Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Fabiano Fideles

ACESSIBILIDADE: A A A A
Fabiano Fideles 13/12/2015
Fabiano Fideles
jjura2@terra.com.br
Fabiano Fideles

APOSTAS

O ex-procurador geral da República, Antônio Fernando de Souza, é, seguramente, nos dias de hoje, o advogado mais requisitado (e mais caro) pela corte brasiliense. Considerado um “colecionador de pepinos”, Dr. Antônio está às voltas com um bem grande nos dias atuais: livrar das garras do STF, o enrolado presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, do PMDB. As provas contra Cunha, vindas da Suíça, são tão fortes que já existe até um “bolão” no DF sobre o resultado da ação.

 

ANDERSON ADAUTO

Confirmando sua reputação de “colecionador de pepinos”, o advogado Antônio Fernando aceitou mais um cliente, também bastante enrolado nas redes do Judiciário. Informa-se no DF que ele foi contratado pelo ex-prefeito de Uberaba, Anderson Adauto. Sua tarefa (nada gloriosa) será limpar a ficha eleitoral de Anderson, que, segundo se fala nos meios forenses de Brasília, é uma das mais sujas da República...

 

ESQUEMA 

O ex-prefeito, que teima em atropelar a Justiça e candidatar-se novamente a prefeito de Uberaba, deverá utilizar, com seus apoiadores e correligionários, a mesma estratégia que utilizou em sua campanha a deputado federal em 2012: coloca todos para aguardar até a última hora... Se der, ele sai no lucro, como candidato. Se não der, paciência! Sai no lucro também, sem gastar com a campanha. Mas os companheiros, imobilizados pela espera, ficam, ao final, sem ter para onde ir, ou apoiarão grupos onde os melhores lugares já estão ocupados.

 

NADA A VER

Juristas de Uberaba, consultados pela coluna, analisam que a negativa, de sexta-feira última, pelo STJ, ao recurso interposto por Anderson, no caso de fraude em processo seletivo, “piora um pouco” a situação eleitoral do ex-prefeito. Porém, não se pode afirmar que o afasta definitivamente das próximas eleições. Para quem duvida, sempre é bom lembrar que o ex-prefeito de SP, Paulo Maluf, é, atualmente, deputado federal...

 

INFERNO ASTRAL

Ainda sobre Anderson Adauto, o ano de 2016 não vai começar bem para o ex-ministro de Lula. Pessoa muito ligada a ele informou que a imensa mansão que ele habita, num condomínio de altíssimo luxo, em Nova Lima, ao lado de BH, deverá trocar de dono em janeiro. E explicou: como muitas coisas na vida de Anderson, sua casa também precisa estar em nome de terceiros. (Quem tem problemas com a Polícia Federal e com a Justiça sabe como são essas coisas.) Acontece que o “terceiro” neste caso, era um uberabense, muito conhecido, proprietário de posto de gasolina, falecido inesperadamente em um acidente de carro. A viúva, agora, quer que Anderson prove que a casa é sua – e não de seu finado marido...! Como se vê, a maré não está nada boa para Adauto...

 

MERCADO MUNICIPAL

Autoridade ligada à coluna informou que a reforma tão propalada do Mercado Municipal não vai acontecer. A verba para a reforma havia sido conquistada pela Associação Comercial e Industrial de Uberaba (Aciu), através de uma grande empresa que atua na cidade. Essa verba seria administrada diretamente pela Aciu. Nada a ver, portanto, com dinheiro dos cofres municipais. Ocorre que, de repente, não mais que de repente, apareceu um “gaiato” que faz parte da elite da prefeitura, que chegou a comprometer-se com uma empresa construtora para a realização das obras. Foi o bastante, segundo disse o informante, para que o assunto fosse encerrado por aí.

 

MERCADO MUNICIPAL II

Ainda segundo o informante, a empresa doadora, ao desconfiar de um possível jogo de interesse, simplesmente cancelou a doação. E assim, está cancelada, pelo menos por enquanto, a reforma do Mercado Municipal, considerado o maior ponto turístico de Uberaba. Lamentável!

 

REGIMENTO

Embora o comportamento pessoal de Eduardo Cunha não seja lá essas coisas, não há como negar que o presidente da Câmara Federal é um especialista no regimento interno daquela Casa. Dificilmente, o STF terá como desfazer a votação secreta realizada para formar a comissão de 65 membros que analisará o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Explica-se: o Supremo possui o condão de balizar os atos da Câmara “antes” destes ocorrerem. Porém, interferir em uma situação consolidada seria uma nítida ingerência de um poder sobre outro.

 

AEROPORTO

Seria cômico se não fosse trágico! Segundo consta, o aeroporto de Uberaba não é mais referência em nível de alternativa para pousos nacionais e internacionais. O aeroporto era dotado de equipamentos de última geração para o controle de voos em todo o país. Atualmente, funciona como pista simples para aviões de pequeno porte. Denuncia um informante da coluna, que todo equipamento de controle aéreo foi transferido na calada da noite para Uberlândia. Ninguém se mexe!

