Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

JU Agora

ACESSIBILIDADE: A A A A

Três equipes desistem do Master “A” 2015

06/02/2015

O presidente da LUF Roberto Carlos Fernandes pode incluir mais uma equipe

Três equipes desistem
do Master “A” 2015

Júlio César de Oliveira

O Conselho Técnico do Campeonato Amador Master Módulo A, promovido pela Liga Uberabense de Futebol (LUF), com apoio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smel), aconteceu na última terça-feira (dia 3). O presidente da LUF, Roberto Carlos Fernandes recebeu os representantes das equipes interessadas em disputar a categoria.
Três equipes – Capelinha, Delta e Flamengo – desistiram da competição, e isso pode alterar a fórmula de disputa. Os três estão automaticamente rebaixados e não poderão disputar nem o Módulo B no ano que vem. O Módulo A fica com 13 times – não haverá rebaixamento em campo e subirão três equipes da segunda divisão.
A fórmula de disputa foi definida com esses 13 clubes confirmados, que foram divididos em duas chaves. É possível que um clube do Módulo B seja convidado, para que as duas chaves fiquem com o mesmo número de agremiações, se não uma terá um time a menos.
As equipes se enfrentam dentro de suas chaves e quatro de cada lado se classificam. Na segunda fase tem início o mata-mata, sistema que será adotado até a final.

Chaves
Grupos. O Master Módulo A começa no dia 28 de fevereiro – só para a Chave B, que tem sete equipes (Vila Nova, Água Compridense, Bom Retiro, Pinheiros, Merceana, Juventude, Independente). Na Chave A, com apenas seis clubes (Fabrício, Madureira, Asa Branca, Vila Esperança, Ipiranga e Mangueiras). Caso uma equipe seja puxada do Módulo B, então as duas chaves passam a ter o mesmo número de times e de rodadas.

 

Definida fórmula de disputa do Infantil

A reunião para o Arbitral do Campeonato de Futebol Infantil, organizado pela Liga Uberabense de Futebol (LUF) com apoio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smel), aconteceu na noite da última terça-feira (dia3), na sede da LUF. Os dirigentes definiram que o Infantil terá início no dia 1º de março com a participação de 15 times.
Para este ano ficou acertado que haverá um limite de inscrições de atletas de fora de Uberaba. Cada time poderá ter no máximo três “estrangeiros”. Os atletas de Uberaba terão que apresentar comprovante escolar. No caso da Água Compridense, serão permitidos atletas de Água Comprida e de Uberaba, além dos três de outros municípios.
O Infantil é disputado por atletas nascidos em 2000 e 2001. Os 15 times serão divididas em duas chaves. Classificam-se quatro de cada chave para a segunda fase, onde serão formados dois novos grupos. De cada grupo classificam-se dois para as semifinais.
Na semifinal e final, o sistema é o mata-mata. Não haverá limites de número de atletas inscritos. O prazo de inscrições termina 48 horas antes da quinta rodada.
Na chave A estão: Vila Nova, Boca Junior, Fabrício, Pinheiros, Atlético, Aliança, Beira Rio e Água Compridense. Já na chave “B”: Uberaba, Havaí, Independente, Merceana, Ipiranga, Corinthians e Nacional. (JCO)

 

PLACAR ESPORTIVO

Libertadores
Corinthians 4 x 0 Once Caldas
Deportivo Táchiara 2 x 1 Cerro Porteño

Carioca
Flamengo 4 x 0 Barra Mansa
Volta Redonda 2 x 2 Botafogo

Sul-Americano Sub-20
Uruguai 0 x 0 Colômbia
Argentina 3 x 0 Paraguai

Mineiro
América-MG 2 x 1 URT

Paulista
Mogi Mirim 0 x 0 Santos

 

Governo prevê punir todos os clubes
caso CBF não cumpra lei das dívidas

O governo federal já tem um modelo traçado para a lei de refinanciamento das dívidas dos clubes do futebol. Por este plano, haverá uma agência nacional do futebol, como revelado por Juca Kfouri, mas as punições em campeonatos serão de responsabilidade de um órgão a ser criado pela CBF. E, no caso de a confederação não penalizar quem não respeitar a lei, todos os clubes filiados à ela seriam excluídos do benefício fiscal.
Esse modelo desenhado pela Casa Civil e pelo Ministério do Esporte ainda depende de aprovação da presidente Dilma Rousseff, e que se decida se sai por MP ou projeto de lei. Há discordância também com a CBF que quer centralizar as punições em um órgão a ser criado no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), e não apoia a agência.
Explico ponto a ponto como funcionam as linhas gerais do projeto do governo. O primeiro passo é a aprovação da lei de refinanciamento das dívidas incluindo as contrapartidas dos clubes. Ou seja, eles são obrigados a pagar parcelas dos débitos em dia, não atrasar obrigações salariais e têm um prazo para acabar com seu déficit, operando no azul. No texto, estarão essas diretrizes.
Para fiscalizar se as agremiações estão cumprindo as medidas, deverá ser criada a agência nacional do futebol. Esse órgão centralizará todas as verificações em relação aos pagamentos de débitos e outros itens obrigatórios.
Em paralelo, a CBF terá de incluir nos regulamentos a previsão de punições esportivas (perda de pontos, exclusão de campeonato, etc) com gradações em caso de descumprimento. A agência ficará encarregada de avisar a confederação de que um clube não atendeu um item obrigatório.