Geral

67 mil pessoas tiveram auxílio-doença ou aposentadoria cancelados em Minas

Prejuízo – As pessoas se sentirem lesadas devem recorrer às agências do INSS para tentar restabelecer o benefício

Pelo menos 67 mil mineiros perderam benefícios do INSS no pente-fino realizado pelo governo federal – é o que mostra levantamento apresentado pelo jornal Hoje em Dia. Ao todo, foram cortados 89,4% dos auxílios-doença e 34,2% das aposentadorias por invalidez no Estado desde agosto de 2016, quando o ex-presidente Michel Temer (MDB) implementou a medida. Dando continuidade às revisões nos benefícios sociais, o governo Jair Bolsonaro (PSL) endureceu ainda mais as regras, o que irá elevar os cortes no Estado e em todo o país.
Segundo dados do Ministério da Cidadania – antigo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) – em todo o país foram realizadas 1,1 milhão de perícias com 578,5 mil benefícios cancelados desde o início do pente-fino até 31 de dezembro de 2018.
Em Minas Gerais, no mesmo período, foram concluídas 145.271 perícias, sendo 31.888 referentes a auxílios doença e 113.883 de aposentadoria por invalidez. O processo gerou uma economia de R$ 1,3 bilhão em Minas Gerais, mas, segundo o advogado André Brito, especializado em Direito Previdenciário, parte dos cortes de quase 90% dos segurados que recebiam auxílio-doença devem receber revisão. “É um número muito alto, quase a totalidade dos benefícios foi cortada. Então, certamente teremos alguns casos de revisão em que o trabalhador poderá ter o benefício de volta. É importante fazer o pente-fino, cortar possíveis irregularidades, mas temos que preservar o direito de quem precisa do benefício”, diz Brito.
Já no caso da cassação das aposentadorias por invalidez, com corte de 38.948 benefícios no Estado, Brito avalia que é mais complexo conseguir a reversão do cancelamento. “Nesse caso, a perícia é muito rígida e, salvo em situações atípicas de engano do diagnóstico, o segurado dificilmente consegue reverter a decisão. Mas, para quem se sentir lesado, é preciso recorrer ao INSS e, caso hajam provas periciais, pode acontecer de o segurado conseguir o benefício de volta. A orientação é juntar as provas documentais”, completa Brito.
Mesmo com a ação do pente-fino em andamento, o Ministério da Economia, que agora engloba a Secretaria da Previdência, responsável pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), informou que não há prazo para que os segurados recorram dos cancelamentos de benefícios. A partir da data da entrada do pedido de revisão, os beneficiários têm um retorno do INSS em até 30 dias.
Parte dos 67 mil mineiros que tiveram benefícios cortados ainda podem ter que devolver o dinheiro, caso seja comprovada a irregularidade intencional para burlar o INSS. “Pode acontecer até a devolução do benefício porque, caso o INSS comprove má-fé do segurado, ele pode ser condenado a efetuar a devolução retroativa dos valores recebidos”, diz a advogada Naiara Martins Freitas, diretora Instituto de Estudos Previdenciários (Ieprev).
A previsão é que o pente-fino iniciado na gestão do ex-presidente Michel Temer seja finalizado em fevereiro deste ano. Ainda faltam ser revisados 564 auxílios-doença e 2.842 aposentadorias por invalidez em Minas. Segundo o Ministério da Cidadania, o governo Bolsonaro não irá interferir no processo iniciado no governo Temer.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.