Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

JU Agora

ACESSIBILIDADE: A A A A

Maus-tratos familiares representam mais da metade das denúncias de crimes contra idosos

23/04/2013


Números de relatos recebidos no primeiro trimestre deste ano foram bem maiores que os registrados no ano passado / Enerson Cleiton

A mobilização do Governo de Minas no combate à violência contra os idosos reflete diretamente no número de denúncias recebidas pelo Disque Direitos Humanos (0800 031 1119). A avaliação é do coordenador do serviço, Jorge Noronha, que analisou o número de relatos recebidos no primeiro trimestre deste ano.  Foram 368, contra 285 em igual período de 2012. Das 368 denúncias, 231 foram de maus-tratos familiares, o que corresponde a 63% do total.

“Ao contrário do que se pensava, a questão doméstica é fácil de denunciar, pois, muitas vezes, um vizinho, um cuidador (de idosos) e até um familiar consegue perceber com mais facilidade”, explicou Jorge Noronha. Jorge Noronha destaca a importância de iniciativas como a Campanha Rompendo o Silêncio, ação permanente do governo estadual que é reforçada todos os anos em 15 de junho, Dia Mundial de Combate à Violência Contra a Pessoa Idosa. “A questão do idoso tem a tendência de assumir um novo patamar, em razão das campanhas. Este ano, por exemplo, há um empenho muito grande”, destacou Noronha.

Representantes do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e dos Poderes Executivo e Legislativo e da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese)trabalham desde o começo deste ano visando às ações de reforço da campanha, a serem desenvolvidas em junho.  “Apesar do crescimento, ainda existe uma subnotificação. Na medida em que o problema vai sendo mais divulgado, o número de denúncia vai crescer”, garantiu o coordenador do Disque.

Campanha - A Campanha Rompendo o Silêncio abrange todo o Estado e tem como objetivo sensibilizar e incentivar a população a denunciar qualquer violação dos direitos dos idosos. A cada ano, ela busca uma maneira diferente de abordar o assunto.  Em 2012, por exemplo, utilizou a música para romper barreiras. Quase 200 municípios desenvolveram ações pontuais, com apresentações musicais, cultos ecumênicos, concurso de redação, caminhadas, discussão da temática nas escolas estaduais, encontro dos grupos de idosos e apresentações de teatro.

Além desse tipo de mobilização, o cartaz da campanha é afixado em postos de saúde, rodoviárias, escolas, hospitais, Centros de Referência de Assistência Social e espaços públicos em geral, com o objetivo de incentivar a população a fazer a denúncia.  Exemplares do Estatuto do Idoso também são distribuídos por todo o Estado.

“Sem mobilizar formalmente para o dia 15 de junho, 150 municípios já manifestaram, voluntariamente, o desejo de participar das ações deste ano. Nossa expectativa é que passe de 250. É uma ação articulada dentro do governo, que conta com várias secretarias, instituições e representantes da sociedade. Por isso, a campanha também tem o papel de reforçar a rede de promoção e proteção do idoso em todo Estado”, explicou Felipe Willer, que é coordenador Especial de Políticas para o Idoso e responsável pela organização da Campanha Rompendo o Silêncio.

Disque Direitos Humanos - Criado em 2000 pelo Governo de Minas, o Disque Direitos Humanos é um serviço telefônico que recebe, encaminha e monitora qualquer tipo de denúncia de violação de direitos humanos. Os relatos são encaminhados aos órgãos públicos (prefeituras, Ministério Público e delegacias especializadas) e aos conselhos de direitos. Dependendo da urgência do caso, a Polícia Militar pode ser acionada. A central de atendimento conta com uma equipe multidisciplinar, coordenada por técnicos capacitados em direitos humanos. A ligação é gratuita, sigilosa e o serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h.