Cidade

Abertura de novas matrículas do ensino especial em Uberaba

Duas demandas da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) foram discutidas em reunião na segunda-feira (16) na Cidade Administrativa, sede do governo do estado. Em visita à Secretaria de Estado de Educação (SEE), o presidente da comissão e autor do requerimento, deputado Duarte Bechir (PSD), foi acompanhado de duas diretoras de escolas do interior de Minas. Na pauta, a abertura de novas matrículas do ensino especial em Uberaba e a desocupação de uma escola em Ituiutaba.
A diretora da Escola Estadual de Educação Especial Risoleta Neves, de Ituiutaba, Katiuce Cristina Araújo Ribeiro, relatou a preocupação da comunidade com desejo manifestado pelo prefeito de desocupar o prédio da escola, que pertence ao estado, para a construção de um centro de educação especial. “A proposta não é clara, não tem transparência, e hoje fazemos um trabalho de auxiliar no processo de inclusão de alunos na escola comum ao mesmo tempo em que ainda damos assistência aos estudantes que precisam de mais cuidados. Então o receio das famílias é grande de que esse projeto se concretize”, explicou.
A subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica, Augusta Aparecida Neves de Mendonça, garantiu à diretora que não está nos planos do governo a desocupação do prédio. “O encerramento da escola não está nos nossos planos. E sempre que existe a cessão de imóvel isso é feito com muito diálogo. Jamais iríamos pedir a desocupação do prédio da noite para o dia. Então vocês podem ficar sossegados. Nosso compromisso é com a escola”, frisou. Atualmente, a Escola Estadual atende cerca de 90 alunos na Educação Especial, incluindo turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.