEM PUDOR
Diplomacia competente

Os diplomatas brasileiros são mesmo uns craques. No primeiro governo FHC, o Brasil recebeu a visita do primeiro-ministro do Mali, Ibrahim Boubacar Keita, que, após os encontros de governo, foi conduzido para uma coletiva no Itamaraty. Ao final, Keita estava encantado:
- Estou impressionado. Os jornalistas brasileiros conhecem todo sobre Mali.
Na verdade, os nossos diplomatas é que mereciam o elogio. Fingiram que eram repórteres para disfarçar o fiasco: os jornalistas de verdade ignoraram a coletiva.