Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 30/10/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
CLÁUDIO HUMBERTO

“Merece minha homenagem pelo seu comportamento digno”

Ex-presidente Lula referindo-se a José Sarney, a quem atacava durante a Constituinte

 

Rose, de Lula, está sujeita a 25 anos de prisão

Íntima do ex-presidente Lula e ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha é alvo de Processo Administrativo Disciplinar que pegou leve com ela, apenas destituindo-a do cargo em comissão, por recomendação do ministro petista Jorge Hage (Controladoria-Geral da União). Transferidas para o âmbito penal, as acusações contra “Rose” podem somar mais de 25 anos de cadeia.

Os crimes

Rosemary Noronha é suspeita dos crimes de falsidade ideológica, tráfico de influência, corrupção passiva e formação de quadrilha.

Punição, que é bom...

Jorge Hage empurrou com a barriga o processo administrativo ao Ministério Publico Federal, para “providências”. O MPF resolveu agir.

Amigos de fé

Em junho, a Casa Civil da Presidência chegou a negar acesso ao Ministério Público Federal ao processo administrativo de Rose. 

Ela tem a força

Um ano após o escândalo, a poderosa Rose, íntima de Lula, ainda não foi punida por nenhuma das 11 irregularidades a ela atribuídas. 

Relator do ‘Mais Médicos’ pode substituir Padilha

O relator da MP do Programa Mais Médicos, Rogério Carvalho (PT-SE), é cotado na bancada petista para suceder o ministro Alexandre Padilha (Saúde), que deverá deixar o cargo para disputar o governo paulista em 2014. Amigos de movimento estudantil, Padilha articulou sua indicação para relatoria da MP, desbancando o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), favorito na base aliada para assumir a vaga.

Velhos aliados

Rogério Carvalho foi o substituto do atual ministro Alexandre Padilha na Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina.

Lados opostos

Entidades médicas resistem a Rogério Carvalho, que, após assumir a relatoria da MP, sofreu retaliação do CRM-SP, de onde foi funcionário.

Bom desempenho

Forte defensor do Mais Médicos, o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mozart Sales, também é cotado a ministro.

Claque

Desesperada com a falta de quórum na homenagem ao ex-presidente Lula na Câmara, a liderança do PT mandou deputados e chefes de gabinetes encherem o plenário com seus assessores. E são muitos.

Boicote

Deputados da base aliada como PR, PSD, PP, PTB e PDT se uniram à oposição e ignoraram a entrega ao ex-presidente Lula da medalha Suprema Distinção, em comemoração aos 25 anos da Constituinte.

O Estado de cócoras

Bandidos se uniram aos “black blocs” para tocar o terror na Rodovia Fernão Dias, em São Paulo, diante da passividade da PM. Como a TV mostrou tudo ao vivo, agora as autoridades começam a se mexer.

Vexame

O Ministério Público Federal no DF atira primeiro e pergunta depois: exigiu ontem pela manhã que a Anvisa fizesse alterações em seu edital de concurso, mas, à tarde, descobriu que tudo já tinha sido feito.

Faltará munição

Fuzileiros fazem simulação de guerra em Formosa (GO), com munição real. Como a Marinha anda numa pindaíba de dar dó, trabalhando só 4 dias por semana para economizar no rancho, seu paiol vai ser zerado.

Maquiagem

O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) denuncia que taxa de desemprego chega hoje a 30%, e não a 5,4% como divulgou governo: “O problema é que eles consideram empregados quem recebe Bolsa-família”.

Cocaleiros bilionários

Mariela Salas, diretora da Unidade de Investigações Financeiras da Bolívia, disse ontem que não há dados sobre a fortuna lavada no país, de dinheiro vindo do narcotráfico. A estimativa é de US$ 900 milhões.

Poço de mágoas

Sindicalista convertido em celebridade pela imprensa que hoje ataca, o ex-presidente Lula tem raiva de jornalistas por revelarem malfeitorias do seu governo, como o mensalão. Rancor faz muito mal à saúde...

Confraternização

Lula foi recebido ontem com tapinhas nas costas por alguns dos “300 picaretas” que certa vez apontou no Congresso.

PODER SEM PUDOR

A sopa era uma droga

Tentando ser simpático, o que não lhe é tarefa fácil, o então líder do governo, senador Aloízio Mercadante (PT-SP), ofereceu um prato de sopa ao rival do PSDB, Arthur Virgílio (AM), no intervalo da longa audiência de Henrique Meirelles no Senado, em 2004. O sabor não estava lá essas coisas, o que levou Virgílio – dono de raciocínio como uma bala – a brincar com o colega:

- Vou denunciar você à delegacia de combate às drogas...

__

Com Ana Paula Leitão e Teresa Barros

www.diariodopoder.com.br