Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Em Questão

ACESSIBILIDADE: A A A A
Décio Bragança 22/11/2015
Décio Bragança
deciobraganca@yahoo.com.br
Em Questão

Salve lindo pendão da esperança! Salve símbolo augusto da paz! - Em “O Príncipe” de Nicolò Maquiavel (1469-1527), há os Dez Mandamentos para quem quer exercer o poder. Para conhecimento de todos, eis os Dez Mandamentos de Maquiavel: 1º - Zelai apenas pelos próprios interesses – os poderosos, sempre brutos e brutais, devem oprimir os mais ingênuos, os mais simples, os mais humildes. Palavras dele: “A fora é direito; portanto, o forte deve defender sua força e fazer leis para sua própria proteção contra os fracos. O dever do fraco é servir o forte e o dever do forte é servir a si mesmo.”

 

Tua nobre presença à lembrança a grandeza da Pátria nos traz - 2º - Não honreis a mais ninguém além de vós mesmos. Na realidade, Maquiavel não acreditava em democracia. Acreditava, sim, no poder centralizador. Palavras dele: “Aquele que é a causa da grandeza de outro é tolo. Lutai pelos interesses dos outros apenas quando puderdes fazer bom uso deles. Mas, no momento em que o outro tornar-se popular, matai-o. Para o homem ambicioso é ambicioso, é imperativo não possuir rivais.”

 

Recebe o afeto que se encerra em nosso peito juvenil, querido símbolo da terra, da amada terra do Brasil! - 3º - Fazei o mal, mas fingi fazer o bem. Para ele, quem exerce o poder deve ser mentiroso, desonesto, viver de aparências, para se conservar no poder. Ninguém deve desconfiar de sua maldade, porque todos lhe devem reverência e devem ser homenageados, premiados, louvados e, se possível, até adorados. Afinal, o político é uma pessoa nobre e, para alguns, até representantes de Deus.

 

Em teu seio formoso retratas este céu de puríssimo azul – 4º - Cobiçai e procurai obter tudo o que puderdes. Pensando em si mesmos, os políticos têm a oportunidade única de ficar rico, não importando a ética, os direitos dos outros. O roubo, a corrupção, as propinas não podem explícitas, porque pode despertar a ira dos cidadãos. Palavras dele: “Roubai tudo o que puderdes e silenciai os que se queixam; aparentai ser sempre um príncipe liberal e bom.”

 

A verdura sem par destas matas, e o esplendor do Cruzeiro do Sul – 5º - Sede miserável. Além de tudo que já disse, aconselha que o político seja pão-duro, que não seja generoso, que não crie políticas públicas de divisão de renda, de programas para matar a fome e sede, que não crie bolsas-família, proUni, fies, financiamento de moradias, porque os cidadãos nunca podem se sentir felizes e contentes, ou satisfeitos. A população não admite pagar impostos para esses fins. 

 

Contemplando o teu vulto sagrado, compreendemos o nosso dever – 6º - Sede brutal.  O político tem de ser duro, enrijecer as leis e os castigos, diminuir a idade penal, implementar a prisão perpétua e, se possível, até a pena de morte. O chefe não pode parecer frouxo, benevolente. Só será respeitado se estiver disposto a punir quem quer que seja. Palavras dele: “Somente um bruto pode ser um grande rei. Um príncipe, para observar a obediência de seus súditos e o respeito de seus soldados e cidadãos, terá que sufocar em si o homem e desenvolver a besta que existe dentro de si.”

 

E o Brasil por seus filhos amados, poderoso e feliz há de ser! - 7º - Lograi o próximo toda vez puderdes. Em outras palavras, Maquiavel apela para o marketing – ciência da mentira. Enganar os outros para que o político se pareça com o que não é. Por isso, todos os políticos fazem questão de negar sempre qualquer falcatrua, qualquer deslize, qualquer envolvimento de corrupção, de evasão de divisas, de sonegação de impostos, de depósitos em paraísos fiscais, de caixa-dois.

