Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Interatividade - JU nas ruas

ACESSIBILIDADE: A A A A

Uberaba engrossa movimentos e mostra sua força


Organizadores fixaram cartazes e faixas pela cidade convocando a população para a manifestação

 Maria das Graças Salvador

Acontece hoje, o ato público programado pelo Movimento pela manifestação popular contra a tarifa de ônibus de Uberaba. A concentração será às 17h, na praça Henrique Krügger, dos Correios, com saída às 17h30, porém, quem quiser fazer os cartazes no local pode chegar às 16h. Na página do movimento no Facebook, eram cerca de 15 mil apoiadores até o início da noite de ontem. Os organizadores colocaram cartazes e faixas na cidade chamando a população com os dizeres: “Vem pra rua, dia 21/06, às 17h, na praça dos Correios. Manifestação contra a tarifa do transporte público de Uberaba”.

“A mobilização está muito boa e fechamos o trajeto. A grande concentração será às 17h, na praça dos Correios. Seguimos pela Leopoldino de Oliveira até a rotatória na esquina com a Santos Dumont e voltamos pela Leopoldino, subimos o Calçadão, viramos na rua Manoel Borges até a avenida Santos Dumont e subimos na rua da Medalha Milagrosa até chegar em frente à prefeitura [Centro Administrativo, na rua Dom Luiz Santana]. A Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal foram chamados para garantir a segurança. Será um movimento ordeiro”, informa um dos organizadores do ato público, o universitário Alex Ferreira, destacando que se comprometeram a fazer a mobilização até no máximo 22h. “Depois disso, o movimento não é mais responsável”.

Reivindicações – Segundo Ferreira, este é um movimento independente de Uberaba, aberto, sem partido político, sindicatos, que tem uma pauta de reivindicação, que será entregue ao prefeito Paulo Piau. “Dentre as reivindicações do movimento, estão: a redução da passagem para R$ 2,50 durante a semana e R$ 1,00 aos sábados, domingos e feriados; implementação do passe livre para estudantes, idosos e desempregados; passe estudantil válido aos domingos, feriados e férias escolares; fim da dupla função, com um motorista e um cobrador em cada ônibus, para segurança de todos; ampliação do bilhete de integração para três horas; mais linhas e mais ônibus nas já existentes; não desvio de verbas de áreas sociais para financiar redução de passagens; criação do Conselho Popular de Transporte Coletivo; criação da Empresa Municipal de Transporte Coletivo, para a cobrança de uma passagem justa, pois lucro não combina com transporte. Também é contra a carestia de vida e a criminalização do movimento social, pela liberdade para todos os presos políticos detidos nas manifestações nacionais, por mais verbas para a saúde e educação, pela vacinação de toda a população contra a gripe, conta a PEC 37 e não à Ebserh, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, que visa privatizar os hospitais universitários. Os 20 centavos é o estopim”, relacionou.

Questionado sobre a redução no valor da passagem de ônibus em R$ 0,10 anunciada ontem pelo prefeito, passando de R$ 2,90 para R$ 2,80, o universitário afirma que “é um absurdo. Ele teve 60 dias para anunciar esta redução e vai abaixar o valor na véspera da mobilização. O problema não é só dos R$ 0,20”, disse, se referindo ao aumento concedido no final do ano passado de R$ 2,70 para R$ 2,90.

Quanto à notícia de que algumas pessoas estão querendo ir ao manifesto com máscaras, afirma que ficou sabendo e comunicou à polícia e pede que as pessoas compareçam para se manifestarem, mas com a “cara limpa, sem máscaras, porque não precisamos nos esconder. Pedimos a ajuda das pessoas para que saiam civilizadamente e que evitem confrontos”, observou.