Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

JU Agora

ACESSIBILIDADE: A A A A

Tony Carlos explica a necessidade de desapropriar imóveis para crescimento do aeroporto de Uberaba

24/06/2013

Na Reunião Ordinária do dia 18, o vereador Antônio Carlos Silva Nunes (PMDB) usou a tribuna para manifestar a sua preocupação quanto ao desenvolvimento de Uberaba, com referência à exigência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que determina que todos os aeroportos brasileiros façam as adequações necessárias em relação à área de segurança (área de escape).  

O vereador informou que Uberlândia já anunciou a ampliação do aeroporto, inclusive com a construção do terminal de cargas. O Prefeito Paulo Piau tem até dezembro deste ano para declarar de utilidade pública os imóveis que fazem parte de uma área, onde a Anac exige que seja desobstruída para a ampliação da pista. “Se o aeroporto de Uberaba não se adequar, a Anac irá determinar que seja diminuído o tamanho da pista, assim teremos apenas pouso e decolagem de pequenas aeronaves”, informou.

Tony acrescentou que no atual governo começou a defender a ideia da criação do aeroporto entre Uberaba e Uberlândia, porém é uma obra que levará anos e o aeroporto precisa se adequar para que continue recebendo vôos como os das aeronaves que operam pela Azul, Trip e outras companhias.

O vereador disse que o projeto de expansão atinge a praça onde fica o campo do Zé do Tiro, bem como as imediações do Parque das Américas por onde passa a av. Maria Rodrigues da Cunha Rezende, cuja pista está próxima e o mínimo que se permite é uma distância de 150 metros. “Existe um comprometimento da segurança tanto para quem mora naquele local da cidade, quanto para quem ocupa as aeronaves (tripulação e passageiros)”, salientou.

Segundo o vereador, a população questiona o fato de que se construir um aeroporto entre Uberaba e Uberlândia, o que acontecerá com o aeroporto já existente? Tony informa que quando foi feita a doação daquela aérea pelo saudoso Mário Franco, foi inserida uma cláusula no contrato estabelecendo que se o aeroporto sair do local de onde está a área retornará para a família, pertencendo à Organização Mário de Almeida Franco. Sendo assim, disse o vereador, não será possível mudar o aeroporto para outro setor da cidade. “Mesmo que no futuro seja construído um aeroporto internacional entre Uberaba e Uberlândia, o que existe em nossa cidade terá que ser destinado para vôos executivos, treinamentos ou táxi aéreo”.

Para Tony, se não desobstruir a pista do aeroporto, as aeronaves de grande porte não poderão pousar no terminal de Uberaba. “Temos uma pista adequada para pouso de grandes aeronaves, com dimensão de 1780 metros de extensão”, informou.

O Líder do Prefeito ressaltou que a Anac exige que todos os aeroportos brasileiros façam o Plano Diretor, e no projeto o terminal de embarque do aeroporto terá que ser transferido para a Vila Planalto. Justificou dizendo que há um comprometimento com o tamanho da atual pista, quando precisa fazer o taxiamento das grandes aeronaves.

Tony acrescentou que temos um aeroporto com demanda. Em 2011 passaram pelo terminal 130 mil passageiros; em 2012, 180 mil e até abril de 2013, 50 mil. Informou ainda que a torre do aeroporto é que faz o controle do tráfego aéreo nacional de Campinas a Brasília. O projeto apresentado por Uberlândia prevê a construção de uma torre deste porte. “A torre de Uberaba foi construída na administração de Wagner do Nascimento e tem duas funções: a torre local para pouso e decolagem e a torre de aproximação que controla o tráfego aéreo nacional”, ressaltou.

Tony finalizou dizendo que será preciso definir se Uberaba quer continuar do jeito em que está ou quer ir pra frente. Segundo ele nenhuma grande empresa irá para uma cidade se não tiver infraestrutura aeroportuária.