Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Em Questão

ACESSIBILIDADE: A A A A
Décio Bragança 17/03/2013
Décio Bragança
deciobraganca@yahoo.com.br
Em Questão

"FRANCISCUS, PIEDADE!"
Muitos estão dizendo que uma crise ética - de valores - provoca todas as outras crises. Então, a falta de ética é a mãe de todos os males. Não haverá avanço humano e social sem uma retomada dos valores verdadeiramente humanos e humanamente verdadeiros. 

"FRANCISCO, PIEDADE!"
As grandes economias mundiais decidiram não deixar os bancos irem à bancarrota. Em outras palavras, os governos, claro, com o dinheiro do povo, socializaram os prejuízos dos bancos que nunca quiseram dividir lucros. Assim, até eu que sou mais bobo, ficaria cada vez mais rico, enquanto muitos pobres ficariam cada vez mais pobres. 

"FRANCESC, PIEDADE!"
O fato é que praticamente governo nenhum nunca incentivou, por exemplo, uma agricultura familiar, uma agricultura de subsistência, ou melhor de sobrevivência. Não passar fome, nem morrer de fome já é um bom começo para a superação das crises econômicas. Se a solução é familiar, porque então as grandes corporações estão ficando cada vez maiores?

"FRANÇOIS, PIEDADE!"
As pequenas empresas não conseguem concorrer com grandes empresas, multinacionais, internacionais, transnacionais. As soluções das crises econômicas são sempre as mesmas: aumento do desemprego, principalmente. Sacrificam-se os homens para salvarem as empresas, as corporações, os bancos, as companhias de seguro. 

"FRANCESCO, PIEDADE!"
A economia com seus economistas não está preocupada, por exemplo, com o meio ambiente, com os problemas sociais. O capitalismo nunca gostou de que o Estado interferisse na economia, mas, na hora de socorrer, o próprio capitalismo com suas artimanhas apela para o Estado, deixando sempre em funcionamento a máquina econômica. 

"FRANCIS, PIEDADE!"
O interessante de tudo isso é que nunca foi proposta, por exemplo, redução de gastos com a indústria bélica. Cada vez mais, fazemos mais guerras, muitas delas interferindo na cultura de um povo. Os Estados Unidos gastam de 8 a 9% de seu PIB - Produto Interno Bruto - o que equivale a mais de um trilhão de dólares - com a manutenção das insanas guerras, mesmo tendo seu país arrasado pelas muitas crises econômicas. 

"FRANS, PIEDADE!"
Loucura é saber que as guerras sempre trazem malefícios à população, como, por exemplo, o envenenamento das águas potáveis. A saúde dos homens, a destruição do meio ambiente nunca são levados em conta. Dólares, sem sã consciência e ação, só deveriam ser usados em investimentos públicos (saúde, educação, saneamento...), nunca na especulação ou ciranda financeira. 

"FRANZ, PIEDADE!"
É urgente que a economia mundial e também as nacionais sejam freadas, sejam muito menos destrutivas. Há muito poucos investimentos na preservação da vida, em sociedade, e na preservação da biodiversidade do planeta. O capitalismo, o neoliberalismo... nunca se preocuparam nem vão se preocupar com a vida, com os seres vivos e não vivos, com o planeta, com o universo. Esse princípio não é uma norma, não é uma lei pétrea. 

"FRAÑCEZ, PIEDADE!"
Por isso, também a ideia que se tem é que o capitalismo é o único sistema capaz de preservar a liberdade. Liberdade de quê? Liberdade para quê? Claro, a resposta é única: liberdade de mercado - senhor poderoso, dominador dos seus templos - as bolsas de valores. Os homens do governo não questionam os fundamentos, as estratégicas dos donos do mundo. 

"FRANCISZEK, PIEDADE!"
O sistema financeiro tem por princípio acumular o máximo de bens, de benefícios, de riquezas num tempo cada vez menor. É uma ilusão estúpida ou uma estupidez ilusória qualquer um de nós imaginar que os "donos do mundo" um dia vão pensar no planeta e nos habitantes, homens, animais e vegetais. 

"FRANCITSIK, PIEDADE!"
Observemos o consumo de energia. A economia, ou as economias, forçam os governos a expandir a rede produtora de energia, independentemente se, por exemplo, a construção de uma hidrelétrica prejudica ou não o meio ambiente, se a construção de uma usina nuclear é segura ou não, se o petróleo um dia chegará à exaustão ou não. Está na hora, ainda é tempo, de investir em pesquisas na produção de energias renováveis, não fósseis. 

"FRANJO, PIEDADE!"
Muitos países europeus, principalmente a Alemanha, buscam alternativas de energia, como a solar, a eólica, a térmica, a geotérmica. A verdade é que os recursos naturais do planeta se esgotam. Alguns dizem que os momentos de crises podem ser transformados em momentos de oportunidades de mudança de rumo, em todos os setores, graus e níveis. A título de exemplificação, na Alemanha, hoje, 20% de consumo de sua energia vêm de fontes renováveis, com um crescimento de mais de 1% ao ano. Além disso, houve uma diminuição considerável na emissão de gases causadores do efeito-estufa.