Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

JU Agora

ACESSIBILIDADE: A A A A

Indústria de Minas Gerais cresceu cerca de seis vezes mais que a média nacional em março

10/05/2013

O resultado positivo da indústria mineira foi um dos destaques da Pesquisa Mensal de Produção Industrial, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (9). A produção industrial do estado avançou 4,4% em março deste ano em comparação com o mês anterior, enquanto que a média nacional de crescimento foi de apenas 0,7%.

Das 14 regiões pesquisadas, o desempenho de Minas Gerais só não foi superior ao do estado do Paraná, que registrou evolução de 5,4%. No acumulado dos últimos 12 meses – março de 2012 a março de 2013 – a indústria brasileira teve queda de 2% e a mineira, alta de 1,4%.

“É um resultado muito positivo, que demonstra que Minas Gerais vem conseguindo registrar recuperação importante na produção industrial, principalmente se compararmos com o baixo crescimento médio da indústria brasileira no período ”, afirma a secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck.

Faturamento também foi destaque - Também nesta semana, foi divulgado o relatório de indicadores da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). De acordo com o documento, o faturamento real das indústrias no estado cresceu 6,3% em março deste ano, em relação ao mês anterior.

“Os setores extrativo mineral (15,11%) e veículos automotores (15,07%) foram os que mais contribuíram para o crescimento. As horas trabalhadas na produção expandiram 8,58% em março frente ao mês anterior. De janeiro a março de 2013, perante igual período de 2012, o indicador foi 3,83% maior, com destaque para os setores de bebidas (34,47%), veículos automotores (18,02%) e de couro e calçados (15,92%)”, analisa o presidente do Conselho de Política Econômica e Industrial da Fiemg, Lincoln Fernandes.

Ao comparar o desempenho registrado no primeiro trimestre de 2013 com o mesmo período do ano anterior, o avanço foi de 2,55%. Os principais setores responsáveis pela performance positiva foram o setor automobilístico e o extrativismo mineral, que apresentaram incremento no faturamento de 15,07% e 15,11%, respectivamente, no primeiro trimestre.

A indústria de máquina e equipamentos (12,86%), farmacêutica (26,74%) e de celulose (13,87%) também contribuíram para o desempenho favorável.