DestaquePolícia

Acidentes de trânsito em Minas mataram 47 crianças neste ano

Pelo menos 47 crianças, com idades entre 0 e 7 anos, morreram em acidentes de trânsito em Minas Gerais neste ano, aponta levantamento divulgado pela Seguradora Líder, administradora do Seguro DPVAT, para alertar sobre a segurança dos pequenos no trânsito.
De acordo com a pesquisa, no total foram 240 crianças vítimas, neste ano, de acidentes em rodovias e ruas de cidades do Estado. Dessas, 149 sofreram invalidez permanente. Os dados alarmantes compreendem os nove primeiros meses de 2018.
Ainda segundo o estudo, 152 crianças foram atropeladas nas estradas mineiras e 88 estavam dentro de veículos acidentados. A maioria das ocorrências envolveu carros: 143. Motos (64), caminhões (19), ônibus (12) e ciclomotor (2) também aparecem na relação.
Em todo o ano passado, 458 crianças foram vítimas de acidentes nas estradas de Minas, sendo que 95 perderam a vida e 317 ficaram inválidas.
No Brasil – No país, de acordo com a Seguradora Líder, o trânsito fez cerca de dez vítimas crianças por dia no ano passado. Em 2017 foram 3.834 vítimas indenizadas. Desse total, 72% passaram a conviver com algum tipo de invalidez permanente (aproximadamente 2,8 mil crianças). Outras 752 morreram. Os dados revelam, ainda, que a maior incidência de acidentes são os atropelamentos: mais de 2,4 mil crianças. Somente neste ano, de janeiro a setembro, cerca de 2,3 mil vítimas entre 0 e 7 anos foram atingidas por veículos.
Para o especialista em segurança no trânsito, Rodolfo Rizzotto, a frágil condição física dos pequenos, a distração e dificuldade de percepção dos perigos enfrentados são os principais motivos dos atropelamentos. “As crianças costumam repetir o comportamento de seus pais e familiares e sofrem as consequências disso. Quando os adultos não atravessam na faixa, não respeitam o semáforo ou não usam a passarela, a criança tende a repetir esses costumes”, alerta.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.