 

FESTA

Aproveitando o final de ano, quando as atenções, aparentemente, estão focadas em outros pontos, a Secretaria de Governo da Prefeitura de Uberaba enviou ao Legislativo um pacote de transferência de glebas do município, todas na BR-050, Fazenda Caçu, prestigiando empresas de fora e algumas locais, ao preço módico de R$ 0,80 o metro quadrado... A justificativa é que tais áreas abrigarão, um dia, empreendimentos empresariais, gerando emprego para nossos cidadãos. A intenção, que é burra, por não exigir reaplicação parcial de lucros na cidade, também torna-se muito estranha, por não arbitrar um prazo para que tais “empreendimentos” se iniciem. Mais trabalho para o Dr. João Davina, do Ministério Público! Hummmmmm!

 

TRISTE

Essa questão de “doação” de glebas em troca de “geração de empregos” nem sempre fica apenas nisso. A “doação” vem com um combo completo de outras gentilezas prestadas pelo município (leia-se contribuintes, nós) como: isenções de IPTU e ISSQN, garantia de implantação de energia elétrica e asfalto, bem como abastecimento volumoso de água! Porém, como nenhuma empresa (de fora) possui compromisso com a cidade, os lucros de seus empreendimentos escoam-se para as matrizes distantes. E Uberaba continua sua triste saga de “moderna senzala”. Trata-se de um novo tipo de escravatura para nossos conterrâneos. A escravatura com carteira profissional assinada e os salários minguados do subemprego...

 

MAIS TRISTE AINDA

Mais triste ainda é constatar que essa política que dar antes para receber depois pode ser constatada na quantidade de diárias desocupadas e, praticamente, abandonadas nos setores industriais da cidade. É uma prova evidente de que o sistema simplesmente não funciona.

 

QUANDO CRESCER

Quem analisa nossa cidade com olhar técnico e embasado na sociologia, percebe que Uberaba, desde a saga do Zebu, perdeu-se no caminho da História. A cidade, até hoje, marchando para dois séculos de existência, não conseguiu identificar sua vocação. E embora, por sua administração, tenha passado grandes líderes, aparentemente, nenhum se preocupou muito em criar nichos empresariais que revelassem o caminho a seguir. Já fomos ganaderos, já fomos química fina, polo moveleiro, calçadista e confecção... Nada vingou! O jeito é torcer por administradores que se preocupem com o tema. Um dia, Uberaba terá de dizer o que quer ser quando crescer!

 

CIDADÃOS

No embalo do saudosismo, é bom lembrar que muitos senhores uberabenses, que estão aí, grisalhos sim, mas andando por nossas ruas e gozando de perfeita saúde, exerceram o honroso cargo de vereador (alguns por muitas legislaturas!) sem receber nenhum salário para tão nobre função. Sem falar no caso mais recente de um jornalista que ocupou, por breve período, a Secretaria de Governo de Uberaba e, precisando socorrer simultaneamente a sua profissão, abriu mão do salário municipal, algo realmente impensável nos dias de hoje.

 

ÓCIO

A semana se encerrou com a apresentação de “projeto-resposta” do vereador Borjão à mesa da Câmara. O projeto reza que, ao primeiro dia de sua legislatura, o vereador vá à tribuna declarar quanto quer receber mensalmente por seus serviços à comunidade. Esse “quantum” tem um teto, que é o salário atual, em torno de R$ 10 mil. Trata-se de uma resposta ao vereador China, que queria aprovar projeto cortando exatamente ao meio o salário atual... Uma coisa é certa: se cortassem os salários fantásticos aliados às mordomias, seria difícil encontrar um candidato a vereador.

 

E AGORA?

Todos nós ouvimos que as famigeradas “pedaladas fiscais”, pelas quais Dilma e seu governo estão correndo risco de impedimento, foram dadas para “socorrer os pobres” (segundo Lula) ou para salvar o programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida” (segundo Dilma). Porém, não é o que mostra o Relatório do TCU, divulgado na sexta-feira. A maioria das pedaladas serviu para socorrer empresas privadas que estavam “penduradas” no BNDES, com prestações atrasadas. Representam 30% do total... Vêm a seguir: R$ 10,69 bilhões (26,59%) que o governo segurou do FGTS; e R$ 9,74 bilhões (24,2%) do Banco do Brasil, responsável pelo financiamento da safra agrícola... Só depois, estão programas sociais.

 

COMUNITÁRIAS

Com a transformação das emissoras de rádio de AM para FM, todas as rádios comunitárias serão totalmente lacradas. Essa informação foi passada à coluna por uma autoridade do Ministério das Comunicações. Essa medida, disse o informante, deverá ocorrer, no máximo, no primeiro trimestre do ano que vem. Portanto, todo cuidado é pouco e quem viver verá!

 

MAIS VERGONHA

A gente faz uma torcida danada para encerrar a semana com alguma coisa otimista, para brindar nossos leitores, mas, realmente, o país está numa fase acabrunhante! Desemprego de dois dígitos... E inflação idem! Para completar, ontem, a Polícia Federal informou ter graves indícios de desvio de recursos – R$ 200 milhões – nas obras de transposição do rio São Francisco. Aquelas que iriam levar a vida ao sertão nordestino (Garanhuns inclusive!). Brasil bagunçou geral!