Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Marcos Montes

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Montes 14/08/2015
Marcos Montes
dep.marcosmontes@camara.leg.br
Marcos Montes

“...É importante que as mulheres e homens

de bem de Uberaba se comprometam

com uma política ética...”

 

O povo na rua - Às vésperas de novas manifestações contra o governo federal – convocadas para o dia 16, domingo –, abro a coluna refletindo sobre o assunto com vocês. A exemplo do que aconteceu em outras ocasiões, tenho sido procurado por aliados, amigos, colegas de trabalho e familiares, pedindo minha opinião a respeito.

Direito - Reafirmo o que disse nas manifestações anteriores: que o direito de expressão e de protesto é uma das bases da democracia. Só não concordo que se use um direito tão significativo como pretexto para violência, arruaças, agressões...

Esdrúxulo - Com a crise se intensificando nos últimos dias, não falta quem saia por aí, “avaliando” que a democracia brasileira “está” correndo risco de retroceder. Já disse isso aqui, neste espaço, em outra edição, e reforço: não acredito nisso, definitivamente! Não sei a quem interessa esta versão esdrúxula, mas, com certeza, ela não é real.

Democracia - Por sinal, entendo que o povo, através das manifestações públicas (nas ruas e nas redes sociais), e as instituições de um modo geral, estão, sim, reforçando a democracia brasileira. O que estamos assistindo é uma reafirmação de que nossas instituições estão fortalecidas e prontas para o que der e vier.

Até tu, Brutus? - Exemplo de que a democracia brasileira está consolidada é que até o ex-presidente Lula está palpitando sobre a crise, participando de articulações que, claramente, visam salvar o mandato da sua sucessora!

A origem - Vejam bem! Lula é o grande responsável pela crise que tem levado o Brasil ao sofrimento, principalmente os mais pobres. Executou uma gestão equivocada, marcada pelo marketing e pela ilusão, e, no final das contas, jogou no colo da sucessora, duas crises “nunca antes” vividas pelo país: a crise econômica e a crise ética.

Bicameralismo - E por falar em equívoco, o envolvimento do presidente do Senado, Renan Calheiros, nas articulações de salvamento, não passa de uma ilusão (até parece coisa de Lula). O Brasil é um país bicameral, em que tudo que passa pelo Senado tem que passar pela Câmara dos Deputados. Portanto, esta história de o presidente do Senado apresentar uma lista de sugestões para o governo sair da crise é mais uma tentativa de enganar a população.

Sem radicalismos - Por isso mesmo, as duas Casas – Câmara e Senado – precisam ser administradas com equilíbrio. Com independência – mas com equilíbrio! Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar! Seus respectivos presidentes não podem e não devem oscilar entre extremos. Têm que deixar isso para os parlamentares que não ocupam cargos de comando nas mesas diretoras das Casas. Aos presidentes, cabe preservar a independência, mas, de forma que não assumam posturas radicais: nem de situação, nem de oposição.

 

Vice-líder da bancada do PSD na Câmara, o deputado federal Marcos Montes orienta as votações dos colegas de legenda, em plenário, na noite de 12 de agosto. (Foto: Cláudio Basílio de Araújo/Liderança do PSD)

 

Manifesto - Vou aproveitar este final de semana para um outro tipo de manifestação: em defesa do fortalecimento político de Uberaba. Pretendo participar de pelo menos três grandes encontros, um deles, com o G9 – grupo que reúne nove das principais entidades/instituições de Uberaba. Também planejo participar de reunião da União de Lojas Maçônicas e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Entre outras, que virão!

Qualidade na política – Quero alertar nossas lideranças sobre a importância de todos nos envolvermos com a política, ainda que não seja partidária. Não podemos deixar que a política de Uberaba fique à mercê de pessoas e/ou grupos que em nada contribuem com o fortalecimento do nome da cidade. Precisamos buscar qualidade e rechaçar nomes que denigrem a imagem de Uberaba e da nossa política.

Novos tempos - Temos que abrir caminho para novas lideranças – não apenas por serem “novas”, mas, acima de tudo, que estejam à altura de orgulhar nossa cidade. Particularmente, presido um partido em Uberaba – o PSD -, que abriga uma lista de filiados da mais alta qualidade. Porém, não acho que isso seja exclusividade do PSD. Outras legendas também possuem nomes em condições de representar Uberaba com a qualidade que a cidade merece. É importante que as mulheres e homens de bem de Uberaba se comprometam com uma política ética.

Voo mais alto - E tem mais: precisamos preparar Uberaba para disputarmos, de igual pra igual, com Belo Horizonte e a região metropolitana, os cargos de governador e vice-governador de Minas Gerais. Não é um sonho! É uma possibilidade, que só depende de nós, uberabenses.

Marília - E peço licença pra encerrar a coluna deste dia 14 de agosto com um assunto pessoal. Quero falar sobre a Marília – que não é segredo pra ninguém, trata-se da minha eterna companheira, mãe das minhas filhas e avó dos meus netos, minha confidente e crítica quando necessário. Orgulho-me de sua independência, de seu carisma, de sua inteligência e da transparência com que ela lida com nossa vida familiar. Chegar a esta altura da vida, com um casamento recheado de surpresas, de respeito, de cumplicidade e de amor é motivo pra agradecer todos os dia à Nossa Senhora da Abadia.

 

E este 15 de agosto é DIA DELA! Que Nossa Senhora

da Abadia nos cubra sempre com Seu manto!