Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Interatividade - JU nas ruas

ACESSIBILIDADE: A A A A

Saúde lança campanha de atualização da caderneta de vacinação infantil


A meta é vacinar, de 24 a 30 de agosto, as crianças menores de 5 anos que não estejam com a imunização em dia.

 O Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira (15) campanha nacional para atualizar a caderneta de vacinação infantil. A meta é vacinar, de 24 a 30 de agosto, as crianças menores de 5 anos que não estejam com a imunização em dia. “As vacinas do calendário básico estarão disponíveis nos postos”, ressaltou Jarbas Barbosa, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

“O pai, a mãe ou o responsável tem que levar a criança [ao posto de vacinação]. Se tiver a caderneta é muito bom, porque é a chance para atualizar as vacinas; ver se estão em dia; ver quais estão programadas para tomar em um mês, em dois meses. Se tiver alguma que possa receber naquele dia, toma no mesmo dia”, explicou o ministro da saúde, Alexandre Padilha.

Jarbas Barbosa ressaltou que, se a criança não completar o esquema de cada vacina, ela não estará totalmente protegida, e, por isso, a importância de um profissional avaliar o histórico pela caderneta. A campanha é destinada a 14,4 milhões de crianças, que têm menos de 5 anos.

Padilha destacou que, mesmo se o responsável não tiver a caderneta, é importante que leve o filho. “No posto pode haver registro de quando [a criança] recebeu a vacina e, se não tiver registro, tem regras claras”, frisou o ministro. Ele explicou que há um protocolo para cada tipo de vacina.

A campanha prevê também a suplementação da vitamina A para crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos, que moram nas regiões Norte e Nordeste e em municípios prioritários do Plano Brasil sem Miséria. O complemento contribui para a redução do risco de morte por diarreia.

Parceria entre o Ministério da Saúde, secretarias estaduais e municipais de saúde, campanha abastecerá os postos do Sistema Único de Saúde com as vacinas BCG, hepatite B, penta, inativada poliomielite (VIP), oral poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, fere amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola, e caxumba) e DTP (difteria, tétano e coqueluche).