Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Em Questão

ACESSIBILIDADE: A A A A
Décio Bragança 15/02/2015
Décio Bragança
deciobraganca@yahoo.com.br
Em Questão

Ano novo - A alegria e o entusiasmo nos fazem desenvolver a necessidade de realização pessoal, para a auto realização. Como seres sociáveis, a autorrealização dependerá enormemente da realização das pessoas mais próximas, do grupo, da comunidade, da organização. Nem sempre as pessoas do nosso lado estão dispostas a nos ajudar ou até a nos perdoar. Infelizmente, as pessoas estão muito mais predispostas a nos condenar – o que Sartre a afirmar que “o inferno são os outros”. 
Acabaram as férias - No fundo, queremos ser perdoados e amados, mas estamos pouco dispostos a perdoar e amar. “Quem fica pobre” nos ensina Roberto Freire, em seu livro “Utopia e Paixão”. Como queremos fama, sucesso e muito dinheiro, pouco amamos, porque amar é dividir, enquanto ficar rico é acumular, multiplicar. 
Começaram as aulas - Uma escola é o espaço privilegiado da reflexão. Por isso, espaço de liberdade. Não se pode refletir, pensar, analisar, observar, propor, interferir, pesquisar, fazer ciência sem liberdade. Não tem sentido criarem-se escolas em o propósito de formar cidadãos livres. Liberdade, aqui, significa que cada um possa dirigir seu próprio pensamento e conduta e comportamento, adaptando-se às condições do ambiente e das relações sociais sempre a seu favor para o seu bem. Nunca contra si mesmo.
Vem o carnaval - Esse crescimento individual pressupõe o exercício permanente da liberdade e da reflexão. É preciso no entanto termos conceitos claros do que seja liberdade. Para mim, liberdade é força, energia, garra, gana que nos impele, empurra para o bem, para que cada um e todos possam vencer problemas e obstáculos e crises. Nesse sentido, liberdade é exercício diário, uma conquista diária.
 Liberdade possível - Vale dizer assim que não nascemos livres, mas que a liberdade é luta, conquista, horizonte, meta, objetivo, finalidade. Educação e liberdade se propõem uma preparação para o futuro. Observe-se, então, que liberdade não é um laissez-faire – fazer o que se quer em todos os tempos e em todos os lugares.
Escola possível - Não há liberdade para o mal, para a mentira, para a feiura. Liberdade é o caminho para o bem, para a verdade, para a beleza, tanto no sentido individual e pessoal, quanto no social e coletivo. Vale dizer também que essa prática da liberdade é que pode nos levar à democracia, porque não pode haver democracia sem educação, reflexão, liberdade, ética.
Evolução - Nesse sentido, liberdade se confunde com o processo evolutivo, preconizado por Darwin, Galileu, Descartes, Lavoisier, Popp, Dewey e tantos outros. O indivíduo tem o poder de dominar a si mesmo e depois reproduzir o que lhe é bom, verdadeiro e belo, ou rejeitar o que lhe é mau, mentiroso e feio. Daí, porque a liberdade é processo, pode crescer, pode evoluir até o seu máximo, através da educação. A evolução social e toda espécie de evolução é a causa da liberdade individual e de toda a espécie de liberdade. Liberdade assim é o efeito da evolução.
Cultura - A liberdade não é nata ou natural. O desejo de liberdade tal o seja, mas cresce, evolui, dependendo de muitas condições. Por isso, sempre dizemos que a liberdade é uma possibilidade, é uma potencialidade – uma semente. Como semente em condições desfavoráveis, apodrece, murcha e morre. Em condições favoráveis, germina, brota e se fortalece.
Vou beijar-te agora - Para muitos, ninguém nasce livre, porque a liberdade nasce quando houver condições de reflexão, de educação, de crítica, de análise. Nesse sentido, o homem só será livre em condições favoráveis à própria liberdade, vencendo a si mesmo e os obstáculos externos a ele. A liberdade, então, é um exercício permanente, um processo trabalhoso até contra si mesmo. Só o ser humano é capaz de ser livre, porque liberto, por exemplo, dos chamados instintos animais. Os animais e os vegetais estão, até que se prove o contrário, presos aos próprios instintos de conservação e preservação. Deixar-se levar, para o ser humano, é prender-se à conservação e preservação absolutamente naturais.
Não me leve a mal - A liberdade é ruptura para se chegar além desses instintos animais. Essa ruptura também é construída, conquistada. Isso para dizer que impossível ser-se livre da noite para o dia. É sempre bom lembrar que tudo é construído. Ninguém nasce home ou mulher, brasileiro ou japonês, cidadão e escravo, cristão ou muçulmano, capitalista ou comunista... E tudo pode ser construído, rompido, virado de pernas para o ar, pelo avesso.
Compromisso - É possível entender a liberdade em vários níveis, isto é, uma pessoa poderá ser mais livre do que a outra, assim como poderá ser melhor do que a outra. Ninguém nasce livre ou bom. A liberdade ou a bondade nascessem com o próprio homem, seríamos todos iguais, igualmente livres ou bons.  Existem níveis de evolução, às vezes, pelas circunstâncias, pelas condições, pelas situações. O homem é um ser em expansão – sempre crescendo de dentro para fora. Observemos algumas pessoas: uma nasce em ambientes totalmente hostis, com todas as possibilidades de ser um mau indivíduo e torna-se bom sujeito, cidadão consciente; outra tinha tudo para ser bom com boa família, bons estudos, bom ambiente e torna-se ladrão, corrupto, bandido, assassino.
Busca desesperada - A própria evolução tecnológica e científica, a criação e formulação de leis, as propostas de uma sociedade mais justa e igualitária, a pesquisa de medicamentos, materiais e alimentos, a organização social, política, cultural, econômica... são provas de que os seres humanos são reflexivos e livres, porque educados e compromissados consigo mesmos e com os outros. Isso prova também a inquietação e angústia, o desejo de busca do ser humano, sempre inconformado com o aqui e agora, porque sabe que podemos ser-mais e podemos ser-melhores.
Reflexão - A escola é o espaço privilegiado para o estímulo da liberdade. Quando se fala em estímulo imediatamente pensamos em condicionamentos. Aqui, o que se pretende é exatamente o contrário. Estimula-se inclusive para se ficar livre dos condicionamentos biológicos e sociais. O estímulo abre as portas, as janelas, o coração e a mente para uma infinidade de possibilidades.
Ética - Perceber uma possibilidade, uma luz no fim do túnel, significa ser desafiado para resolver mais um problema, sempre mais complexo do que o anterior. O problema é que nos faz pensar, refletir, analisar, julgar e agir livre e conscientemente. Problema, aqui, também tem uma grande extensão significativa, abrangendo a ideia de obstáculo, impedimento, proibição, prisão, entrave, uma pedra no caminho. Superar um problema é preparar-se par superar outros à frente. Isso significa também experimentar-se, controlar-se, dominar-se – o que pressupõe a mais absoluta liberdade. Por isso é que para muitos professores, filósofos, pensadores só é possível ser livre em clima de reflexão. O melhor clima de reflexão é a escola – laboratório de ciência, de conhecimento, de cultura, de arte. Nesse grande e importante laboratório nasce a dúvida, a interrogação, a complexidade, as dificuldades, a perplexidade, o problema. A partir daí, a busca, a procura, a pesquisa, as soluções – eureca!