Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

JU Agora

ACESSIBILIDADE: A A A A

Minas atrai investimento de R$ 45,9 milhões na implantação de plataformas tecnológicas

01/04/2013

A prioridade do Governo de Minas em ampliar a atração de investimentos de segmentos da chamada Nova Economia, ganhou impulso com a assinatura de novo protocolo de intenções do Estado, com assistência do Instituto de Desenvolvimento Integrado (INDI), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE). O Centro de Inovação – CSEM Brasil, que reúne as principais características deste setor ao agregar alta concentração de tecnologia e conhecimento, irá investir R$ 45,9 milhões na implantação de duas plataformas tecnológicas - Microssistemas LTCC e Eletrônica Orgânica e Impressa - em Belo Horizonte, com a criação de 60 novos empregos diretos e 160 indiretos.

Durante a assinatura do protocolo, a secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, comemorou o investimento. “Este protocolo é um dos exemplos de projetos que são considerados prioritários pelo Governo de Minas Gerais não apenas pela alta concentração de tecnologia e conhecimento como pela oportunidade de ampliar a diversificação da economia do Estado”, afirmou.

O projeto da Eletrônica Orgânica Impressa permitirá a produção (impressão), a baixo custo, de circuitos eletrônicos de próxima geração sobre quaisquer substratos plásticos, caracterizando uma tecnologia distinta, porém complementar à dos circuitos baseados em silício. A Eletrônica Orgânica Impressa é largamente considerada a próxima grande fronteira no mercado de semicondutores, e é atualmente estratégica para grandes economias mundiais.  De acordo com o CEO do CSEM Brasil, Tiago Maranhão Alves, “o projeto do CSEM Brasil coloca Minas Gerais e Belo Horizonte verdadeiramente no epicentro dessa oportunidade, já que estamos criando a economia do futuro”.

A partir do projeto já foi implantada uma linha experimental que está sendo ampliada, com a produção de produtos como painéis solares em rolos, transparentes e leves para geração de energia elétrica a partir do sol.  A Eletrônica Orgânica está também associada a produtos de iluminação eficiente, displays flexíveis e uma variedade de outros dispositivos inteligentes, como sensores físicos, químicos e biológicos.

Já a tecnologia LTCC (Low Temperature Co-fired Ceramics) permite a produção, integração e encapsulamento de circuitos eletrônicos, sensores, chips e de circuitos integrados híbridos. Os microssistemas produzidos com essa tecnologia têm aplicação ampla em mercados onde a miniaturização e resistência ambiental são importantes, principalmente nos setores agrícola, aeroespacial, automotivo, médico, óleo e gás, dentre outros. 

Para o CEO do CSEM Brasil “a capacidade de visão e coordenação do Governo de Minas Gerais é uma enorme vantagem competitiva que não pode deixar de ser destacada”. Segundo Tiago Maranhão Alves, a viabilização do projeto contou ainda com a capacidade de agentes importantes como a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapemig), Federação das Indústrias (Fiemg), Senai, CETEC, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), além das secretarias de Desenvolvimento Econômico (SEDE), Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e Escritório de Prioridades Estratégicas.

O Centro de Inovações CSEM Brasil tem por objetivo transformar ciência e tecnologia em produtos, processos e empresas úteis ao desenvolvimento brasileiro, servindo de ponte entre universidades e conhecimento fundamental de um lado, e indústria e mercado de outro. Além de promover e executar pesquisa básica e aplicada, o CSEM Brasil se diferencia principalmente pela geração de capital intelectual aplicado e por incentivar a colaboração entre as universidades brasileiras e a indústria com parceiros internacionais, transformando esses estudos em produtos comerciais.