Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 22/03/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“A partir da próxima eleição, seremos governo ou oposição”
Gilberto Kassab, presidente do PSD, adiando o dilema existencial do seu partido

Bancários acusam desmonte do BB em Brasília
Funcionários do Banco do Brasil, parlamentares e sindicalistas se mobilizam contra o que chamam de “desmonte” da sede do Banco do Brasil, em Brasília, e sua transferência para São Paulo. Eduardo Araújo, diretor do sindicato, denuncia inclusive que o BB estaria fazendo a transferência de forma discreta, para não chamar a atenção, mas já suprimiu 70 cargos em apenas uma diretoria em Brasília.

Banco nega
O BB nega a transferências de suas diretorias e que inaugurou seu datacenter e criou 630 cargos nos últimos dois anos, em Brasília.

Bancários confirmam
Sindicalistas confirmam que desde 2010 o Banco do Brasil transferiu setores para São Paulo áreas importantes: Agronegócio e Comercial.

Só um pedaço
Apos negar o fato, o Banco do Brasil confirmou em seguida apenas a transferência de trinta cargos da área comercial para São Paulo. 

Viagem à italiana
Apenas cinco convidados acompanharam oficialmente Dilma à Itália, outros 46 eram aspones, seguranças e “papagaios de pirata”. 

Oposição quer apurar luxo de Dilma em Roma
A oposição quer saber o custo da viagem da presidenta Dilma a Roma, cuja comitiva ocupou 52 apartamentos no luxuoso hotel The Westin Excelsior, onde a diária mais barata de uma suíte de luxo chega a R$ 6 mil. Como esta coluna revelou na terça (19), ela não quis se hospedar no palácio Diria Pamphilj, sede da embaixada do Brasil, que dispõe de inúmeras suítes e apartamentos para acolher autoridades brasileiras.

Lorota boba
A lorota do chanceler Antonio Patriota, “explicando” o fato de Dilma de não se hospedar na embaixada, foi uma confissão de incompetência.

Carochinha
Patriota disse que a embaixada foi evitada porque é iminente a troca de embaixador, como se num momento assim o posto ficasse às moscas.

Requerimento
O líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR) pediu informações ao Palácio do Planalto sobre o alto custo do passeio de Dilma e comitiva.

Tourada
O jornal espanhol ABC criticou “o socialismo” nada franciscano de Dilma, hospedada em hotel luxuoso com enorme comitiva, citando a embaixada vazia e grátis em Roma, como destacou esta coluna dia 19.  

Brasil bom de soja
O Departamento (ministério) de Agricultura do governo Obama prevê que no final do ano o Brasil vai superar os Estados Unidos na produção de soja. Produziremos 52 milhões de sacas a mais. Chupa, gringo!

Dispensa de ponto
Parlamentares que presidem partidos são dispensados de freqüência, por isso Rui Falcão (PT) mal aparece na Assembléia de São Paulo e Aécio Neves (PSDB), a partir de maio, vai escafeder Brasil afora.

Penta, mas fraquinha
O Times, o maior jornal da minúscula república de Malta, tirou um sarro com o time de Felipão: “A seleção pentacampeã está apenas seis posições a frente de Mali (no ranking Fifa). Mali se aproxima”.

À beira de um ataque
Em sessão na comissão de Infraestrutura do Senado, Pedro Taques (PDT-MT) notou a presença de desafeto e parece haver entrado em pânico. Informado pelo presidente da comissão, Fernando Collor (PTB-AL), Renan Calheiros acionou os segurança da Policia Legislativa.

Sob suspeita
O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, terá que explicar no Senado por que o banco privilegia algumas empresas. O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) acha tudo muito suspeito.

Casa do atraso
Somente agora, dez anos depois, a Câmara vai analisar projeto do atual ministro Garibaldi Alves (Previdência) que trata do caso Suzane Richthofen, aquela que assassinou os próprios pais em 2002.

Decadência
Assinantes da Sky em Brasília, incluindo autoridades, estão há dez dias sem sintonizar a GloboNews e demais canais da Globosat. Sinal de que a operadora anda brigando com um dos seus principais clientes.

Pensando bem...
...que belo filme faria Fellini sobre a “dolce vita” da comitiva de Dilma em Roma, com Alberto Sordi no papel do ministro Aloizio Mercadante. 

PODER SEM PUDOR
Xingando quem saía

Na Praça dos Três Poderes lotada, povão em transe, Fernando Henrique e Lula se enrolavam com a faixa presidencial, na solenidade de transmissão de cargo. Um militante babando ressentimentos passou a xingar FHC com um potente vozeirão. Gritou todos os palavrões que aprendeu na vida, acompanhado em coro pela platéia, até esgotar o repertório. Coçou a cabeça, como se procurasse um xingamento novo, e arrematou, para o delírio da galera:
- ...seu ...seu... seu sociólogo!

Com Ana Paula Leitão e Teresa Barros 
www.claudiohumberto.com.br