 

Recebe o afeto que se encerra em nosso peito juvenil, querido símbolo da terra, da amada terra do Brasil! – 8º - Matai os vossos inimigos e, se for necessário, os vossos amigos. É comum, hoje, ouvir dizer que determinado crime foi cometido entre gangues, entre rivais do tráfico, por exemplo. Esse embate, essas brigas, porque sem policiamento, sem prevenção, são produzidos pelos próprios políticos. Enquanto eles se engalfinham, os políticos se mantêm no poder. Agora, a deleção premiada. “Tiro o meu e coloco o seu” – ação entre amigos, entre cúmplices.

 

Sobre a imensa Nação Brasileira – 9º - Usai a força, em vez de bondade, ao tratardes com o próximo. Palavras dele: ”Não quero ser amado, quero ser temido. Quando tiverdes um príncipe rival fora de seus domínios, fazei uma investida contra ele e destrua inteiramente as raízes de sua família. Um homem ambicioso não pode ser cruel apenas em parte; sê-lo-á de um modo completo ou terá de renunciar a sua ambição. Quando tiverdes de vos apoderar de um Estado ou de roubar um homem. Deverás empregar toda a violência de uma só vez, para que o ofendido dela se esqueça depressa; por outro lado, se fordes obrigado a conceder benefícios, concedei-o pouco a pouco, a fim de quer eles sejam sempre lembrados. Um tirano deve manter-se pela força e não pela boa vontade de seus súditos.”

 

Nos momentos de festa ou de dor – 10º - Pensai exclusivamente na guerra. Na defesa de seus próprios interesse, deve estar sempre atento para destruir, fazer guerra com o outro. Palavras dele: “Um príncipe deverá dedicar-se exclusivamente à arte de matar, pois a guerra é a única arte a que se deve dedicar um governante.

 

Paira sempre sagrada bandeira - “O mundo há de odiar-vos” – “Sereis odiados por causa de meu nome” – palavras de Jesus aos apóstolos – que trazem estigmas, marcas, sinais para os que amam, pregam o amor, vivem o amor. Independentemente de se acreditar ou não nos Evangelhos, todos sabem que o amor a Deus, a qualquer Deus, o amor aos homens, a qualquer homem, o amor a todos os seres vivos e não-vivos, o amor a si mesmo, têm a vida marcada com sangue, porque uma ameaça ao poder e aos poderosos. Não há poder sem tirania e sem raiva, sem ódio e sem vingança, sem dores e sem morte.

 

Pavilhão da justiça e do amor! - Claro, desde muito pequeno, Jesus com seu pai e sua mãe sofreu perseguição do poder. Lembram-se da fuga dessa família para o Egito? Pois é, José toma o filho e sua mãe, à noite, e fogem, por causa da ameaça de Herodes. Só voltam à cidade natal depois da morte do poderoso Herodes. Quem exerce o poder sabe que o “mal” deve ser cortado pela raiz, isto é, quanto mais cedo o “mal” for extirpado, manter para se manter no poder, para manter o status quo.

 

Recebe o afeto que se encerra em nosso peito juvenil – Para continuarem vivos, muitos ainda fogem de perseguições e miséria, de ameaças e fome. Basta observarmos o que está acontecendo com os muitos africanos, sírios, libaneses, turcos, muçulmanos, em fuga, para o Egito atual – Europa. Basta observarmos, na história brasileira, os muitos nordestinos, em fuga, para o sudeste.

 

Querido símbolo da terra, da amada terra do Brasil! - A palavra “nordestino” traz, para nós, uma conotação de desprezo e de desdém, de desrespeito e de escravidão. Na verdade, o sudeste usa e abusa dos nordestinos, de todas as formas. “Do nordeste pode vir alguma coisa que presta, alguma coisa boa?” – nos perguntamos continuadamente. Pensamos que a inteligência e a capacidade de construir, de pesquisar, de fazer, de empreender são privilégios do sul e do sudeste. “O resto é resto”. Quanta prepotência de uns e quanta humilhação imposta aos outros!