Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

JU Agora

ACESSIBILIDADE: A A A A

Aluno da Escola Reis Júnior recebe transferência após ameaçar professor

07/03/2013

A direção da Escola Municipal Reis Júnior, disponibilizou para a família a transferência de aluno de 15 anos, do 7º ano letivo, visto ameaças feitas por ele contra o professor Adislau Leite. O incidente ocorreu ontem (6), quando o professor conversava com alunos na sala de aula. O referido aluno ameaçou dar um tiro no professor, além de afirmar que sabia onde era a residência do mesmo.

Preocupado com a família, o professor solicitou a presença da Polícia Militar. A diretora da escola, Silvania das Graças do Carmo Pacheco, também solicitou a presença da família para acompanhar o menor. Os envolvidos foram levados a AISP, onde o professor representou contra o aluno. “Tenho 18 anos de magistério e nunca tive problema com alunos. Dói meu coração esta situação, mas ele ameaçou a mim e a minha família, inclusive afirmando saber onde resido. Tomei esta atitude para me resguardar, porém espero que isso sirva de lição, para que ele entenda que todas nossas ações tem consequência”, disse.

Segundo a diretora, o aluno é repetente do 7º ano e, ainda ontem, segundo as informações, esteve envolvido em outro incidente na escola, resultando na fuga de um aluno pelo muro. “A informação que temos é o que os alunos suspeitaram que este aluno que pulou o muro estava com algum objetivo indevido. Inclusive, pedimos a Guarda Municipal que viesse a escola, mas nesse meio tempo, ocorreu o problema na sala de aula e o professor pediu para acionar a polícia militar”, explicou.

De acordo com a diretora, os familiares do jovem concordaram com a transferência, visto outras dificuldades que enfrentam com o mesmo no âmbito familiar. A diretora externou preocupação com a situação e afirmou que além da transferência do aluno, no sentido de preservar o professor, funcionários e outros estudantes, ela promoverá na escola um ciclo de palestras voltadas para a boa convivência e valores humanos.  A diretora também exteriorizou pesar com a situação, lembrando que o jovem é estudante da escola desde os seis anos, inclusive sendo seu aluno, apresentando problemas apenas quando entrou na fase da adolescência.