Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Conexão Esporte

ACESSIBILIDADE: A A A A
Júlio César de Oliveira 22/02/2013
Júlio César de Oliveira
juliouberaba@uol.com.br
Conexão Esporte - 22/02/2013

Estádios liberados
O Ministério Público de Minas Gerais liberou quarta-feira (dia 20), após recebimento de laudos, os estádios: Uberabão, localizado em Uberaba; Ronaldão, de Poços de Caldas; Campo da Tombense, em Tombos, Castor Cifuentes, em Nova Lima e Bernardo Rubinger de Queiroz, de Patos de Minas, com restrições e prazo para saneamento das irregularidades. O estádio Zama Maciel, em Patos de Minas, também teve seus laudos avaliados e foi aprovado sem restrições.

Divisões de base
O Chefe do Departamento de Futebol da Federação Mineira de Futebol (FMF), no uso das suas atribuições legais, resolve retificar a taxa de participação das agremiações habilitadas para participar da Seletiva da categoria básica de futebol, Infantil e Juvenil, temporada 2013. Registra-se que as agremiações descritas deverão quitar, mediante depósito bancário ou diretamente na tesouraria da FMF, as quantias mencionadas para cada uma, até o dia 1º de março de 2013. Informa-se que, ultrapassado o prazo mencionado sem a efetiva quitação da taxa de participação, restará a agremiação, automaticamente excluída da competição em tela. Para o Uberaba Sport Club a taxa é de R$ 16.132,93.

Fora da telinha
A rodada deste fim de semana será a última da fase classificatória da Taça Guanabara. Em nenhum dos oitos jogos, o Botafogo teve sua partida transmitida pela Globo em TV aberta, enquanto que os rivais cariocas não sofrem do mesmo problema. Vasco e Flamengo lideram com três aparições, enquanto o Fluminense teve duas. A medida gerou revolta no diretor executivo Sérgio Landau, que cobra a emissora por uma mudança no planejamento para a Taça Rio. O dirigente fez questão de exaltar a boa relação do Botafogo com a TV Globo, mas utilizou de duras palavras para exigir que o Botafogo tivesse suas partidas transmitidas na TV aberta. Segundo Landau, o canal precisa se posicionar sobre a situação ou liberar o Alvinegro para negociar com outras emissoras.

Enganador
Dênis Oliveira de Souza largou o futebol faz dois anos, mas estranhou quando viu seu nome ser colocado como provável reforço do Penapolense para a disputa do Paulistão. O ex-lateral-direito de 29 anos, que já defendeu o Santos e Corinthians, descobriu que uma pessoa ainda não identificada tem se passado por "Dênis", falsificando documentos, para tirar dinheiro de clubes desavisados. O "falso Dênis" acertou as bases salariais com o Penapolense no começo do ano (negociação conduzida por uma pessoa que se passava por empresário) e só foi desmascarado no exame médico, quando notaram que o atleta tinha características diferentes da de Dênis. No futebol está cheio de "Denis".

Motivado
Nos amistosos e nos primeiros 53 minutos de jogo entre URT e Uberlândia, a torcida do Trovão Azul (URT) já sabia que o "homem da bola parada" do time era o meio-campista Zé Maria. Isso porque, o jogador percorria todas as extremidades do campo para realizar as cobranças de falta e escanteio. Mas aos sete minutos do segundo tempo esta história teve um desfecho curioso. O atacante Leandro Bocão pediu para bater e fez o gol da vitória do time de Patos de Minas. O próximo compromisso da URT é no clássico do Milho, contra o Mamoré, no domingo (dia 24), às 16h, no estádio Bernardo Rubinger de Queiroz. E Leandro Bocão garante que essas partidas o deixam ainda mais motivado.

Dunga
A relação entre Dunga e Paulo Paixão é maior e mais profunda do que se pensa. Técnico e preparador físico comungam de uma espécie de pacto de confiança total. Paixão voltou ao Internacional por um pedido do capitão do tetra. E após reencontrar o ex-volante, garante: Dunga está melhor do que antes para a função de treinador. "Eu te diria com toda a sinceridade do mundo: o Dunga está melhor do que na seleção. Ele com ele mesmo, diante dos problemas naturais. Os problemas do futebol são praticamente os mesmos. Só muda o nome do clube, do jogador. E no Inter ele tem o dia a dia, tem mais tempo do que antes", disse Paulo Paixão.