Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

JU Agora

ACESSIBILIDADE: A A A A

Oposição comemora fim da primeira sessão sem votação de denúncia contra Temer

02/08/2017

Após o encerramento da primeira sessão destinada a analisar a denúncia contra o presidente da República, Michel Temer, deputados da oposição comemoraram o término sem votação do parecer da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) pela rejeição do pedido de abertura de processo pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em desfavor do presidente por crime de corrupção passiva. A expectativa dos oposicionistas é transferir a votação para a noite desta quarta ou até mesmo para a próxima semana, a fim de ganhar tempo.

“Vamos empurrar para a noite. Queremos que o Brasil veja o que está acontecendo”, afirmou o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ). Na avaliação do parlamentar, a oposição se comportou bem na sessão da manhã ao não registrar presença (com a exceção de alguns deputados para assegurar prerrogativas regimentais).

O deputado Henrique Fontana (PT-RS) acredita que o governo terá menos quórum na sessão da tarde, que já foi aberta. São necessários 342 deputados registrados no painel do Plenário para iniciar a votação do parecer. Para derrubar o parecer da CCJ, o mesmo número de 342 deputados precisa votar contra o texto. Nesse caso, o Supremo fica autorizado a analisar a denúncia.

“Agora é um novo jogo. Quem deu presença de manhã não deve dar à tarde”, declarou Fontana. “Hoje temos maioria, mas não temos 342 votos, embora 90% do povo brasileiro querem que Temer saia do poder.”

Por outro lado, o deputado Beto Mansur (PRB-SP), vice-líder do governo, crê que o Planalto tem chances de atingir rapidamente o quórum, tal como ocorreu pela manhã. “Chegamos a 400 parlamentares presentes. A oposição vai tentar obstruir, porém a gente quer concluir hoje”, afirmou.

Segundo Mansur, o arquivamento do processo contra Temer vai dar a sinalização para que o Brasil avance nas reformas necessárias. “No meu levantamento, temos por volta de 300 votos favoráveis ao encerramento da discussão.”