Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Em Questão

ACESSIBILIDADE: A A A A
Décio Bragança 03/11/2013
Décio Bragança
deciobraganca@yahoo.com.br
Em Questão

Et fecit Deus firmamentum
Vamos continuar refletindo sobre o panteísmo e a criação do mundo. Hoje, o nosso terceiro momento. Caso não tenha lido os dois primeiros, busque-os no próprio JORNAL DE UBERABA. Isso para que possa entender esta reflexão, que é uma continuação das anteriores. Em outra ocasião, um pouco mais adiante, vamos refletir sobre o mal, o pecado dos homens no mundo. 

Divisitque aquas
Moléculas bem simples e complexas, bactérias pequenas e grandes, ainda no microcosmos, espalharam pelo universo. Algumas não resistiram e desapareceram. Em outras palavras, deve ter havido vários começos de vida nesse baile, até que uma primeira célula se firmasse. Se consolidasse definitivamente – Áries. Há aproximadamente 600 milhões de anos, começou a diversidade das formas de vida: animais, vegetais, vertebrados, invertebrados, répteis, anfíbios. Insetos, mamíferos... Algumas espécies mais complexas, outras menos complexas. A mais complexa seguramente é a dos mamíferos, criando vínculos afetivos entre mãe e filhos. Com os mamíferos, a vida se qualifica, se experimenta nova. E tudo era Deus, tudo estava em Deus. E tudo é Deus, tudo está em Deus.

Quae erant sub firmamento
Os dinossauros dominaram a Terra por mais de 200 milhões de anos e se extinguiram. Há aproximadamente 70 milhões de anos, os primatas. Há aproximadamente 35 milhões de anos, os hominídeos que desceram das árvores, aprenderam a criar e construir instrumentos de pedra, principalmente, de sua defesa. Nasceu aí o hominídeo, ainda não considerado ser humano, HOMO ERECTUS – com a capacidade de andar em pé – bípede. Só dominaram o fogo há aproximadamente 400 mil. Os hominídeos, diversos ramos, conviveram 200 mil anos. Muitos hominídeos se extinguiram, restando os Neandertais e o homem moderno, como o conhecemos, hoje. Há cerca de 12 milhões de anos, nasce o primeiro ser humano, talvez na África. E tudo isso estava no útero de Deus.   

Ab his quae erant super firmamentum
Deus disse: “Produza a terra seres vivos segundo a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selvagens, segundo a sua espécie.” E assim se fez. Deus fez os animais selvagens segundo a sua espécie, os animais domésticos igualmente, e da mesma forma todos os animais, que se arrastam sobre a terra. E Deus viu que isso era bom. Então Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos e sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que se arrastem sobre a terra.” E assim Deus vai se deixando em tudo.

Et factum est ita
Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: “Frutificai, disse ele, e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra.” Deus disse: “Eis que eu vos dou toda a erva que dá semente sobre a terra, e todas as árvores frutíferas que contêm em si mesmas a sua semente, para que vos sirvam de alimento. E a todos os animais da terra, a todas as aves dos céus, a tudo o que se arrasta sobre a terra, e em que haja sopro de vida, eu dou toda erva verde por alimento.” E assim se fez. Deus contemplou toda a sua obra, e viu que tudo era muito bom. Sobreveio a tarde e depois a manhã: foi o sexto dia. Grávido, Deus pariu o Homem e a Mulher. 

Vocavitque Deus firmamentum caelum
Essas datas inimagináveis, mais do que qualquer outra coisa, nos trazem a certeza de que somos os derradeiros, os últimos no processo criatório. Vale dizer também que por isso somos ainda muito crianças em relação, por exemplo, a Áries que teria iniciado sua trajetória há 4 bilhões de anos. O HOMO SAPIENS - nossos pais, para alguns, teria iniciado a sua caminhada há apenas 50 mil anos. Vale dizer também que o processo criatório e criativo continua, não tem fim. E expressão homo sapiens significa a capacidade de operar com os símbolos, principalmente com as palavras. E tudo era Deus e tudo estava em Deus. E tudo é Deus, tudo está em Deus.
 
Et factum est vespere
Com essa capacidade, aprendeu a atuar e dominar a Terra, mas também aprendeu a matar, impondo terríveis poderes de dominações sobre a natureza e sobre os próprios semelhantes. Essa capacidade, traduzida em poder, eliminou todos os concorrentes, os rivais, os indesejáveis, muitas vezes, pelo simples prazer de matar, de destruir. Há cerca de 28 mil anos, os homens já haviam eliminados os Neandertais. Infelizmente, ainda hoje continuamos com o desejo de destruir, mesmo não tendo mais inimigos, rivais, adversários que precisam ser eliminados. 

Et mane dies secundus
Sem mais grandes problemas, os homens inventaram a agricultura – capacidade de produzir e armazenar alimentos. Nasceram as vilas e as cidades e a população humana inicia um processo de reprodução nunca percebida e experimentada por nenhuma outra espécie. Talvez, começa aqui os primeiros desequilíbrios. Há 10 mil apareceram as primeiras grandes civilizações humanas, com troca de produtos e informações, até a invenção da escrita. Veja no You Tube o filme: A história da Palavra. Tudo estava dentro de Deus, dentro do útero de Deus. Quis dar início a este texto citando dois trechos da Bíblia: um do novo; outro do Testamento. Nos dois trechos é apresentado um Deus que FALA que é o VERBO. Tudo estava em Deus, dentro de Deus, em seu Útero e Deus estava em tudo. Tudo era Deus e tudo estava em Deus. Tudo é Deus e tudo está em Deus. Deus se explode como o Big Bang e todas as suas criaturas são suas fagulhas.

Dixit vero Deus