Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Interatividade - JU nas ruas

ACESSIBILIDADE: A A A A

Mata do Ipê recebe novas espécies



Interditada desde o inicio do ano por não oferecer segurança aos visitantes do local, a Mata do Ipê está sendo totalmente reestruturada e adequada. A reforma está seguindo o cronograma de ações desenvolvido pelas Secretarias de Meio Ambiente e Infraestrutura, com o apoio da iniciativa privada.

Algumas ações de melhoria já foram executadas, entre elas a elevação das represas e a desobstrução dos canais de água. O muro ao redor da mata está sem execução. O asfaltamento das passarelas é uma das novidades estabelecidas pelo plano de ação que vai oferecer maior segurança aos visitantes do local. Para a conclusão da obra está prevista a reforma total dos banheiros e manutenção parte elétrica do parque.

De acordo com a diretora do Departamento de Recursos Ambientais, Luciana Polati Bisinoto, já na próxima semana terá inicio o trabalho de paisagismo da mata, onde será implementado todo visual do local. “Estamos seguindo um cronograma de trabalho de maneira que todos façam de acordo com a sua área de serviço, sem prejudicar o trabalho do outro, mas tudo de forma harmoniosa com a natureza”.

Nesta semana, por exemplo, técnicos do Meio Ambiente fizeram o manejo de algumas árvores existente no local, denominas “Pau Rei”. De acordo com o biólogo Thiago Humberto da Silva, esta espécie foi plantada no local erroneamente há mais de 10 anos e colocava em risco de acidentes os visitantes do local.

Esta espécie é nativa da Mata Atlântica, mas se adapta muito bem em todas as regiões do Brasil. É uma árvore que pode chegar até 30 metros de altura, com isso fica vulnerável à ação do vento, comum principalmente, no mês de agosto.

 Thiago Silva destacou que quando plantada dentro de florestas, a espécie não preocupa pelo fato de outras árvores darem suporte contra a ação dos ventos fortes. Outro problema detectado está relacionado aos frutos de tamanho mediano que a árvore produz e que ao cair pode causar acidentes aos visitantes do parque. O biólogo disse ainda que as raízes das árvores estavam obstruindo a rede de esgoto dos banheiros, como também danificando as calçadas internas e externas da Mata do Ipê. As árvores retiradas (Pau Reis) serão substituídas por Ipês amarelos e brancos.

Interditada desde o inicio do ano por não oferecer segurança aos visitantes do local, a Mata do Ipê está sendo totalmente reestruturada e adequada. A reforma está seguindo o cronograma de ações desenvolvido pelas Secretarias de Meio Ambiente e Infraestrutura, com o apoio da iniciativa privada.

Algumas ações de melhoria já foram executadas, entre elas a elevação das represas e a desobstrução dos canais de água. O muro ao redor da mata está sem execução. O asfaltamento das passarelas é uma das novidades estabelecidas pelo plano de ação que vai oferecer maior segurança aos visitantes do local. Para a conclusão da obra está prevista a reforma total dos banheiros e manutenção parte elétrica do parque.

De acordo com a diretora do Departamento de Recursos Ambientais, Luciana Polati Bisinoto, já na próxima semana terá inicio o trabalho de paisagismo da mata, onde será implementado todo visual do local. “Estamos seguindo um cronograma de trabalho de maneira que todos façam de acordo com a sua área de serviço, sem prejudicar o trabalho do outro, mas tudo de forma harmoniosa com a natureza”.

Nesta semana, por exemplo, técnicos do Meio Ambiente fizeram o manejo de algumas árvores existente no local, denominas “Pau Rei”. De acordo com o biólogo Thiago Humberto da Silva, esta espécie foi plantada no local erroneamente há mais de 10 anos e colocava em risco de acidentes os visitantes do local.

Esta espécie é nativa da Mata Atlântica, mas se adapta muito bem em todas as regiões do Brasil. É uma árvore que pode chegar até 30 metros de altura, com isso fica vulnerável à ação do vento, comum principalmente, no mês de agosto.

 Thiago Silva destacou que quando plantada dentro de florestas, a espécie não preocupa pelo fato de outras árvores darem suporte contra a ação dos ventos fortes. Outro problema detectado está relacionado aos frutos de tamanho mediano que a árvore produz e que ao cair pode causar acidentes aos visitantes do parque. O biólogo disse ainda que as raízes das árvores estavam obstruindo a rede de esgoto dos banheiros, como também danificando as calçadas internas e externas da Mata do Ipê. As árvores retiradas (Pau Reis) serão substituídas por Ipês amarelos e brancos.