Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Marcos Montes

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Montes 01/11/2013
Marcos Montes
dep.marcosmontes@camara.leg.br
Fala Deputado - por Marcos Montes

Abro a coluna de hoje falando sobre um assunto que ganhou destaque esta semana nos veículos de comunicação brasileiros: os dez anos de existência do programa federal Bolsa Família. Não tenho o menor constrangimento em dizer que sou favorável ao programa. Pra vocês terem uma ideia, ele beneficia diretamente 50 milhões de brasileiros. 

Em Uberaba - Só em Uberaba, atende a mais de 8 mil famílias, a um custo de R$ 850 mil por mês. É muito dinheiro, muita gente beneficiada, e o que é importante: sem burocracia, através de transferência direta de renda, entregue diretamente nas mãos daquelas que realmente sabem gerenciar  uma família, que são as donas de casa.Economia - Entretanto, eu não seria honesto se dissesse que tudo no programa Bolsa Família merece aplausos. Entendo que não basta exigir frequência escolar dos filhos em idade de estudar. É claro que isso é imprescindível, mas não pode resumir tudo. 

Definitivo - Defendo que o programa seja definitivo e, por isso mesmo, creio que é preciso criar uma fonte de recursos, em regime de urgência, sob pena de a União enfrentar graves problemas financeiros, o que, de quebra, vai desaguar nos Estados e municípios. Para bancar um programa social de tal magnitude, o governo precisa se preparar economicamente, e isso não está acontecendo.
Trabalho - A segunda crítica que faço ao programa Bolsa Família inspirou um projeto de lei de minha autoria, que está tramitando no Congresso. Defendo que, em cada família beneficiada, pelo menos um de seus membros precisa ser qualificado e encaminhado para o trabalho. Com recursos financeiros garantidos em fonte específica e com a qualificação, não tenho dúvida de que o programa poderá realmente ajudar na melhoria da qualidade de vida do povo. 

A querida Adefu - Quero mandar um abraço especial para a turma da Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba, a nossa querida Adefu. Mais conquistas vieram, desta vez, do campeonato brasileiro de bocha realizado em Maringá, no Paraná, onde nosso herói nacional, internacional, olímpico e tricampeão brasileiro na classe BC1, José Carlos Chagas de Oliveira, ficou com o ouro novamente. Parabéns para o Zé Carlos e para a técnica Janaína Pessato, outra heroína de Uberaba, que faz história por onde passa com seus treinandos. 

Código comercial - Gostaria de compartilhar com vocês que assumi uma das relatorias parciais da comissão especial designada pela presidência da Câmara para examinar e dar parecer no projeto de lei 1.572/11, que institui um novo Código Comercial Brasileiro. É uma iniciativa do colega Vicente Cândido, do PT de São Paulo, e que resulta de um amplo debate nacional promovido pelo autor. 

Lei antiga - A lei que está em vigência é de 1850, e portanto, da época do império. O projeto em análise pela comissão especial caminha por três princípios básicos: a liberdade de iniciativa; a liberdade de competição; e a função social da empresa. 

Etanol - Informo ainda, através desta coluna, que fui convidado e aceitei fazer parte da Frente Parlamentar em Defesa do Etanol na Câmara dos Deputados, uma iniciativa do companheiro na Comissão de Minas e Energia, Arnaldo Jardim, do PPS de São Paulo.
Sustentabilidade - Defendemos o fim da vinculação do preço com a gasolina, hoje artificialmente sustentada; e a incorporação do conceito de sustentabilidade na cadeia produtiva do setor sucroenergético. O setor, que está enfrentando dificuldades, emprega, diretamente, 2,5 milhões de trabalhadores, distribuídos em mais de 600 municípios brasileiros, inclusive na região de Uberaba.