Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Em Questão

ACESSIBILIDADE: A A A A
Décio Bragança 08/06/2014
Décio Bragança
deciobraganca@yahoo.com.br
Em Questão

Voltar aos 17 depois de viver um século 
 Mais importante, para mim, do que a Copa do mundo de futebol é o amor. Estamos na semana do Dia dos Namorados. A Copa passará, mas o Amor não passa. Sem amor, a vida não tem sentido.

É como decifrar sinais sem ser sábio competente 
 Esta canção em negrito é de Violeta Parra, imortalizada na voz de Mercedes Sosa, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Chico Buarque, Joan Baez e muitos outros e outras. Só o amor nos faz dignos. 

Voltar a ser de repente tão frágil como um segundo 
 O amor é desnecessidade. Em outras palavras, não é gênero de primeira necessidade, já que muitas pessoas vivem 60, 70, 80, 90 anos sem nunca terem amado nem serem amadas. 

Voltar a sentir profundo como um menino diante de Deus 
– Porque desnecessário, muitas vezes o amor nos faz sofrer, nos tira o chão, nos faz parecer bobos, babacas, babões. Porque o amor é dividir sempre, quem ama fica pobre. E como é bom ser pobre!

Isso é o que sinto neste instante fecundo
O amor é a glória de ter sido escolhido. Não sou o mais tesudo, o mais gostoso, o maior atleta sexual, o mais bonito, o mais rico, o mais perfumoso, o mais saudável, mas tenho a glória de ter sido escolhido.

Vai se envolvendo, envolvendo como no muro a hera 
 O amor é uma opção misteriosa. Minha amada não precisa de mim, não precisa de meu sexo, não precisa de meu dinheiro, não precisa de nada que é meu, por isso está livre para me amar. Isso para dizer que quanto mais se ama, mais se fica livre.

E vai brotando, brotando como o musgo na pedra 
 O amor foge de qualquer lógica, de qualquer racionalidade. Pensar é não amor. Por isso, não há razões de amar. E muito menos de ser amado.

Como o musgo na pedra, ai sim, sim, sim 
 O amor é o resto, é o que resta de uma vida inteira. Nada fica a não ser o amor porque a eterniza. Quem ama não morre. Nesse sentido, amar é deixar-se no outro, nos muitos outros. Depois de ter-se deixado por inteiro, a morte coroa a vida.

Meu passo retrocede quando o de vocês avança 
 O amor é ver-se no outro, ou melhor ainda é ver o outro com os olhos do outro. Eu te amo porque te amo. 

O arco das alianças penetrou em meu ninho 
 Amor é estar no outro para ser. Para ser-mais. Para ser-melhor. Na busca de mim, eu te encontro. Conheço mais na mesma medida em que mais te conheço. Viver é admirar-se de amar e de ser amado.

Com todo seu colorido passeou por minhas veias 
 O amor se nutre de desespero e de cuidado. O desespero de não amar e não ser amado é morrer completamente de corpo e de alma. O cuidado para a conservação do amor cria a perspectiva de mais amar e mais ser amado. Eu cuido de ti, porque sei cuidar de mim. 

E até a dura corrente com a qual nos prende o destino 
 É tão bom quando uma pessoa pode se esquecer ou se deixa esquecer em cima, no coração, nos braços e nos abraços, nos beijos, no corpo do outro. O amor não tem peso. É leve. É levíssimo.

É como um diamante fino que ilumina minha alma serena 
 O amor abre caminhos, horizontes. Sem amor, não se pode servir a formosos ideias e sonhos de alegria e felicidade. Sem dúvida, é o amor uma inspiração divina que põe fogo na vida, no desejo do melhor.
O que pode o sentimento não o pode o saber 
 O amor é saúde, porque embeleza os corpos mais do que qualquer exercício ou academia. É também algo que contagia, que contamina a quantos rodeiam os amantes. 

Nem o mais claro proceder, nem o maior dos pensamentos 
 O amor é um ímã que atrai bons fluidos e aromas e ares e perfumes. Queiramos ou não, o campo magnético das pessoas é o amor – alegria de viver – encantamento pela vida, por todos os seres vivos e não-vivos.

Tudo o muda num momento qual mago condescendente 
 Uma pessoa sem amor é sombra. Uma sombra não tem forma, força, garra, tesão, entusiasmo, energia, calor. O amor é juventude, é voltar aos dezessete anos.

Nos afasta docemente de rancores e violências 
 O amor prova-se na ação, na expansão do próprio amor, na esperança e na busca da perfeição. E sem isso, a rotina, o medo de viver, o medo de sofrer e o medo de morrer.  

Só o amor com sua ciência nos torna tão inocentes 
 O amor nos deixa ativos, criativos. Parasitas não amam, porque sem caráter e personalidade. Parasitas não se preocupam com o porvir, com o futuro, porque também não têm futuro.

O amor é um turbilhão de pureza original 
 O amor emancipa o caráter e a personalidade, porque nos faz escolher aptidões e habilidades, porque são sementes de renovação – possibilidade de ser, de ser-mais, de ser-melhor.

Até o feroz animal sussurra seu doce som 
 O amor é chuva que cai que não conta as contas d’água, nem se pergunta se deve ou não cair. Daí a gratuidade do amor. Simplesmente, fecunda a semente, a flor. 

Detém os peregrinos, liberta os prisioneiros 
 Deixar de amar é renunciar a vida, é corromper a consciência, é conspirar contra o bem, a verdade e a beleza, é algemar a esperança e os desejos, é suportar os obstáculos, é buscar fama, sucesso, riquezas e poder. 

O amor com seus esforços ao velho o torna criança 
 Se o amor não for desesperado, desesperador, desesperante não vale a pena. Quão bom seria se os amantes pudessem dizer um ao outro: “Te amo desesperadamente! “

E ao mal só o carinho o torna puro e sincero 
O amor desata os nós e os laços das convenções e das leis. Para viver não precisa de convenções e leis. Convenções e leis são muletas. 

De par em par a janela se abriu como por encanto 
 O amor é a medida de todas as coisas vivas e não-vivas. Tudo se relaciona entre si, por isso o vigor da vida.

Entrou o amor com seu manto como uma fraca manhã 
 As coisas, os seres são, porque amam. Se não amassem, seria o caos absoluto.

Ao som de sua bela Diana fez brotar o jasmim 
 Não te amo porque preciso de ti, mas preciso de ti porque te amo. Quanto mais desnecessário, maior será o amor.

Voando qual serafim ao céu lhe pôs brincos e pingentes 
 Ana behibak – Ana behibek – Obicham te – Ik hou van jo – Ngo oiv ney a – Wo ai ni – Te quiero – Te amo – Ich liebe dich – Ek het jou lief.

Meus anos em dezessete os converteu o querubim 
Aishiteru - Ya tebya liubliu - Ich lieb di - Ua here vau ia oe - Bahibak - Hum tumbe pyar karte hae - Aloha wau ia oi - Sarang heyo - S'agapo - T'estimo - Mi amas vin - Je t'aime - Y love You - Eu te amo.