Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

JU Agora

ACESSIBILIDADE: A A A A

Governo aprova propostas e Maracanã se aproxima de ter novo dono

12/02/2017

O Governo do Estado do Rio de Janeiro aprovou, na última quarta-feira (08), as propostas das duas empresas que pretendem assumir a administração do Maracanã. A decisão da Secretaria da Casa Civil publicou o "nada consta" a respeito das duas concorrentes no Diário Oficial de quinta (09).

Diante do ok do Governo, a GL Events e a francesa Lagardère estão liberadas para negociar com a Odebrecht – que detém a concessão atual e negocia para repassar a administração do local.

A ideia do Governo, antes de dar seu parecer, era avaliar a capacidade das duas empresas de assumir o Maracanã sem causar novos impasses e checar se ambos atendiam às exigências técnicas.

GL e Lagardère brigam para ficar com os 95% da Odebrecht no controle da concessionária. Os outros 5% seguirão com a AEG.

 

Decisão rápida - Após a aprovação do Governo, a expectativa dos envolvidos é que o Maracanã tenha um novo dono em breve - possivelmente até o final da próxima semana. Ao lado da parceria liderada pela GL Events – ainda conta com os grupos CSM e Amsterdam Arena –, o Flamengo espera um desfecho rápido. Assim como a Odebrecht, que deverá receber cerca de R$ 60 milhões pelo repasse.

Na sequência da decisão publicada no Diário Oficial, os representantes atuais da concessionária já se reuniram com executivos da GL - no início da tarde desta quinta-feira. Também já está programado um encontro com diretores da Lagardère para o final da tarde.

Após a confirmação da escolha da Odebrecht, o nome do novo grupo será passado ao Governo, que terá que dar um novo aval para o negócio.

Logo depois, Odebrecht e a nova empresa administradora farão uma "due dilegence" (diligência prévia). Será uma auditoria completa do Maracanã, o que inclui condições do estádio e contas da concessionária. Por exemplo, terá de se saber as condições da cobertura do estádio, maior preocupação de engenheiros e partes envolvidas no negócio. Além disso, terá de se apurar as dívidas da empresa.