Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Marcos Montes

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Montes 12/03/2017
Marcos Montes
dep.marcosmontes@camara.leg.br
Marcos Montes

Relação entre Brasil e Japão deixou  marcas importantes em Uberaba

 

Bem-vindos! Abro a edição desta coluna cumprimentando o prefeito Paulo Piau e o presidente da Companhia Habitacional do Vale do Rio Grande (Cohagra), Marcos Jammal, pela entrega das chaves, sexta-feira, para as 1.400 famílias beneficiadas com as casas do bairro Residencial Rio de Janeiro. Em um momento de tantas dificuldades por que atravessa o País, a finalização de um empreendimento deste significado não tem preço.

Conquista – Importante lembrar inclusive, que na verdade não são 1.400 beneficiados,  mas sim, quase 6.000, incluindo os mutuários e suas respectivas famílias. São centenas de crianças que vão crescer com melhor qualidade de vida; centenas de adolescentes que melhoram a autoestima; idosos que, pela primeira vez têm um teto para chamar de seu, enfim, uma conquista sem precedentes para milhares de vidas.

 

 

REGISTRO - Assessoria do deputado Marcos Montes enviou foto dele no Aeroporto de Uberaba, na tarde de 10/03, sexta-feira, quando ele deixava a cidade para iniciar a viagem ao Japão

 

Cooperação Japão/Brasil – Agradeço o convite e a oportunidade de testemunhar este momento tão importante para milhares de famílias uberabenses. São lembranças que vou carregar comigo ao longo da viagem que faço ao Japão, onde participo de evento que faz parte dos “Programas Laços de Amizade do Japão”, realizados anualmente pelo Ministério de Assuntos Exteriores do Japão, para firmar parcerias com países em desenvolvimento.

Missão oficial - Se estiverem lendo esta coluna é porque consegui concluir e enviar por e-mail para publicação antes de seguir viagem. E faço isso porque quero dividir com vocês a honra de realizar esta viagem, que vale ressaltar: trata-se de uma missão oficial, feita a convite do governo japonês, e sem ônus para a Câmara dos Deputados.

Relações - Meu orgulho de ter sido indicado para integrar a missão oficial brasileira tem um motivo simples. As relações entre o Japão e o Brasil são marcadas por forte vínculo de amizade e cooperação. O Brasil tem a maior comunidade japonesa do mundo e deve muito ao trabalho dos japoneses, que trouxeram seu espírito empreendedor e sua garra desde as primeiras imigrações.

Pioneirismo - E de maneira muito especial, lembro que minha cidade, Uberaba, foi e é extremamente beneficiada com a presença dos japoneses. Discretos, eles contribuíram e contribuem de forma significativa com o desenvolvimento de Uberaba. Pra vocês terem uma ideia, a primeira cooperativa japonesa de que se tem conhecimento no Brasil surgiu por volta de 1920 em Uberaba, e era formada por produtores agrícolas.

Influência - De acordo com amigos que já me contaram esta história várias vezes, o chamado “Sindicato Agrícola Nipobrasileiro” surgiu para apoiar lavradores e realizar pesquisas sobre as terras mais adequadas para o plantio de determinadas culturas. Dizem que não teve uma duração muito longa, mas que, no pouco tempo de existência, teve impacto importante na criação de outras cooperativas Brasil afora.

História - Também gostaria de conversar com vocês sobre um fato histórico que põe Uberaba no centro de uma das decisões mais importantes para a presença dos japoneses no Brasil. Soube dos detalhes ao procurar na biblioteca da Câmara dos Deputados informações que pudessem me orientar na viagem ao Japão.

Proibição - Durante a Assembleia Nacional Constituinte de 1946, e portanto, ainda sob o impacto dos acontecimentos da 2ª Guerra Mundial, foi colocada em votação uma emenda do então deputado carioca Miguel Couto Filho que “proibia a entrada no país de imigrantes japoneses de qualquer idade e de qualquer procedência". A votação final foi de 99 votos contra e 99 a favor.

Melo Viana - Coube então, ao senador Melo Viana, que presidia a sessão constituinte, exercer o voto de minerva. Ele rejeitou a emenda. Portanto, por apenas um voto a imigração de japoneses não foi proibida pela Constituição de 1946. Formado em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito de Ouro Preto, Melo Viana iniciou sua carreira de advogado em Uberaba. Não é por acaso que temos o Fórum Melo Viana.

Amizade - Não sei se vocês sabem, mas o famoso relógio e obelisco instalado na praça Jorge Frange foi doado pela colônia japonesa, em comemoração ao centenário da elevação de Uberaba à condição de cidade, em 1956. São demonstrações da amizade que nos une – brasileiros e japoneses.

Reforma - Eu não poderia encerrar a coluna sem refletir com vocês sobre um assunto que está mobilizando os brasileiros: a proposta de reforma previdenciária enviada pelo governo federal ao Congresso, e sobre a qual terei de tomar decisão em plenário.

Sem prejuízos - Nas várias entrevistas que concedi nos últimos dias, tenho reforçado minha opinião de que as reformas previdenciária, trabalhista, política e de segurança pública são imprescindíveis. Mas, defendo que sejam debatias amplamente com a sociedade, e como já disse também, em várias ocasiões, que sejam aprimoradas e adequadas de forma a não prejudicar a população brasileira.

 

*Marcos Montes é líder da bancada do Partido Social Democrático (PSD) na Câmara dos Deputados, integrante e ex-presidente (2015/2016) da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), ex-prefeito de Uberaba em duas gestões, majoritário e fundador e presidente do PSD na cidade.  Ele escreve esta coluna semanalmente